sábado, 13 de outubro de 2012

o jovem e a conduta espiritual


TEXTO BASE GL 5: 25

NTRODUÇÃO

TEMA: O JOVEM E SUA CONDUTA ESPIRITUAL=I

I - Conduta - procedimento (I Pe 1: 15), comportamento

II - O que não é espiritualidade

a) Não são achaques, esquisitices espirituais, olhos semicerrados, cabeça levantada, cara acabrunhada.
b) Não é emocionar-se, o que as vezes leva ao fanatismo
c) Não é só observar usos e costumes
d) Não é uma experiência religiosa
e) Não é dar mostras de entusiasmo passageiro
f ) Não é fazer confissões parciais
g) Não é continuar como antes
h) Não é envolver-se apenas para não ser questionado.
i ) Não é freqüentar a igreja a pedido dos pais ou líder (agradar ao líder)
j ) Não é produção de crentes em série
k) Não é alienar-se do mundo (estamos no m. mas não somo do m.)
l ) Não é só verticalista, nem intimista, nem sobrenaturalista






III - Qual o termômetro da verdadeira espiritualidade

a) Ausência de ‘vanglória’ (Gl 5.26) = presunção (suposição), orgulho; Jesus diante dos gregos e do desejo de fazê-lo rei.
b) Ausência de provocações
c) Ausência de inveja (do que é dos outros - namorada do amigo)
d) Ausência de ciúmes I Co 3.3 (do que é meu)
e) Ausência de contendas I Co 3.3 (discórdia, rivalidade)
f ) Ausência de facções e divisões (rasgões em panos, não de doutrina mas em partidos baseados em personalidades) I Co 3.4 com I Co 1.12 - Fp 1: 27 s/ unidade
IV - Como se manifesta a verdadeira espiritualidade em Cristo (nosso exemplo) Jo 13: 15
a) Toca a dimensão física, corpórea, histórica, familiar, profissional, política, etc.
b) Integra o discurso e a prática na existência da vida que cultua a Deus.
c) Consegue rever valores, pensamentos, conceitos e referenciais - não é bitolada
d) A espiritualidade era a própria vida, porque:
1° Tem coragem de chorar em público (Jo 11.35)
2° Admite perdas e saudades (Jo 11.36)
3° Grita de dor (Mt 27.50)
4° Confessa depressão (Mt 26: 38)
5° Pede ajuda emocional (Mt 26: 40)
6° Confessa-se cansado (Jo 4: 6)
7° Admite dificuldades familiares (Mc 3: 21; Jo 7: 1 =9)
8° Nos evangelhos Jesus nunca proferiu a palavra ‘espiritual’
V - Conseqüências práticas de uma conduta espiritual sadia
a) Ora devocionalmente mas também faz do próprio viver uma oração
b) Faz  do  corpo  habitação do Espírito Santo em completa fusão (1ª Co 6: 19)
c) É Cristocentrica. Mt 17.5b - sem heróis
d) É centrada na cruz. Lc 9.31
e) Obedece ao evangelho - fazer x ser
f ) Afasta o medo do divino. Mt 17: 7
g) Pratica oração. Lc 9.29 (nos salmos: acerca do que Ele é; dos inimigos que oprimem e sobre nós mesmos) sem legalismo do ‘pé direito’
h) Vence a carne (maquinações, intenções)

A ser viço do rei Pr. João Nunes Machado

Nenhum comentário:

Postar um comentário