quarta-feira, 3 de outubro de 2012

o que devemos fazer


TEXTO BASE LC 7: 36 

INTRODUÇÃO

TEMA: O QUE DEVEMOS FAZER = I



1. CONVIDAR JESUS... Para entrar na nossa casa
"Convidou-o um dos fariseus para que fosse jantar com ele" Lc 7: 36
Todas as bênçãos relatadas no texto ocorreram em decorrência do convite feito a Jesus para um jantar na casa de Simão... Jesus aceitou o convite, compareceu ao jantar, e abençoou a todos!
Se o convidarmos, Ele aceita... Ele deseja entrar na nossa casa.
Ele diz: "Eis que estou à porta e bato.
Se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, cearei com ele e ele comigo."  Apoc 3: 20
Convide hoje Jesus a entrar no seu coração.
Permita que Ele faça parte da sua vida.
Entregue a direção do seu caminhar a Ele.
Permita que Ele seja o seu Salvador e Senhor!




2. VIR A JESUS
Naquele tempo, na Palestina, uma refeição particular podia assumir aparência de um entretenimento público, podendo aparecer hóspedes não convidados, os quais podiam movimentar-se livremente em torno da mesa do banquete, sem que isso excitasse qualquer comentário ou fosse julgado como algo incomum.
Também as casas não eram muradas e nem gradeadas como hoje em dia...
Aproveitando-se desta prerrogativa, a mulher pecadora, que certamente estava insatisfeita e infeliz com a vida que vivia, resolveu firmemente no seu coração ir ter com Jesus...
Preparou-se e foi!
Jesus não a rejeitou por ser pecadora, e nem a recriminou por tocar-Lhe... Ele a acolheu e a abençoou tremendamente!
Da mesma forma hoje, o caminho de acesso a Jesus está livre e aberto, e todos podemos e devemos vir a Ele!
Assim como Ele não rejeitou a mulher pecadora, também não nos rejeitará!
Não nos recriminará! Ele nos acolherá e nos abençoará!
Venha a Jesus hoje e você encontrará alívio e paz para o seu coração.
3. HUMILHAR-NOS AOS PÉS DO SENHOR
Naquele tempo os convidados removiam as sandálias antes da refeição e se reclinavam sobre o banco ao redor da mesa, com os pés para fora.
A mulher, impelida por um amor irresistível a Jesus, foi vencida pela emoção, e, em uma catarata de lágrimas, demonstrou seu afeto. Beijar os pés era sinal comum de profunda reverência, especialmente a rabinos líderes.
Era usual e próprio às mulheres usarem cabelos compridos (I Cor 11: 15).
Ela soltou os próprios cabelos em público, o que para as judias era vergonhoso.
Aquilo que era o ornamento e o orgulho desse mulher, e do que ela cuidava, nutria e arrumava para tornar-se desejável, isso ela usou à guisa de toalha, enxugando os pés de seu Senhor...
A mulher pecadora se humilhou profundamente, acariciando os pés do Senhor, beijando-os, regando-os com as suas lágrimas, secando-os com os seus cabelos, e untando-os com o precioso perfume!
"Perto está o Senhor dos que têm o coração quebrantado, e salva os de espírito oprimido"  Salmo 34: 18
"Humilhai-vos, portanto, sob a poderosa mão de Deus, para que ele, em tempo oportuno, vos exalte." I Pedro 5: 6

A ser viso do rei Pr. João Nunes Machado

Nenhum comentário:

Postar um comentário