quinta-feira, 15 de novembro de 2012

amor, o mata dragão


TEXTO BASE Gálatas 5: 22

INTRODUÇÃO

TEMA: AMOR, O MATA-DRAGÃO=V

Um vagabundo a pedir esmola, numa aldeia inglesa velha e pitoresca, parou junto a uma taverna que tinha o clássico nome de hospedaria de São Jorge e o Dragão.
Por favor, senhora, pode arranjar-me um pouco de comida?
Ele pediu a uma mulher que o atendeu a porta.
Um pouco de comida? Para um vagabundo qualquer, um mendigo? Não. Disse ela.
Por que não trabalha para viver, como um homem honesto?
O vagabundo vai-se embora, mas no meio do caminho ele olha para a taverna e lê novamente São Jorge e o Dragão, após voltou e tornou a bater.
Você novamente, o que quer? Disse a raivosa mulher.
Por favor, senhora - foi a resposta -, se São Jorge também está aí, poso desta vez falar com ele?




AFIRMAÇÃO
A gente tem freqüentemente de pedir pela segunda vez para atravessar o dragão interior das pessoas, não é verdade?
Porque há um pouco de São Jorge e mesmo mais do que um pouco de dragão em todos nós.

PROVA
Muitas pessoas quando perdem as estribeiras, imediatamente justificam-se, dizendo-se de pavio curto, de família de gênio forte.
Outras dizem-se sinceras, aquilo que elas sentem põem para fora, não importando-se se vão ou não ferir os outros.
Elas confundem sinceridade com hostilidade e falta de educação.
Em certos dias nós encontramos uma fila inteira de dragões a nossa frente, em outros somos um deles.
Todos nós temos variação de sentimentos, mas o problema toma vulto quando a frustração de nossos pequeninos problemas diários se transforma em irritação; quando o desespero por causa de circunstâncias desfavoráveis nos leva à depressão e quando a agitação com tudo que vai mal com você se transforma em raiva.
Aí o dragão mostra os dentes. Contar a história do lobo.

PORQUE FICAMOS COM RAIVA??
O QUE PODEMOS FAZER COM ELA?
QUAL A SUA CAUSA?
Se nós pudéssemos colocar um termômetro em nossas emoções, verificaríamos toda uma escala de temperaturas raivosas.
40º explosão, irracional, violência, morte
39º atitudes temperamentais, ninguém interfere
38º hostilidade, antagonismo, rancores
37º costumeiras irritações, impaciência.
Várias causas podem elevar o mercúrio do termômetro:
Ciúme, inveja, quando um tipo que não lhe agrada consegue fazer algo que chama a atenção de todos e você não se sente capaz.
9 em 10 - ressentimento, quando você dá um fora e o outro não deixa escapar, você fica com seu amor-próprio ferido.
Insulto, quando alguém o critica ou não bota fé em sua capacidade de realizar algo, ou de seu jeito de fazer as coisas.
Etc., etc., etc.,

Em todas as situações, a causa primordial é a mesma.
A raiva brota de alguma frustração do ego, quando o amor e respeito próprios de um homem ficam tolhidos.
Há iras que não são pecaminosas, quando estão relacionadas com injustiças, mesmo assim temos que vigiar para que os resultados não sejam pecaminosos.
A raiva é um mal desnecessário, que fere os outros. É um desejo violento de ferir os outros.
Já a ira diante de injustiças, pode levar um homem a libertar-se da escravidão e a tentar novos objetivos e transformar-se noutro.

A ira pode desafiar injustiças ou corrigir males que oprimem.
Pode investir com vigor contra o mal.
A ira sem rédeas é aterradora, transforma-se em raiva destruidora.
Mas a indignação diante de injustiças pode levar a mudanças.
Quando os homens não sentem profunda e ardentemente o que é reto e justo, quando "tudo vale", quando tudo se tolera, tudo está perdido.

Você pode manejar a ira ou deixar que ela o faça com você.
Cristo sentiu-se indignado muitas vezes: Marcos 3: 4 e 5
A Sua indignação foi sobre princípios do bem e do mal; não sobre pessoas e personalidades.
O causar mal a outros, o abusar de fracos e indefesos, acendiam-lhe a indignação.
Efésios 4: 26,27

Quando estamos irados estamos vulneráveis ao mal, pois se descontrolada, poderemos agir pecaminosamente.
Quanto mais alta a ira, menor nosso senso, nossa razão, chegando a se transformar em ressentimento, e em breve em amargura, irritabilidade, ódio, maldade e centenas de outros males.
Minha ira é certa ou errada?

Essa é uma questão que você deve propor-se todas as vezes que suas emoções começam a perder as rédeas. E se elas ameaçam a explodir, CUIDADO!
As explosões são sempre más.

Elas podem ter duas motivações:

1) Muitas pessoas querem fazer as coisas andarem do seu jeito.
2) Ou extravasar frustrações, quando percebe sua própria incompetência ou inferioridade.
Explosões de raiva são pura e simplesmente imaturidade.
A questão deve ser:
" PORQUE ESTOU ZANGADO?"
São razões válidas?
Examine-se a si mesmo acuradamente à luz do diagnóstico da Bíblia.
Tiago 4: 1,2,3,11 e 12
A pessoa enraivecida tem uma das poucas oportunidades de ver-se cruamente, sem retoques.
Vejamos:

A raiva pode ser indício de culpa.
A raiva é muito comum entre os que tem uma consciência má ou culpa reprimida.
Um ladrão zanga-se muito mais quando acusado de roubo do que um homem honesto.
Quando sentir a raiva subir, fique de prontidão.

PERGUNTE POR QUE? POR QUE?
Uma resposta honesta pode ser como um jato de água fria.
Se a raiva lhe dá um toque de prazer, é um aviso de que essa raiva é extremamente nociva.
Avalie devidamente a raiva que lhe dá prazer.
Trata-se de ciúme, inveja ou ódio que se apresentam como parceiros, sempre que você humilha a pessoa provocadora.

É seu orgulho ou auto estima que se deliciam com a satisfação de sujar quem o desmascarou?
Se não pode achar a resposta, se seus sentimentos íntimos são inexplicáveis
Ou se está sempre irritado, com visão negativa, crítico e hostil, então, a todo custo, peça auxílio.
Conversar com alguém de experiência, como o pastor, ou um profissional cristão, um ancião consagrado.
MATEUS 11:28 E 29

PERORAÇÃO
Ir a Jesus, é muito mais que falar, é agir, é confessar e abandonar pecados pois do contrário mesmo nossas orações são um cansaço a Deus.

A ser viço do rei Pr. João Nunes Machado

Nenhum comentário:

Postar um comentário