terça-feira, 6 de novembro de 2012

casamento & sexo


TEXTO BASE 1° CORINTIOS 7: 1= 10

INTRODUÇÃO 

TEMA: CASAMENTO E SEXO = I

Resposta às perguntas acerca do casamento:

1ª ORA, quanto às coisas que me escrevestes, bom seria que o homem não tocasse em mulher;

2° Mas, por causa da prostituição, cada um tenha a sua própria mulher, e cada uma tenha o seu próprio marido.

3° O marido pague à mulher a devida benevolência, e da mesma sorte a mulher ao marido.

4° A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no o marido; e também da mesma maneira o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no a mulher.

5° Não vos priveis um ao outro, senão por consentimento mútuo por algum tempo, para vos aplicardes ao jejum e à oração; e depois ajuntai-vos outra vez, para que Satanás não vos tente pela vossa incontinência.

6° Digo, porém, isto como que por permissão e não por mandamento.

7° Porque quereria que todos os homens fossem como eu mesmo; mas cada um tem de Deus o seu próprio dom, um de uma maneira e outro de outra.

8° Digo, porém, aos solteiros e às viúvas, que lhes é bom se ficarem como eu.

9° Mas, se não podem conter-se, casem-se. Porque é melhor casar do que abrasar-se.

10° Todavia, aos casados mando, não eu mas o Senhor, que a mulher não se aparte do marido.





Um dos assuntos que mais desperta interesse em nosso trabalho com casais é, sem dúvida, a questão do sexo e da própria sexualidade no contexto do casamento cristão.

Algumas considerações são importantes para os casais crentes desfrutarem o melhor do relacionamento sexual.

Saiba que sexo e sexualidade são coisas distintas
Muitas pessoas pensam que sexo e sexualidade são as mesmas coisas. Errado. A sexualidade está presente desde o nascimento e nos acompanha até a velhice. Já as relações sexuais, de acordo com a Bíblia, devem acontecer no contexto do casamento. Viver bem a sua própria sexualidade (gosta de si mesmo, do corpo, de ser homem ou mulher) é meio caminho andado para uma satisfatória vida sexual.
Entre quatro paredes, tudo é permitido?

Não. Tudo é permitido quando não fere os princípios bíblicos da sexualidade conjugal. Por exemplo, pornografia, atitudes egoísticas e práticas abusivas e humilhantes não devem fazer parte da experiência sexual do casal cristão.

Leia livros

Existem excelentes livros sobre sexualidade cristã que deveriam ser lidos por todos os casais cristãos. Citamos três deles: O ato conjugal (Editora Betânia), Sexo e sexualidade e Dinheiro, sexo e poder (Editora Mundo Cristão). Livros ajudam nas dúvidas, no conhecimento dos aparelhos reprodutores masculinos e femininos, na psicologia masculina e feminina.

Não separe sexo e espiritualidade

Um dos maiores erros que um casal cristão pode cometer é separar estes dois temas no casamento.

Certa vez ouvi de um casal confessando que quando tinha relação sexual com sua esposa a impressão que ficava é que Deus se retirava do quarto. Deus criou o sexo, homem e mulher, e deseja que os cônjuges desfrutem todo o prazer que o sexo pode oferecer. Agradeça e peça a bênção de Deus para esta área do casamento.

Saia da rotina

Um dos assassinos da vida sexual do casal é a monotonia. É possível planejar e executar relações sexuais diferentes, criativas de forma aceitável e que não maculem a vida sexual do casal.
Entenda que as relações sexuais são dinâmicas

No casamento as relações sexuais são diferentes. Uma relação nunca é igual a anterior. Um dia a relação pode ser um pouco mais "quente", noutro não.

Não restrinja sexo a "penis e vagina"

Restringir sexo a estes dois órgãos é diminuir toda sua amplitude e beleza. Beijar, andar de mãos dadas, trocar palavras de carinho fazer parte da vida sexual de um casal.

Conversem sobre sexo

Conversem sobre ritmos, freqüência, intensidade, toques que dão prazer, atitudes que não agradam, posições e tantos outros temas ligados à vida sexual. Um cônjuge não é obrigado conhecer os pensamentos e sentimentos do outro.

Se esforce para melhorar a vida sexual

Tentar melhorar a vida sexual no casamento é tão sagrado quanto estudar a Bíblia e orar. Se há algum problema de ordem emocional ou física, procure conversar com o cônjuge.

Caso a conversa não seja suficiente, procure ajuda de terceiros, por exemplo, conselheiro cristão, psicólogo, sexólogo ou um médico.

Autor(a): Gilson Bifano

Nenhum comentário:

Postar um comentário