domingo, 30 de dezembro de 2012

uma igreja dividida = 2013


TEXTO BASE I CORINTIOS 1: 10 =16

INTRODUÇÃO

TEMA: UMA IGREJA DIVIDIDA= IX

1.  Começamos o estudo desta carta na quarta-feira passada onde vimos :
2.  O perfil desta igreja :
•Uma Igreja grande
•Repleta de divisões
•Muitos Cristãos eram esnobes  ( ricos X pobres )
•Havia pouca disciplina na Igreja (permissividade moral e doutrinária )
•Não queriam submeter-se a nenhum tipo de autoridade ( autoridade apostólica questionada )
•Faltava humildade e consideração entre os irmãos (tribunais e não se preocupavam com a consciência dos outros )



•Entusiasmo para com os dons mais dramáticos mas sem amor enraizado no coração
3.  Pôr isso Paulo inicia sua carta definindo o que significa ser Igreja e vimos :
•A igreja é formada pôr todos os que respondem ao chamado de Deus
•Ela é a Igreja de Deus
•Ela é caracterizada pelo Senhorio de Cristo
•Ela é fruto da Graça de Deus
•Ela é mobilizada pelos dons do Espírito Santo
• Ela é sustentada pela fidelidade de Deus
4.Agora ele começa a tratar  do primeiro problema de Corinto, O fato de ela ser uma Igreja Dividida. Hoje gostaria de estudar os argumentos de Paulo contra a divisão e que convocam aquela Igreja a Unidade.

Iª 4 LÍDERES - 4 ÊNFASES  - 4 GRUPOS V11-12
As contendas em Corinto giravam em torno de 4 líderes com 4 ênfases importantes mas que geraram 4 grupos distintos e beligerantes

1.  Paulo
a)  Fundador da Igreja .e pôr isso muitos se sentiam ligados a Paulo pela conversão
b)  Sua ênfase era a nossa liberdade em Cristo
c)  Tudo o que Paulo dizia  aceitavam
d)  Reagiam as novas ênfases e quem sabe até a algumas heresias, mas começaram a imitar os métodos dos outros  formando o seu próprio grupo.
e)  É Fácil reagir ao comportamento carnal utilizando métodos igualmente carnais ao invés de tomar a armadura de Deus no poder do Espírito Santo
2.  Apolo (At 18: 24 = 19: 7)
a)  Oriundo de Alexandria  no Egito - cidade Universitária
b)  Grande capacidade Intelectual e oratória excelente
c)  Desenvolveu um ótimo ministério de ensino
At 18.27b ....auxiliou muito aos que pela graça haviam crido.
d)  Mas a ênfase no ensino e na sabedoria começou a gerar uma Elite espiritual
e)  Surgiram também comparações com Paulo que não tinha grande eloqüência cf 2 Co 10.10 e I Co 2.3-4
3.  Pedro
a)  Representa o Cristianismo Judaico
b)  Quando o fogo do entusiasmo se apaga surge uma alternativa “segura” geralmente a letra sem o espírito.
c)  A ênfase estava em uma “doutrina forte” ou seja legalismo
4.  O partido de Cristo
a)  A elite espiritual
b)  Forte individualismo ( Quem precisa de líderes? Vivemos pôr revelação)
c)  ênfase na experiência
d)  início do gnosticismo
e)  ( este tipo de elite sempre tenta formar a sua própria Igreja pois todas as outras não são suficientemente espirituais para eles )

II.  O processo da divisão 
1.  Tudo isto esta revelado na palavra de Deus para que entendamos como as divisões surgem na Igreja.
2.  Elas estão aqui para o nosso ensino e proteção, pois esta continua sendo uma poderosa arma de  Satanás para freiar o avanço da Igreja de Jesus .
3.  Os partidos ou facções citados em I Co 11.19 são tradução de uma palavra grega que tem como significado básico a idéia de escolha ou escolher .
4.  Cada grupo a princípio defendia aspectos diferentes da verdade  gerando as ênfases:
a)  Paulo - liberdade em Cristo  pelo evangelho
b)  Apolo - a necessidade de conhecimento da palavra e de sabedoria científica para dialogar com os judeus e gentios não crentes da cidade
c)  Pedro - a necessidade  de uma firmeza doutrina que atinja os nossos costumes e a nossa moral
d)  Cristo - Uma busca ardente pela experiência espiritual  e com o poder de Deus
5.  Quando um cristão ou grupo fica totalmente absorvido pôr um aspecto da verdade  negligenciando, excluindo, ou até mesmo rejeitando o todo da verdade que esta em Jesus, então atinge-se o ponto crítico. A seletividade  virou heresia, escolha, partido, quebra, cisão.
6.  Tais ênfases na Igreja de Corinto formaram partidos, cujos componentes estavam recusando a ter comunhão com os outros, ou mesmo a investir nas outras ênfases . Disto para a luta aberta foi apenas um passo.
7.  Exemplos de como isto pode acontecer conosco.
• grupos de oração entre si  e a igreja toda nas suas outras ênfases.
•Música e não veja como importantes todas as outras atividades e dons da Igreja
•Ação social

•Missões
•Construção
8.  Unidade é ver todos os lados da verdade e ser cooperador de todos os lados  pais a verdade inteira é a vontade de Deus para a Igreja
9. Aplicação => Como você tem se portado com as ênfases da Igreja ? Você é cooperador de todas? Não é de alguma ?  Pôr que ? Pôr causa de pessoas ? será que não está na hora de ter unidade ?

III. O  APELO À UNIDADE  V.10
1. Diante deste quadro perigoso para a Igreja Paulo faz um veemente apelo a unidade da Igreja  no v. 10
2.  Ele pede que haja uma mesma visão para a Igreja e que contemple todas as ênfases da verdade .
3.  Que neste sentido falem uma mesma coisa.
4.  O que ele pede é cooperação dentro de um relacionamento harmonioso.
5.  Todos somos mais motivados pelos dons que temos, mas precisamos cooperar com aqueles que tem dons diferentes dos nossos.
6.  Cooperação na construção
7.  Nunca pôr causa de pessoas mas pôr causa de Jesus
8.  Mantendo a visão do todo e não somente da parte considerando-a como meu rincão. Nada é nosso tudo é de Deus . Nem depende de mim só da graça.
9.  E quando os outros falham conosco é necessário viver o mais excelente caminho O amor  que perdoa que releva caminha a 2ª milha, que dá a outra face.
10. Conservemos a unidade caso contrário a Igreja perderá o seu testemunho.

IV. A RAZÃO DA UNIDADE .13-16
Pôr último Paulo nos dá a razão da unidade da Igreja
1.  A integridade de Cristo
a)  Jesus é uma pessoa é impossível dividi-lo em  partes
•      Entra Jesus no meu coração mas pôr favor deixe as suas pernas para o lado de fora .
b)  Ou o temos todo ou não o temos
c)  A Igreja como o corpo de Cristo precisa ter todas as ênfases simultaneamente e na mesma intensidade se não não é Igreja  ( Hoje  eu sou mais mão  (serviço)  do que coração (devoção) ; ou mais pé ( missão) do que toque  ( consolação))
2.  A cruz de Cristo
a)  Cristo é que foi crucificado pôr nós, ninguém mais.
b)  Nossa gratidão deve ser a ele todo e não a nenhuma outra personalidade.
c)  Nós os seguimos na totalidade do seu caráter e da sua vontade pois fomos constrangidos pelo amor dele
d)  Ele diz isto pôr que as ênfases giram em torno de lideranças fortes, mas o nosso compromisso é com aquele que morreu pôr nós na cruz.
e)  Não podemos ser do grupo de fulano ou siclano, ou da Igreja de beltrano , precisamos estar comprometidos com a cruz de Cristo .
3.  O Senhorio de Cristo
a)  Quando fomos batizados em nome de Jesus significa que aceitamos ser propriedade exclusiva de Jesus Cristo.
b)  Pôr causa do senhorio de Cristo preciso estar engajado em todas as ênfases do seu ministério através da sua Igreja

Conclusão 
1.  Unidade é o apelo
2.  Cooperação é a estratégia
3.  Amor e perdão são  os remédios
4.  Crescimento e poder serão os resultados
5.  Você está disposto?
A ser viço do rei Pr. João Nunes Machado

Nenhum comentário:

Postar um comentário