segunda-feira, 22 de abril de 2013

ingratidão e critica


TEXTO BASE MT 27: 17

INTRODUÇÃO

TEMA: INGRATIDÃO E CRÍTICA

A gratidão é o termômetro que mede nossa saúde espiritual.
Quando não existe gratidão é porque existem áreas infeccionadas que precisam ser tratadas.
A gratidão é a linha que precisamente distingue a pobreza da miséria.
A Bíblia fala que o pobre, Deus o fez, porém, quem faz o miserável é a ingratidão!
Neste mesmo sentido é que a miséria do rico pode ser terrivelmente pior que a pobreza do pobre.
A gratidão é um dos maiores segredos da prosperidade.
Toda pessoa murmuradora e ingrata está no caminho oposto ao caminho da prosperidade.
Muitas pessoas são lançadas na miséria e ruína porque pagam o bem com o mal, a bênção com maldição e cospem no prato que comeram. Agem com descarada ingratidão.
Este é um dos piores sintomas que determina um quadro de reprovação.
Existem algumas pessoas, que quase sempre, estamos carregando-as nas costas.
São fracas e dependentes e usam estas plataformas para manipular.
Sempre estão precisando de algumas coisa e nos desdobramos para atendê-las de boa vontade.
Porém, numa única situação, onde nos vemos impossibilitados de ajudá-las, elas se revelam vomitando a ingratidão: "você nunca me ajuda! Você está falhando comigo !" ...
Pessoas, até mesmo, materialmente, são lançadas na miséria por causa de ingratidão e traição.
Muitas pessoas estão tendo suas vidas destruídas pela ingratidão e depois querem destruir a vida dos outros pela crítica.



Toda pessoa ingrata torna-se crítica e toda pessoa crítica é também ingrata.
Na verdade, sempre que uma pessoa não é aprovada numa circunstância, mais cedo ou mais tarde vai extravasar isto através de murmuração e crítica.
A crítica irresponsável é o vômito da ingratidão.
Uma pessoa ingrata é alguém que está cega para o bem que tem recebido.
Não consegue perceber o esforço que outros tem feito para abençoá-la.
Na verdade, a ingratidão transforma a pessoa num "saco sem fundo".
Nada é suficiente e por isto está sempre insatisfeita.

Quando a ênfase à crítica é maior que a ênfase ao incentivo temos o sintoma da ferida e reprovação.
A pessoa não enxerga soluções, apenas defeitos.

Os olhos estão entravados.
Quando uma pessoa começa a ver só problemas e defeitos num lugar ou nas pessoas com quem ela convive, a leitura que se faz e o diagnóstico espiritual a que se chega é que ela mesma é quem está reprovada.
A ser viço do rei Pr. João Nunes Machado

Nenhum comentário:

Postar um comentário