sábado, 4 de maio de 2013

as sete igrejas do apocalipse


TEXTO BASE AP 2: 2=3

INTRODUÇÃO 

TEMA: As 7 Igrejas do Apocalipse

Alguns estudiosos ensinam que essas 7 igrejas têm três significados proféticos:

1° Representam 7 fases da Igreja Cristã, no decorrer dos séculos, da 1.ª à 2. A Vinda de Jesus Cristo.

2° Mas ao mesmo tempo essas 7 igrejas representam também 7 tipos de igrejas que sempre existiram em todas as épocas do Cristianismo.

Atualmente (como em todas as épocas da Era Cristã) temos igrejas frias, perseguidas, mundanas,



idólatras, mortas, reavivadas e mornas.

3° O terceiro significado dessas 7 igrejas é que elas representam 7 tipos de Cristãos que sempre houve e sempre haverá dentro do Cristianismo (pelo menos até o retorno de Cristo).

E a classe que vai predominar no final dos tempos é aquela representada pela 7.ª Igreja.

É o que estamos vendo hoje.

I° Éfeso: Igreja Preocupada A igreja em Éfeso pode ter sido uma das melhores igrejas do primeiro século.

Fundado por Paulo (ver At 20: ) e pastoreada por João por vários anos depois da morte de Paulo, era uma igreja espiritualmente "em chamas" no meio de uma das cidades mais paganizadas da Ásia.

Cristo a elogiou por suas obras, paciência (perseverança), ódio do mal, por ter posto à prova aqueles que declaravam ser apóstolos e por seu trabalho por amor ao nome de Cristo (Ap 2: 2,3).

Ele também a condenou por ter deixado o primeiro amor. Durante a vida de Paulo, ela havia pregado o evangelho a toda criatura sob o céu (Cl 1: 6,23), mas ao longo dos anos suas prioridades gradativamente se afastaram do seu zelo original.

II° Esmirna: Igreja Perseguida O nome Esmirna se refere a mirra, e o processo de esmagamentousado para liberar sua fragrância simboliza a perseguição dos crentes.

A igreja local chamada por esse nome e as igrejas que existiram durante a era da Igreja que ela representa (os séculos II e III) estavam entre as mais perseguidas em toda a história do cristianismo.

Ditadores romanos de Nero a Diocleciano desencadearam várias ondas de perseguição, usndo o poder governamental em suas tentativas de destruir a Igreja.

É um milagre de Deus que a Igreja não só tenha sobrevivido àquele período, mas também lutado, crescido e se espalhado pelo Império Romano.

Assim como a mirra, quando a Igreja é esmagada com tribulações, a fragrância da sua fé é liberada. Nenhuma palavra de condenação foi expressa pelo nosso Senhor contra essa igreja.

Ao contrário, a honrou e elogiou por seu sofrimento e pobreza.

Essa cidade hoje é chamada Izmir, na atual Turquia. Policarpo, um convertido de João, pastoreou essa igreja até ser martirizado no ano 155.

III° Pérgamo: Igreja IndulgentePérgamo estava loclizada a cerca de 95km ai norte de Esmirna.

Era um caldeirão de idolatria pagã.

A igreja sofria tanto a investida de falsos apóstolos quanto daqueles que eram a favor de uma hierarquiaextremamente poderosa de "apóstolos" e sacerdotes (os nicolaítas).

Pérgamo era a capital romana da Ásia e o trono da autoridade pagã; portanto, "o trono de Satanás" estava lá.

A igreja de Pérgamo era culpada de buscar agradar a sociedade ao seu redor em vez de ao Senhor, aplainando depois o caminho para a paganização da Igreja nos séculos que se seguiram.

Elogios à parte, nosso Senhor a acusa de tolerar falsos mestres como os nicolaítas (Ap 2: 6,15)

E aqueles que ensinavam as doutrinas de Balaão (ver Nm 22-24).

Pérgamo também tinha o maior altar do mundo a Zeus.

Num sentido muito real, pode ter sido a capital do diabo para a propagação do paganismo.

Muitas doutrinas pagãs foram introduzidas na Igreja durante esse período da história.

IV° Tiatira: Igreja Negligente A carta a Tiatira, uma cidade a cerca de 64km de Pérgamo, é a mais longa das sete cartas.

Essa igreja parecia ter uma mulher como a Jezabel do Antigo Testamento, que trazia o culto pagão e grande imoralidade sexual para dentro da igreja (confira 1° Rs 18: 19).

A identidade dessa mulher de tiatira não é conhecida, exceto o fato de ser semelhante a Jezabel.

As práticas pagãs introduzidas nessa igreja tipificam o paganismo e a superstição excessivos que muitas vezes influenciavam as igrejas medievais.

Essa igreja foi condenada pelo nosso Senhor tanto por imoralidade como por idolatria.

V° Sardes: Igreja ImpotenteSardes era uma cidade rica, a 48km a sudeste de Tiatira.

No século VI a.C., era uma das maiores cidades do mundo, governada pelo renomado Creso, chamado Midas pelos gregos e conhecido por seus tesouros de ouro.

Contudo, a glória de Sardes era passada, pois a cidade caíra diante dos persas em 546 a.C. e dos gregos em 334 a.C.

Em 17 d.C., Sardes foi destruída por um terremoto e reconstruída por Tibério César.

A igreja em Sardes, como a cidade, estava em constante perigo de corrupção interna e colapso.

Sua inclusão entre as sete pode melhor ser atribuída ao fato de qye muitas igrejas locais se assemelham a ela e que essa igreja melhor tipifica aquelas que começam bem, mas perdem seu fervor espiritual depois de uma ou duas gerações ecomeça a viver dos louros do passado.

Tal era o caso de igreja moribunda de Sardes.

Quando João escreveu o Apocalipse, essa igreja local que inicialmente estivera calcada no evangelho encontrava-se espiritualmente "morta".

Isso claramente indica que João escreveu essas palavras muito depois da fundação da igreja, um dado importante para a datação do livro de Apocalipse.

VI° Filadélfia: Igreja Perseverante A cidade de Filadélfia era localizada a cerca de 45 km de Sardes.

Essa cidade foi fundada pelo rei Átalo em honra ao seu irmão e é conhecida como a "cidade do amor fraternal".

Parece ter sido uma igreja fiel, pois o Senhor muito a elogiou, sem mencionar sequer uma palavra de reprovação relativa a ela.

Tanto a igreja local quanto a era da Igreja que representa são caracterizadas pela "porta aberta".

Muitos crêem que isso se refere à evangelização mundial que caracteriza igrejas crentes na Bíblia e voltadas para a obra missionária.

Das sete igrejas descritas, Filadélfia é o modelo mais idela de uma igreja verdadeira.

VII° Laodicéia: Igreja MornaEsta igreja era localizada a cerca de 64km de Filadélfia, em uma cidade rica, repleta de cultura e conhecimento gregos.

A tradição cristã indica a relação primitiva entre Laodicéia e a igreja de Colossos.

O apóstolo Paulo escreveu uma carta, que aparentemente foi perdida, à igreja de Laodicéia (Cl 4: 16).

A designação da igreja como "morna" é tirada do contraste das fontes termais da vizinha Hierápolis com as águas puras e frias de Colossos.

Não há palavras de elogio para os mornos laodicenses.

As igrejas "laodicenses" de hoje têm "a aparência de piedade, mas [negam] a eficácia dela" (2° Tm 3: 5)

Em algumas igrejas, a Bíblia raramente é ensinada, e pecadores raramente se convertem a Cristo. Cristo ameaça rejeitar essa igreja apóstata, como se percebe com a figura de vomitar da boca.

Embora a igreja seja rejeitada, aqueles indivíduos que crêem não o são.

Uma igreja morna declara ser cristã, mas prega outro evangelho, baseado muitas vezes em obras.

Dessa maneira, representa mal diante dos homens a pessoa de Cristo e a salvação que ele trouxe ao homem.

CONCLUSÃO

1ª Éfeso: Representa o tempo em que a Igreja começou a perder o amor pela obra de Deus; é a igreja fria, logo após o tempo dos apóstolos.

2ª Esmirna: Representa o tempo em que a Igreja começou a ser perseguida; é o tempo dos mártires, na grande perseguição do Império Romano.

3ª Pérgamo:  Representa o tempo em que a Igreja se aliou ao mundo, e o mundo entrou na Igreja. É o tempo da Igreja politiqueira e mundana na Idade Média.

4ª Tiatira:  Representa o tempo em que a Igreja se misturou à idolatria, quando muitos dos seus membros se entregaram à prostituição e passaram a cultuar os ídolos.

É o tempo da Igreja na Idade Média, quando começou a adoração aos santos e aconteceu a infiltração de imagens nos templos (até hoje muitas igrejas que se dizem cristãs trazem essas marcas malignas da Idade Média).

5ª Sardes: Representa o tempo em que Igreja esteve como morta, tendo apenas alguns poucos sobreviventes, que lutavam por um reavivamento.

No final da Idade Média começou a Reforma dentro da Igreja, quando alguns começaram a despertar. Foi um tempo de muita luta e derramamento de sangue inocente.

6ª Filadélfia: Representa a Igreja reavivada, logo após o nebuloso tempo da Idade Média. É a Igreja que recebeu a promessa de ser levada do mundo antes do domínio do Anticristo.

7ª Laodicéia: Representa a pior das Igrejas.

É a Igreja de hoje, super moderna, que tem substituído o culto a Deus por muitas coisas profanas.

É a Igreja materialista e rica que acha que não precisa de mais nada.

É a Igreja que colocou Jesus do lado de fora. Representa a última corrupção da igreja, pouco antes do Retorno de Cristo, nos dias atuais.

Podemos dizer que atualmente há somente duas espécies de Igrejas no meio de tantas:

A de Filadélfia e a de Laodicéia.

Se nós estamos sabendo disso temos a grande responsabilidade de preservar a Igreja de Filadélfia e lutar contra a corrupção de Laodicéia.

A ser-viço do rei Pr. João Nunes Machado

Nenhum comentário:

Postar um comentário