quinta-feira, 16 de maio de 2013

fidelidade


TEXTO BASE SL 37: 23 = 24

INTRODUÇÃO

TEMA: FIDELIDADE

"Sê fiel até a morte e dar-te-ei a coroa da vida". Apoc. 2: 10.

A fidelidade é a observância exata da fé que uma pessoa professa.

Cumprindo as obrigações assumidas, não por força, mas por a feição voluntária.

É cumprimento escrupuloso dos compromissos aceitos.

Sem essa fidelidade, os tratos recíprocos da vida transformam-se em farrapos de papel... Sem essa felicidade, o homem perde a confiança na sociedade e cria dúvidas no caminho da vida.

Na vida espiritual dá-se o mesmo, e por isso a razão da divina advertência:

"Sê fiel até a morte e dar-te-ei a coroa da vida.



"Todos prometem a fidelidade na ocasião do trato; e cumprimento fiel, na ocasião da assinatura do pacto.

A maioria, entretanto, não continua fiel aos deveres assumidos na vida cristã.

Encontramos um dos mais perfeitos exemplos de fidelidade na vida de Daniel e seus amigos.

I° Fidelidade na pureza.

"E Daniel assentou no seu coração não se contaminar com a porção do manjar do rei". (Dan. 1: 8).

Daniel e seus três amigos voluntariamente levaram a sério esse compromisso de fé.

É o compromisso de pureza mental e espiritual.

Era uma resolução difícil entre os jovens da corte real em Babilônia.

Como prova de sua fidelidade, os seus semblantes tornaram-se mais belos depois de dez dias(DN 1: 15).

Essa pureza era a base de sua glória posterior em Babilônia e na presença de Deus.

Os jovens de hoje, os que renunciam voluntariamente aos pratos da vaidade miraculosa deste mundo, receberão também glória permanente.

O Deus vivo e verdadeiro em todo o Império Babilônico (DN 1: 29 = 30).

Os fiéis a Deus, que não se submetem à escravidão da idolatria, da riqueza humana e não se inclinam diante da vaidade carnal, serão honrados e reinarão com Cristo:

"Se sofrermos, também com Ele reinaremos; se o negarmos, também Ele nos negará" II Tim. 2: 12. (Cf.

Ap. 2: 25= 28; 3: 21; 5: 10).

II° Fidelidade na pregação.

Diante da luxúria de Belsazar, estando na posição honrosa, Daniel sem rodeios permaneceu fiel na declaração contra os pecados do rei (Dan. 5: 18= 28).

Esta fidelidade imediatamente foi recompensada da parte do rei e de Deus (Dan. 5: 29).

Hoje em dia, muitos temem anunciar a verdade clara, por causa da amizade pessoal.

Por causa dos cargos e posições lisonjeiam uns aos outros e por fim caem na desonra diante de Deus.

A palavra de Deus é como uma espada e como martelo (Jer. 23: 29; Heb. 4: 12).

III° Fidelidade na oração.

Os inimigos de Daniel, não podendo achar o motivo de acusação contra ele, procuravam acusá-lo no seu culto de adoração:

"Então estes homens disseram:

"Nunca acharemos ocasião alguma contra este Daniel,se não a procurarmos contra ele na lei do seu Deus." (Dan. 6: 4).

" Daniel com mais fidelidade orava, abrindo a sua janela para o lado de Jerusalém( 6: 10).

Pela sua fidelidade, os príncipes invejosos determinavam entregar o corpo de Daniel como alimento para leões famintos (6: 17= 18).

Os leões recusavam despedaçá-lo. Um amigo fechou a boca dos animais ferozes e Daniel saiu ileso (Dan. 6: 20-23)
 
"Orai sem cessar!" (I Tes. 5: 17). Não temais os homens ferozes e invejosos, sereis salvos pela vossa fidelidade como Paulo disse:

"Mas o Senhor assistiu-me e fortaleceu-me... e fiquei livra da boca do leão!" II Tim. 4: 17.

IV° Fidelidade na profecia.

Sendo fiel em tudo, Deus confiou-lhe também os vaticínios sobre os quatro reinos mundiais (Babilônico, Medo-Persa, Grego-Macedônico e Romano).

Recebeu claras revelações do reino de Messias, que seguirialogo ao quarto rei (Dan. 7: 9=18, 27).

Estas profecias para Daniel eram seladas (Dan. 12: 4,9),

Mas para os nossos dias reveladas (Apoc. 22: 10).

São palavras fiéis e afirmadas com juramento divino ( Dan, 12: 7; Apoc.19: 9; 21: 5; 22:18,19).

Estes vaticínios sobre os quatro reinos foram repetidos por quatro vezes em quatro modos diferentes.

Para os estudiosos e interessados deixamos as passagens:

Primeira vez no sonho de Nabucodonosor: - Dan. 2: 38= 44.

Segunda visão. Dan. 7: 2= 8.

Terceira vez. Dan. 8: 20= 24.

Quarta revelação  Dan. 11: 2= 5.

Sempre terminando com o quarto,como um rei duro, como de ferro esmagando tudo, que será Anticristo(2: 40. 7: 23, 8: 24; 11: 22).

Logo depois começa o reino do Filho de Deus( 2: 44; 7: 27).

Se somos fiéis na pureza, na piedade, na divulgação fiel do Evangelho, na oração, também seremos fiéis nas coisas Escatológicas, como o foram Cristo e os Apóstolos! Mat. 24 a 25; I Tes. 4:13= 5:1= 6; IITes. 2:1-12; II Ped. 3: 1= 14; Apoc. 5 a 22.

Quem é pois o servo FIEL E PRUDENTE, que O SENHOR CONSTITUIU sobre a sua casa, para dar sustento a seu tempo, ''bem-aventurado aquele servo que o Senhor, quando vier, achar servindo assim!'' (Mat. 24: 45= 51).

V° FIDELIDADE E FIDEDIGNIDADE Luc. 16: 10.

I – Fidelidade, atributo divino.

1. Certeza da fidelidade de Deus. Isa. 25:1; I Cor. 1:9.

2. Descrição da fidelidade de Deus.  Lam. 3: 22 e 23; I Cor. 10: 13.

3. Natureza duradoura de Sua fidelidade. Sal. 119: 89, 90 e 160; IITim. 2: 13.

4°O exemplo de Jesus. Luc. 6: 12; Mat. 4: 10; Luc. 4: 16; Mar. 12: 17.

II – Fiel testemunho dos antigos.

5. Samuel defende sua integridade.  I Sam. 12: 3 e 4.

6. Incentivo para a fidelidade.  I Sam. 12: 24.

7. A integridade de Jó.  Jó 1: 20 =22.

8. A fidelidade de Daniel.  Dan. 6: 10.

9. A firmeza de Neemias.  Nee. 6: 3 = 4.

III – Fidelidade na rotina da vida.

10. Fidelidade em cada responsabilidade. Luc. 16: 10=11.

Fazer todas as coisas com todas as nossas forças. Ecl. 9: 10; Rom. 12: 11.12.

Prova da mordomia. - I Cor. 4: 2.

IV – Recompensa da fidelidade.

13. Promessa feita aos servos que desenvolveram seus talentos. Mat. 25: 21 =23

Garantia de recompensa a todos os que perseveram.  Gál. 6: 9.

14. Feliz perspectiva para os que perseveram. Mat. 24: 13; Apoc. 2:10 (última parte).

 FRAGILIDADE HUMANA

A FRAGILIDADE DA VIDA HUMANA Sal. 90: 5-12; Jó 14:1, 2I – A vida humana.

1. É curta. É como a flor, a relva.

2. É cercada de lutas, - Sal. 90: 10.

3. É como o secar dum rio. - Jó 14: 10=12.

II – A morte.

l. É o inimigo comum de todos. - I Cor. 15: 26; Ecl. 3:1= 2.2.

É o tributo do pecado. - Rom. 6: 23.

3. É o prêmio da desobediência. - Rom. 5: 12.

III – O resgate.

l. Jesus veio para livrar-nos da penalidade do pecado. - Gál. 1: 4; ICor. 15: 22.

2. Jesus virá para os que O esperam. - Heb. 9: 28.

3. Os mortos ressuscitarão. - I Tess. 4:16 =18.

4. Us anjos levarão os ressuscitados para o céu, - Mat. 24: 30= 31.

A advertência divina. - Tito 2: 11=13.

A VIDA É PASSAGEIRA Sal. 90: 12I – O cálculo certo da vida.

1. É temporária.

a) É como a nuvem, a flor, a relva, o vapor etc.

2. É preparativa.a) Aqui não é a terra de descanso. - Miq. 2: 10

b) Somos peregrinos. - Heb. 11: 13= 16.

II – A tendência para negligenciar o cálculo.

1° Compromissos seculares.

2° Repulsa só de pensar na morte.3. Medo do futuro.

III – A sabedoria de um cálculo certo.

1. Isso moderará nossas afeições terrestres.

2. Isso nos reconciliará às nossas aflições terrestres.

3. Isso despertará em nós uma acentuada saudade duma pátria melhor e mais feliz, onde os dias sejam eternamente belos.

QUE É A VIDA?  Tia. 4: 13 =16

Comparações lindas e poéticas, profundamente solenes:

1. É uma peregrinação.  Gên. 47: 9.

2. É água que se derrama.  II Sam. 23:16-17.

3. É uma lançadeira no tear.  Jó 7: 6.

4. É um sopro.  Jó 7: 7.

5. É vaidade. Jó 7: 16.

6. É uma sombra. Jó 8: 9; 14:2; Sal. 102:11.

7. É um correio. Jó 9: 25.

8. É um navio veleiro. Jó 9: 26.

9. É uma águia. Jó 9: 26.

10. É um palmo, um nada. - Sal. 39: 5.

11. É um sonho.  Sal. 73: 20.

12. É um conto que se conta.  Sal. 90: 9.

13. É uma erva que se vai secando.  Sal. 102: 11; I Ped. 1: 24=25; Jó14: 2.

14. É um vapor ou fumaça. Tia. 4: 14

A brevidade desta vida e a eternidade da vida futura. Somente Jesus a fará eternamente feliz.

COISAS QUE OS HOMENS PODEM E NÃO PODEM FAZER

1° PODEM libertar os átomos, mas não podem unir a humanidade.

2° PODEM combater epidemias, porém não podem combater o egoísmo.

3° PODEM elevar o nível de vida, mas não podem satisfazer o coração

4° PODEM multiplicar as conferências de paz, mas não podem dar a paz.

5° PODEM idealizar como unir o Ocidente com o Oriente, porém não podem dar segurança.

6° PODEM prometer um mundo pleno de felicidade, mas não podem cumprir o que prometem.

7° PODEM prometer riquezas neste mundo, mas não podem dar esperança viva.

8° PODEM abrir minas no solo, mas não podem abrir as portas do céu.
A ser-viço do rei Pr. João Nunes Machado

Nenhum comentário:

Postar um comentário