segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

sodoma e gomorra; atuando nos dias de hoje

TEXTO BASE DEUTERÔNOMIO 29: 23

INTRODUÇÃO

TEMA: OS MALES DE SODOMA E GOMORRA, ATUANDO NOS DIAS DE HOJE

Judas, continuando a demonstrar o perigo da rebeldia, faz a terceira ilustração: o julgamento divino sobre as "cidades da planície" (Sodoma, Gomorra, Admá e Zeboim).
OBS: Ao mencionar os pecados destas cidades após a rebelião dos anjos, Judas repete o caminho utilizado por um livro apócrifo da época denominado "Testamento dos doze patriarcas", mais uma influência da tradição judaica que o autor deixa transparecer em sua epístola....

- O julgamento divino sobre Sodoma, Gomorra, Admá e Zeboim (cf. Dt. 29: 23) são a demonstração de que Deus age na história e que a rebeldia tem a justa retribuição -Gl. 6: 7; I Co.6: 9; Lc.16: 25; Rm. 2: 6.
- É bom lembrar que a "impenitência", ou seja, obstinação no pecado, daquelas cidades é considerada, na Bíblia, menor que a que ocorrer após a revelação definitiva, completa e plena de Deus na pessoa de Jesus - Mt. 11: 20-24.



I - AS IMPENITENTES SODOMA E GOMORRA
- Sodoma, Gomorra, Admá e Zeboim localizavam-se muito provavelmente na parte sul da planície do Mar Morto e estão, hoje, submersas, depois do cataclisma que foi o julgamento divino -Gn.14: 3; Os.11: 8.
- A área onde se situavam as cidades eram privilegiada e própria para a prática da pecuária, sendo próspera, como bem o demonstram o episódio da escolha da região por Ló e a guerra travada entre os reis da região e um conglomerado de nações que era o principal do Oriente naquela época -Gn.13:10,11; 14:1-3.

II - OS PECADOS DE SODOMA E GOMORRA
- A Bíblia informa que os habitantes de Sodoma eram maus e grandes pecadores contra o Senhor (cf. Gn.13: 13). Havia, pois, deliberado desejo e prática do pecado por parte dos moradores daquelas cidades. Quais eram os pecados de Sodoma ?
a) Soberba - este é o primeiro pecado registrado na criação divina. Foi o pecado do diabo e é ainda hoje presente no mundo (cf. I Jo.2:16) - Ez.16:  49.

b) Abundância de ociosidade - Deus fez o homem para trabalhar, até porque feito à imagem e semelhança de Deus, que é um ser que trabalha (cf. Jo.5: 17). Já dizia o ditado popular que "mente vazia é oficina do diabo". Em Sodoma, havia, provavelmente, uma situação de prosperidade material que favorecia o ócio. -Ez.16:49.
c) Fartura de pão - Aqui não há condenação da riqueza, mas da despreocupação, em meio à prosperidade, do cuidado para com os pobres e necessitados, tanto que, em algumas versões, a expressão é substituída por "despreocupação". Os habitantes daquelas cidades eram materialistas e buscavam o prazer acima de tudo, não tendo qualquer sentimento de solidariedade - Ez. 16: 49.

d) Pecado deliberado e desavergonhado - Os habitantes daquelas cidades pecavam abertamente, sem qualquer temor, estavam com suas mentes e consciências totalmente cauterizados (cf. I Tm.4: 2), tinham ficado imunes à admoestação do Senhor - Is. 3: 9; Gn.19:11.

e) Maldade - Os habitantes daquelas cidades tinham agasalhado a maldade em seus corações, pensando em fazer o mal continuadamente, sem qualquer freio ou senso de arrependimento. Sua vida era impiedosa. -Lm.4:6; Gn.13: 13; Gn.19: 5,6; II Pe.2: 8.

f) Mentira - Os habitantes daquelas cidades eram falsos, enganavam-se durante todo o tempo, amando e cometendo a mentira. - Jr.23: 14
g) Estímulo à prática do mal - Os habitantes daquelas cidades incentivavam, estimulavam a prática do pecado. Além de pecar, queriam que as pessoas também pecassem. Basta ver que, não demorou muito, já havia uma multidão diante da casa de Ló para que se abusasse dos hóspedes que ali estavam -Jr.23:14.
h) Sexolatria - O pecado mais conhecido dos habitantes daquelas cidades e que caracterizou tanto aquelas cidades que o homossexualismo masculino e, por extensão, toda conduta de aberração sexual passou a ser denominada de "sodomia". No entanto, este pecado é mais um efeito da deplorável situação espiritual de rebeldia daqueles habitantes do que, propriamente, a causa de sua destruição - Gn. 19:5-9, Jd.7.

OBS: A expressão de Jd.7 "ido após outra carne", que é a expressão original do grego quer dizer mantido relações sexuais com carne de outra natureza (o grego é "sarkós heteras", que dá a idéia de natureza diferente de carne).
Daí porque a tradução da Sociedade Bíblica Internacional, a Nova Versão Internacional (NVI) ter preferido traduzir a expressão grega por "relações sexuais antinaturais". De qualquer forma, a expressão originária evoca o fato de os habitantes de Sodoma quererem abusar dos anjos, que seriam seres de outra natureza, ainda que seja muito improvável que os sodomitas soubessem que se tratava de anjos.
- O modelo divino para o ser humano é a heterossexualidade - Gn.1: 27;5: 1-3; Mt.19: 4;Rm.1: 26,27.
- A Bíblia sempre condenou o homossexualismo voluntário, atitude que é típica dos rebeldes e pecadores, como demonstra a Palavra de Deus, inequivocamente, em diversas passagens -Lv.20:13; 18: 22;Dt. 23: 17; I Rs.14: 24; 15:12; 22: 47;Rm.1: 24,27; ICo.6: 10; Gl.5: 19; ITm.1: 10; Ap. 21: 8.

OBS: "...Legislou contra a imoralidade (v.7). Notemos que essa imoralidade estava aninhada na casa do Senhor. Até hoje a tendência do paganismo é associar a imoralidade com a religião..." (S.E. McNAIR, A Bíblia explicada, com. a II Rs. 23, p.138)... o apóstolo considera a ira de Deus que é eternamente contra tudo que prejudica o bem-estar espiritual da sua criação. A ira divina reprova o mal como o médico combate a doença, como um pai reprova qualquer conduta que é nociva ao caráter de seu filho(...) a sua ira, manifestada, principalmente, pelo fato de ter Deus entregado aos homens (24,26,28) ao pleno desenvolvimento das suas concupiscências naturais. Ainda hoje, e entre gente civilizada, vemos que a pessoa destituída de qualquer sentimento de responsabilidade para com Deus, tende a obedecer aos instintos de suas paixões. Os últimos versículos do capítulo apresentam um quadro terrível da depravação dos pagãos que se recusavam a obedecer à pouca luz que tinham, a da natureza. (S.E. McNAIR, op.cit., com. aRm.1, p.406-7)."

- Preocupa-nos a utilização, em versões bíblicas, de expressões que procuram retirar a idéia do homossexualismo de certas passagens bíblicas, muitas vezes aproveitando-se da própria indefinição de alguns termos hebraicos ou da Septuaginta (LXX) (a tradução para o grego das Escrituras hebraicas por volta do século II a.C.) .

 Assim, os "rapazes escandalosos", "sodomitas" ou "efeminados" de I Rs.14: 24 ("syndesmos" na LXX), de I Rs.15: 12 ("teletás" na LXX) e de I Rs. 22: 47 (inexistente na LXX, mas, em acréscimo, "endynllagmenos") das versões tradicionais são traduzidos por "prostitutos cultuais"(NVI) ou, mesmo, "prostitutas"(Edição Pastoral), bem como, já no Novo Testamento, salvo os textos de I Tm.1:10 e I Co.6:10 da NVI, que traduzem os termos gregos originais por "homossexuais", os demais são trocados por "devassos", "perversos" e "infames", expressões que, nitidamente, retiram todo o conteúdo homossexual das expressões originais "arsenokoitai" e "malakós", o que só serve para dar verossimilhança ou causar impressão a falsos ensinamentos dos apologetas do homossexualismo.

- A homossexualidade, em linhas gerais, pode ser de três espécies:
a) biológica ou orgânica (hermafroditismo) - caso raro em que o ser humano nasce com ambos os sexos, caso em que, mesmo havendo a supremacia de um sexo sobre o outro, poderá haver seqüelas que, se não bem tratadas, podem ocasionar a atração junto a pessoas do mesmo sexo.

b) psíquica (transexualismo) - distúrbio pelo qual alguém de um sexo, organicamente falando, desenvolve-se psiquicamente como pessoa do outro sexo, seja por complicações orgânicas (normalmente hormonais), seja por complicações associadas a uma educação equivocada. Este distúrbio faz a pessoa querer pertencer ao sexo oposto de toda forma, principalmente se traduz num esforço tenaz para submissão a intervenção cirúrgica que faça a transformação sexual.

c) voluntária - é o homossexualismo decorrente de uma opção da pessoa, que decide assim viver. É esta a homossexualidade mais comum e que se constitui em rebeldia deliberada contra o modelo divino para o ser humano e que é pecado, portanto. Não se deve, pois, associar-se a pessoas que não adotem este modelo divino de heterossexualidade - I Co.5:11.

OBS: "... Tomado literalmente, o texto (I Co.5:11, observação nossa) ordena a todos quantos se nomeiam pelo nome de Cristo que se recusem a aliviar a solidão do crente carnal. Até mesmo os membros da família devem cooperar com o isolamento ordenado por Deus, até que haja arrependimento.
As implicações de Paulo (contrárias à opinião popular) são as seguintes: quando nos recusamos a associar-nos, ou a comer com as pessoas que levam vidas comprometedoras, irresponsáveis, imorais, o julgamento de Deus - a vingança divina - passa a ocorrer. Podemos ter certeza disso!(...) Muitas vezes, assim nos parece, a vingança divina não ocorre.(...)Ou, como é que os crentes chegam à conclusão que o homossexualismo é aceitável, praticando-o em seguida, sem sofrer o julgamento que recaiu sobre os sodomitas que viveram nas duas cidades gêmeas da antigüidade, Sodoma e Gomorra ?

Era errado naquela época, mas certo hoje ?(...) Porventura não é hora de orarmos mais ousada e fervorosamente ? Porventura não é bem apropriado que atentemos detidamente para a advertência de Pedro:"...é tempo que comece o julgamento pela casa de Deus..."( I Pe.4:17) ?(...) É hora de nosso Deus santíssimo agir. Sim, e que ele o faça de modo significativo..." ( Charles SWINDOLL, A busca do caráter, Editora Vida, p.34-6).

- A despeito da clareza da condenação bíblica a esta prática, há quem se diga "cristão" e defenda o homossexualismo, entendendo-o permitido por Deus, o que é tão somente mais um sinal da proximidade da vinda de Jesus e da presença dos falsos mestres, que têm sido combatidos neste trimestre no estudo da carta de Judas. - II Pe.2:1,2,13, 18-22.

OBS: Não são poucos os "falsos mestres e doutores" que têm cometido tamanha falsificação da Palavra do Senhor. A Igreja Episcopal dos Estados Unidos, no "site" da diocese de New York, assim se expressa: "... A herança de plena inclusão católica do anglicanismo encoraja um espírito de respeito mútuo entre todos os povos.
Nos Estados Unidos (e particularmente em New York), a Igreja Episcopal é uma comunhão multicultural onde o batismo é o único critério consensual para uma participação igual na vida da Igreja.
'A Igreja Episcopal lhe dá boas vindas', como o sinal diz, é um convite estendido sem considerar a língua ou a raça, a orientação sexual ou de gênero(...) (tradução e grifo nossos)(www.dioceseny.org/whoweare/heritage.htm).

Nesta mesma linha de pensamento, apresentou-se um pastor de uma denominação evangélica tradicional em nosso país, que chegou a afirmar que a condenação bíblica do homossexualismo seria (pasmem!) '...moralismo farisaico' e que a Igreja deveria apoiar o projeto de lei que legaliza a união homossexual, "... descendo do falso andor de pressuposta santidade em que se coloca para assumir a angústia da Páscoa libertadora contida no projeto de lei da Deputada Marta Suplicy..."(www.orbita.starmedia.com/gaylawyers/depo2.htm).

Graças a Deus que, recentemente, este mesmo "pastor", para que não mais enganasse o povo evangélico, desmascarou-se, vez que, também, acabou afirmando que "... o Espiritismo é o mais caudaloso afluente do Cristianismo, a Bíblia o mais antigo livro de psicografia e mediunidade..." (Fátima FARIAS.
Nehemias Marien: o pastor que aceita o espiritismo.www.consciesp.org.br/artigos/02setembro.asp).
Portanto, já sabemos de onde vêm pensamentos desta natureza, ou seja, do próprio criador do homossexualismo: o adversário de nossas almas.

Graças a Deus que a Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil (CGADB), através de seu Presidente, o Pastor José Wellington Bezerra da Costa, transmitiu, pessoalmente, ao Presidente da República o repúdio ao mencionado projeto de lei e o pedido para que o mesmo, caso, algum dia, venha a ser aprovado pelo Congresso Nacional, seja vetado pelo Chefe do Governo.
- A sexolatria se insere no movimento do espírito do Anticristo de mercadorização dos homens e da destruição do ser humano.

O sexo é o terceiro negócio do mundo. 
A pornografia, v.g., ocupa mais de 80% da internet e, sem dúvida, os seus promotores serão boa parte dos mercadores citados em Ap. 18:11-15.
Ao mesmo tempo, a mídia e as grandes empresas de entretenimento vêem na erotização da infância e da adolescência uma fonte interminável de lucro, constituindo-se, aliás, num poderoso instrumento em mãos de satanistas para tentar desvirtuar os pequeninos nascidos em lares cristãos.

OBS: Quem tem estudado bem esta questão é o pastor Josué Yrion, fundador do ministério de mesmo nome, conhecido missionário, brasileiro de nascimento que faz parte do Concílio Geral das Assembléias de Deus dos Estados Unidos, cujo pensamento a respeito vale a pena transcrever :

 "...A Disney criou dois Mickey Mouses homossexuais e duas Miney Mouses lésbicas (estranho, né??), ela está ensinando o homossexualismo e o lesbianismo paraas crianças.
Num filme chamado "Sacerdote" há dois padres mantendo relações sexuais.
Adivinha quem produziu este filme???? Os católicos ficaram furiosos quando souberam que a Disney havia produzido um filme desse tipo. Em sua pregação, Yrion diz que a Disney está envolvida com oSatanismo, a Nova Era, a Pornografia e com o Ocultismo.

A Disney é um Império Satânico, que foi criada para destruir a sua casa, e o principal objetivo é acabar com as crianças. Em 1994, a Disney começou a dar desfiles de homossexuais e lésbicas. O vice-presidente dos desenhistas de personagens da Disney é homossexual. Ele tem o seu próprio esposo.
A Disney tem uma obsessão sexual, uma imoralidade. Acredite se quiser, a Disney chegou a convidar jovens e adolescentes para conhecer o maravilhoso mundo da homossexualidade (o que será que ela pretendia com isso??).

Yrion deixa claro: 
O diabo não precisa tirar as crianças da Igreja, porque ele as está destruindo dentro de sua própria casa..."(
As artimanhas do diabo.www.geocities.com/Broadway/Wing/6556/poder.htm.
tendo como fonte vídeo de pregação de Josué Yrion, na Igreja Batista da Floresta, Belo Horizonte/MG).
- A sexolatria presente é um sinal da vinda do Senhor, pois é uma característica que sempre antecede a um juízo divino, ao fim de uma civilização - Mt. 24: 37,38 c.c. Gn.6: 2,5; II Pe. 2: 4-10.

OBS: " ...O sociólogo e historiador Carle Zimmerman, em seu livro Family and Civilization (Família e Civilização), publicado em 1947, registrou algumas observações agudas que fez, ao comprar a desintegração de várias culturas com o declínio paralelo da vida familiar, nessas mesmas culturas.

Oito padrões específicos de comportamento doméstico caracterizam a queda espiralada de cada cultura estudada por Zimmerman: o casamento perde a unção sagrada...freqüentemente é quebrado pelo divórcio; perde-se o significado tradicional da cerimônia matrimonial; crescem os movimentos feministas; aumenta o desrespeito público pelos pais e pelas autoridades em geral; acelera-se a delinqüência juvenil, a promiscuidade e a rebelião; pessoas de casamento tradicional recusam-se a aceitar responsabilidades de família; grande desejo de praticar o adultério, e aceitação dessa prática; grande interesse por perversões sexuais e crimes relacionados com o sexo, e ampla divulgação de tais males.
O último padrão marca, geralmente, o estágio final da desintegração social..." (Charles SWINDOLL, A busca do caráter, Editora Vida, p.72-3).

- A sexolatria tem como conseqüência a destruição do indivíduo (sua identidade, sem falar nas doenças sexualmente transmissíveis e na aids), da família (os casamentos são destruídos e a própria instituição perde valor, dando lugar a uniões livres, a uniões homossexuais etc.) e da sociedade (a desintegração familiar é um dos principais fatores geradores do aumento da violência, da criminalidade, do uso de drogas etc.). Ora, diante deste quadro, há alguma dúvida de que se esteja diante de um trabalho do diabo ? - Jo. 10:10.
OBS: "...Paulo ordenou aos seus leitores que fugissem da imoralidade (ICo.6:18). Através dos pecados sexuais, as pessoas demonstram falta de respeito por si mesmas.

Essas transgressões também arruinam casamentos, debilitam os relacionamentos sociais e deixam cicatrizes na relação entre a Igreja e Jesus. Deus habita nos cristãos que, por sua vez, devem glorificá-Lo com suas vidas, inclusive no casamento(I Co.6: 9,10).."(Vida Radiante, O Mestre, Professor, v.14, p.168).
- O sexo no casamento : o casamento é, sem dúvida, o lugar apropriado para a prática do sexo segundo a Palavra de Deus -Gn.1: 28; 2:24; Mt. 19: 4-6.

OBS: "...O propósito de Deus é que o casamento seja monógamo (entre duas pessoas), heterossexual (entre homem e mulher) e puro (sem relacionamentos extraconjugais)(...) Em outras passagens bíblicas, Deus proíbe especificamente qualquer relacionamento entre casais fora do casamento ( Lv. 18:1-30).." (Vida Radiante, O Mestre, Professor, v.14, p.166-7).

- Aliás, a prática do sexo entre os cônjuges é um dever no matrimônio - I Co.7: 1-5
- A prática sexual não envolve apenas a procriação mas também o prazer, pois o homem foi feito sexuado por Deus e, portanto, o prazer decorrente do sexo é algo que foi criado para o homem - I Tm.4:3.
OBS: "...Estas são as três funções básicas da união do homem com a mulher: unificação, recreação e procriação. Na unificação, os dois se tornam uma só carne, o que as Escrituras Sagradas repetem por diversas vezes. Um viverá em torno do outro, para o outro e com o outro. Na recreação, o ato conjugal deve ser um prazer, e nunca um tormento ou um sofrimento.

Os dois, marido e mulher, devem sentir-se satisfeitos e alegres de se completarem neste ato.
E também na recreação, o casal sempre renova a união, recriando o vínculo matrimonial. Caso esta recreação não seja constante, a tendência é que o casamento acabe. Nisto percebemos que os casais precisam sempre se recrear, dando continuidade à união que um dia foi iniciada.

Na procriação, o casal vê o fruto de sua união e recreação, e as possibilidades de se procriarem, cumprindo assim o mandamento do Senhor...." (Osmar José da SILVA, Reflexões filosóficas de eternidade a eternidade, v.2, p.139).

- Entretanto, a sexolatria deve ser também evitada no casamento, porquanto o homem e a mulher não podem ser dominados pelo prazer nem pelo sensualismo ou erotismo. O que trasborda disto é concupiscência da carne, é obra da carne - I Co.6:12; Gl.5:19; I Jo.2:16.

OBS: "...PRAZER. ' Se você se sentir bem...' Ah! termine você mesmo o adágio. Talvez seja o ponto mais vulnerável à tentação: o prazer que significa o desejo de satisfazer-se sensualmente, não importa o custo. Pode ser tão inocente como um pequeno divertimento, ou tão sórdido como uma relação sexual ilícita.
Não estou interessado no ato, mas na atitude. 'Quero o que quero quando quero.
Vou ser feliz, preciso realizar-me, gratificar meus desejos...a despeito de...' Não, de modo nenhum saímos por aí dizendo as coisas, assim, abertamente. Entretanto, é com essa intensidade de prazer sensual que o prazer é perseguido.

E, ao fazê-lo, racionalizamos as Escrituras, baixamos padrões de moralidade, desprezamos as punções da consciência e, assim, convencemo-nos não apenas que tudo está bem, mas de que aquilo é uma necessidade ! (...) Dessas pessoas diz Paulo que são insensatas ou loucas (...)Rm.1: 21-22..." (Charles SWINDOLL, A busca do caráter, Editora Vida, p.21).

Modelo para o cristão é o "modus vivendi" do judeu no casamento, maneira esta que jamais foi criticada por Jesus quando de Sua pregação e que, portanto, corresponde à correta interpretação da lei moral a respeito: "... A castidade do jovem, que exigia uma completa continência sexual, era encarada como o prelúdio da doutrinação moral para a castidade do casamento.

Essa concepção da castidade no casamento correspondia a uma sexualidade espiritualizada, embora terrena, isenta, contudo, de vulgaridade e licenciosidade. O sábio e autoridade rabínica da Babilônia do século X, Saadia Gaon, era da opinião que '... o homem não deve ter desejo(sexual) a não ser por sua esposa, para que ela a ame e ela a ele'.(...)

A coabitação era não só um direito do marido como também um dever religioso em relação ao qual, com todas as sanções rabínicas, a esposa tinha privilégios iguais aos do marido. Não obstante, muitas eram as ressalvas e as restrições apostas pelos mestres religiosos contra os pecados da libidinagem na vida familiar. Maimônides ( médico e filósofo espanhol de origem judaica, que viveu no século XIII) dava o seguinte conselho aos casados: ' Devemos manter a regra de ouro em tudo. Não devemos nos exceder no amor (sexual), mas também não devemos reprimi-lo inteiramente, pois que a Torah ordena: 'Sede férteis emultiplicai-vos.'(Gn.1: 22)" (Enciclopédia Judaica, v.5, p.130-1).

- Em conseqüência, o casal cristão não tem liberdade para a prática de relações sexuais contrárias à natureza, bem como a freqüência a ambientes dedicados à prostituição ou a sua disseminação - I Co.6:20, Jd.7 NVI.
OBS: "...Seria errado o casal ir ao motel ?...O motel no Brasil é uma estrutura construída para preservar a identidade dos que ali entram. Certamente, a maioria das pessoas que freqüentam os motéis são aquelas que, por alguma razão, não querem que outros saibam sobre sua vida íntima.(...) Existem coisas que são lícitas, porém o bom senso muitas vezes diz que não é interessante fazer.

Os motéis oferecem estímulo sexual aos casais, através do sistema de vídeo cassete e filmes pornográficos. É muito difícil o casal não ceder à tentação de usar toda a estrutura que o motel oferece, para aumentar a excitação. É preciso sempre analisar até que ponto isto é lícito para um cristão. Um outro fator importante é que, muitasvezes, quando um casal sai do motel, a tendência é das pessoas verem só o carro, e fazerem pré-julgamento de quem estava com ela ou com ele no motel. Daí pode surgir uma calúnia que irá difamar o marido ou a esposa. Paulo tinha razão quando disse que nós temos que fugir da aparência do mal ( I Ts.5: 22)..." (Josué GONÇALVES, 104 erros que um casal não pode cometer !, Ed. Mensagem para todos, 4. ed., p.161)

"... Compreendo que o apóstolo estava se referindo ao homossexualismo masculino e feminino, porém o princípio do texto(Rm.1: 23-29, observação nossa) pode ser aplicado para responder a pergunta": '
 Sexo anal é pecado ?' Observem a expressão 'mudaram o uso natural' , o que foge àquilo que é natural, que não é normal: o sexo anal é pecado e profana o templo do Espírito Santo.
Alguns médicos dizem que a prática freqüente do coito anal pode afrouxar os músculos do ânus e esfíncter. Esses médicos postulam que a prática da relação anal por um período longo de anos pode levar a uma incapacidade total de retenção de fezes ou de gases intestinais..." (Josué GONÇALVES, op.cit., p.162-3).

III - O CASTIGO DE SODOMA E GOMORRA
- Deus não condenou Sodoma, Gomorra, Admá e Zeboim sem que, antes, lhes dessem uma oportunidade. Deus sempre se revela ao homem para que este não fique inescusável, ainda que o faça pela natureza - Rm. 1:18-20; Gn.3:9.
- Deus proporcionou àquelas cidades três oportunidades, no mínimo, além da revelação pela natureza, a saber:

a) o testemunho episódico de dois homens de Deus - Abraão e Melquisedeque - Os habitantes daquelas cidades puderam ver como Deus estava com Abraão e como ele era um homem de Deus, o Deus Altíssimo que era cultuado pelo rei de Salém. Todavia, o rei de Sodoma nada ofertou ao Deus Altíssimo e demonstrou todo seu materialismo com a única preocupação com os despojos que poderiam ser tomados por direito por Abraão que os libertara. - Gn.14:17-24

b) o testemunho diário de Ló - Os habitantes daquela cidade sabiam da conduta diferente de Ló, que era justo e considerado um estranho no seu meio, mas, apesar de contemplarem a justiça deste homem e de a testificarem, não lhe seguiram, nem mesmo os seus genros creram em suas palavras e pereceram com os demais da cidade -Gn.19: 5,9; IIPe.2: 7,8.

c) o testemunho dos anjos - Por fim, os próprios anjos, reconhecidos como pessoas estranhas pelos habitantes (ainda que não podemos dizer que tinham ciência de que se tratavam de seres celestiais), fizeram maravilhas perante aqueles habitantes, que não puderam achar a porta da casa de Ló, mas, nem assim, ficaram intimidados ou desestimulados em seus propósitos malévolos -Gn.19: 9-11.

- A situação de Sodoma é uma figura do juízo divino que virá na Grande Tribulação, onde haverá, de igual modo, haverá três testemunhos que serão recusados pelos rebeldes daquele período aflitivo da história da humanidade, a saber:

a) o testemunho de dois homens de Deus - as duas testemunhas - Ap.11: 3-13.
b) o testemunho dos justos habitantes - os "cento e quarenta e quatro mil servos de Deus" - Ap.14:1-5.
c) o testemunho do anjo do evangelho eterno - Ap. 14: 6,7

- A geração atual, entretanto, que, a exemplo das cidades galiléias, será mais impenitente que Sodoma e Gomorra, tem, à sua disposição, a graça de Deus (Tt. 2:11-15), através da qual se prega o Evangelho ( Mc.5: 42; At.5: 42) pela Igreja com a cooperação poderosa do Senhor (Mc.16: 20; At.5:12-16).

ESCLARECIMENTOS COMPLEMENTARES:
Crimes sexuais - A prática de atos sexuais em nosso direito penais somente é considerada crime (os chamados "crimes contra os costumes") quando não há o consentimento de um dos parceiros sexuais.
A legislação presume que não há consentimento quando a vítima tem menos de quatorze anos de idade, o que, entretanto, tem sido observado caso a caso pelosjuízes e tribunais diante do atual estágio de informação sobre sexo que está disponível às crianças e adolescentes na atualidade.
Assim, o sexo anal somente será crime de atentado violento ao pudor (artigo 214 do Código Penal Brasileiro) se não houver consentimento da vítima.

João Crisóstomo - Viveu entre 347-407 d.C. Seu nome era João de Antioquia, apelidado Crisóstomo, ou seja, "boca de ouro", por causa de sua eloqüência quando falava em público ou escrevia Grande pregador e estudioso da Palavra na igreja de Antioquia, seus sermões eram, também, grandes lições de teologia, sendo, também, ricas fontes de informações sobre os costumes de sua época.

Foi, também, advogado, sendo dito que jamais perdeu uma causa.
Convertido, após ter sido monge, acabou se tornando patriarca de Constantinopla (a segunda principal cidade do Império Romano naqueles dias), em 387 d.C., sendo destituído por ter condenado a vida irregular da Imperatriz Eudóxia.

É um dos principais nomes da chamada "escola antioqueana" de teologia.
Escreveu 386 cartas, muitos sermões, tratados e valiosos comentários sobre trechos da Bíblia.
Jd.7 NVI - " De modo semelhante a estes, Sodoma e Gomorra e as cidades em redor se entregaram à imoralidade e a relações sexuais antinaturais.

Estando sob o castigo do fogo eterno, elas servem de exemplo."
Testamento dos Doze Patriarcas - Livro apócrifo provavelmente escrito no século II a.C., que contém supostos testamentos dos patriarcas das tribos de Israel (os filhos de Jacó) a seus descendentes, com passagens escatológicas, demoniológicas e homiléticas.

Obra inspirada em Gn. 49, que grande influência exerceu sobre os estudiosos das Escrituras até a destruição de Jerusalém.
A serviço do rei Pr. João Nunes & Juçara Graczcki

Nenhum comentário:

Postar um comentário