quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Princípio de Imputação da Escritura

TEXTO BASE HB 4: 12 E JOÃO 6: 63

INTRODUÇÃO

TEMA: Princípio de Imputação da Escritura

HB 4: 12° “Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até a divisão de alma e espírito, e de juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração”
JOÃO 6: 63°

“O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos tenho dito são espírito e são vida.”

Jesus tornou a palavra viva para os seus discípulos (João 6: 63; Hebreus 4:12)

O princípio de imputação da Escritura nada mais é senão tornar a Palavra de Deus em uma Realidade em nossa vida pessoal.
Este princípio funciona na base de quatro passos básicos.

1 – Crer na Palavra;

2 – Se apropriar da Escritura como algo pessoal;

3 – Confessar (perante Deus, homens e demônios) o que a Bíblia diz;

4 – Agir de acordo com o que confessamos;

Vamos desenvolver os tópicos.



1 – Crer
“Jesus respondeu, e disse-lhes: A obra de Deus é esta: Que creiais naquele que ele enviou.” João 6: 29.
Quando Jesus falou aos seus discípulos que a obra de Deus é crer Nele Cristo quis dizer se nós estivermos Nele a sua obra é realizada por Ele através de nós.

Paulo explica muito bem esta verdade nestas palavras.
“Mas pela graça de Deus sou o que sou; e a sua graça para comigo não foi vã, antes trabalhei muito mais do que todos eles; todavia não eu, mas a graça de Deus, que está comigo.” I Coríntios 15:10.
O crer abre a porta dos impossíveis na presença de Deus.

“E Jesus disse-lhe: Se tu podes crer, tudo é possível ao que crê.” Marcos 9: 23.
A Igreja perdeu muito através da história quando não agiu crendo em Deus.
Durante praticamente 1. 500 anos o homem não sabia o que era a salvação por meio da fé. Mesmo a igreja descobrindo esta verdade, os cristãos continuaram enfermos fisicamente, até vir uma nova revelação afirmando que a cura pertence por direito aos cristãos, a partir daí Deus começou a liberar o seu poder curador sobre a Igreja.

Mais recente é a questão da libertação de espíritos imundos e a teologia da prosperidade financeira.
Com certeza, estas coisas não aconteceram antes de alguém crer que Deus podia e queria fazer isso.
Por isso é muito importante os cristãos velarem sobre as suas convicções e sobre aquilo que crêem.
Gostaria de deixar alguns conselhos com base na Sagrada Escritura.

1° Não limite a Deus nem a sua obra. Muitas pessoas constróem “castelos teológicos” dizendo o que Deus pode e o que ele não pode fazer. Muitas opiniões hoje são ensinadas como verdades.

O triste fato é que como medimos a Deus será a sua manifestação em nossas vidas (Provérbios 23: 7a e Lucas 6: 38). Portanto, joguemos fora nossas medidas pequenas e creiamos em toda a palavra revelada por Deus.

2- Não duvide de alguma manifestação de Deus se não a viveu, Deus não deu todas as experiências espirituais a todos os seus filhos, mas ele exige que todos creiam no que ele pode fazer.

3- Não duvide no escuro daquilo que Deus já te revelou no claro;

2 – Se Apropriar da Palavra

Este princípio é muito simples, e é o principal. Na verdade ele pega uma Escritura e a torna real na nossa vida.

“Ele, porém, respondendo, disse: Está escrito: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus.” Mateus 4: 4.
Jesus compara a Bíblia ao alimento. Assim como o pão é alimento para o corpo natural, a Bíblia é alimento para o espiritual.

O cristão que deseja ter a palavra de Deus como parte de sua vida deve tomar a Escritura Sagrada não como uma palavra de conhecimento apenas.

Deve tomar a palavra de Deus como alimento. Ela não deve entrar apenas no nosso intelecto (isso também é importante, mas não gera poder).

A palavra deve entrar no nosso espírito. Muitas vezes esse processo é lento, através da leitura, repetição e oração para que Deus avive a palavra e a torne viva em nosso interior.
Uma coisa é certa, apenas vislumbrarmos a palavra assim como olhamos um pão, não nos alimentará o espírito.

Necessitamos fazer com que a Palavra se torne parte de nós assim como um alimento que entra em nossas entranhas e nos dá vigor para podermos agir.

“Achando-se as tuas palavras, logo as comi, e a tua palavra foi para mim o gozo e alegria do meu coração; porque pelo teu nome sou chamado, ó SENHOR Deus dos Exércitos.” Jeremias 15:16.

3 – Confessar
Muitos cristãos aprenderam somente o aspecto de Confissão Negativa (a de pecados), mas nada sabem sobre a sua Confissão Positiva (afirmação de verdades espirituais sobre nossa condição em Cristo). Muitos ainda desconhecem o poder da nossa língua.

“E temos, portanto, o mesmo espírito de fé, como está escrito: Cri, por isso falei; nós cremos também, por isso também falamos.” II Coríntios 4:13.
Quem crê fala daquilo que crê. Muitos cristãos esperam as coisas acontecerem para então falar, isso é correto de certa forma mas não é fé.
A fé é antecipar uma realidade espiritual ainda não concretizada (Hb 11: 1), é dar substância aquilo que não se vê.

“Se alguém falar, fale segundo as palavras de Deus; se alguém administrar, administre segundo o poder que Deus dá; para que em tudo Deus seja glorificado por Jesus Cristo, a quem pertence a glória e poder para todo o sempre. Amém.” I Pedro 4:11

Muitos cristãos tropeçam naquilo que dizem. Costumam confessar que estão enfermos enquanto Deus diz que eles estão curados (I Pedro 2: 24).

Muitos confessam fracassos sendo mais que vitoriosos (Romanos 8: 37).
A nossa proposta não é que ignoremos as adversidades da vida, mas creio que devemos sempre dar mais valor ao que Deus diz do que ao que o homem, as circunstâncias ou os demônios andam falando.
Falemos de acordo com o que Deus tem falado.

4 – Faça de Acordo com o que você Crê e Confessa
Um desejo de Deus para seus filhos é que eles sejam íntegros.
A palavra íntegro no original significa inteiro, não dividido. Ora, se um cristão crê em alguma coisa, se apropria da escritura, confessa a palavra mas age em desacordo com o que diz é como um homem que dá graças a Deus pelo alimento e logo depois de terminada a oração murmura contra a quantidade de sal colocada no alimento.

“E seja sobre nós a formosura do SENHOR nosso Deus, e confirma sobre nós a obra das nossas mãos; sim, confirma a obra das nossas mãos.” Salmo 90:17.

CONCLUSÃO
Este Princípio de Imputação da Escritura é fundamental para uma vida cristã vitoriosa. Todos passos dependem um do outro.

Não adianta de nada a pessoa viver meditando na palavra, viver falando a Escritura e não crer no que Deus diz, ou fazer tudo isso e não agir de acordo com sua fé.
Que Deus possa nos tornar aptos para que possamos ser pessoas que vivem pela Palavra dele e Nele venhamos a dar fruto.

CONSELHOS PRÁTICOS>
Pegue um texto na bíblia que contenha uma promessa ou uma afirmação de Deus a nosso respeito ou da situação que você está vivendo;

Ore (e jejue se quiser) sobre este texto crendo no que ele diz é PRA VOCÊ (é algo pessoal);
Confesse a Palavra (afirme com fé) no seu quarto quando orar, no seu dia-a-dia quando você for confrontado e diante dos principados;

Espere o melhor de Deus, pois com estas atitudes você irá liberar o poder de Deus para atuar em seu favor fazendo milagres.

A serviço do rei Pr João Nunes

Nenhum comentário:

Postar um comentário