sábado, 26 de julho de 2014

A verdade sobre o conflito na Palestina. A política sionista. O Estado de Israe

A verdade sobre o conflito na Palestina. A política sionista. O Estado de Israel

História

Os judeus viviam nessa terra que hoje é chamada de Palestina desde mais de 1500 anos ANTES DE CRISTO.

Lá se vão no mínimo, uns 3.500 anos de território JUDAICO. Não havia palestinos. NUNCA HOUVE UMA NAÇÃO CHAMADA PALESTINA e um povo palestino.

Durante sua história, o povo hebreu sofreu muitas invasões, foi subjugado, e boa parte de sua população foi deportada como CATIVOS para diversos países, e dispersos em todo o mundo (DIÁSPORA).
Foram invadidos pelos babilônios, pelos assírios, pelos egípcios, pelos gregos, pelos romanos, pelos otomanos (turcos), e por fim, durante a segunda guerra, essa terra que antes dos judeus era chamada de CANAÃ, depois passou a ser ISRAEL, na época dos romanos recebeu o nome de Síria Palestina, foi por último, dominada pelos britânicos.

E em todas essas épocas, SEMPRE HOUVERAM JUDEUS VIVENDO nessa terra.
Nunca houve banimento total e definitivo de judeus dessa terra.


ISSO NUNCA OCORREU.
Sempre houveram judeus vivendo em Israel.
SEMPRE!

Mesmo quando Israel foi invadido pela Babilônia, com deportação e tudo, ficaram muitos judeus em Israel, vivendo em vilarejos que não foram atacados, e em cidadelas menos importantes, e no restante das cidades destruídas, ou semidestruídas pela guerra.
Após o exílio, aqueles israelitas deportados, voltaram da Babilônia, se juntaram aos que haviam ficado, misturados com os habitantes dos outros povos que invadiram a terra, e reconstruíram a nação mais uma vez.

Mas sempre foram HOSTILIZADOS, tanto pelos habitantes estrangeiros alí presentes, bem como pelos povos vizinhos.
E isso persistiu ao longo dos séculos. Sempre foram invadidos e DOMINADOS pelas outras nações . Como dito, passou pelas mãos dos babilônios, pelas mãos dos assírios, pela mão dos egípcios, pela mão dos gregos, e por fim, ROMA!

No ano 70 d.C., o general TITUS com sua tropa, cercou Jerusalém, e a manteve sitiada por um tempo considerável, matando muitos judeus de fome, e após enfraquecer aquela população, invadiu-a e matou os rebeldes que queriam independência do império romano.
Arrasou a cidade, e destruiu o templo.

Ocorreu novas deportações, nova DIÁSPORA, e da mesma maneira, SEMPRE FICOU UM REMANECENTE na terra, vivendo, tendo filhos, trabalhando, e mantendo suas tradições.
E povos estrangeiros se infiltrando no meio deles.

O tempo foi passando, e o estado judaico nunca era restabelecido da maneira que era antes, na época de Saul, Davi, Salomão, etc...
A terra de Israel recebeu dos romanos o título de Síria Palestina. Ou simplesmente Palestina.
E sempre foi território JUDAICO.

Os verdadeiros palestinos, são os JUDEUS.
Não existe um povo palestino distinto de Israel.
O próprio Israel É, e SEMPRE FOI a Palestina.
Os outros habitantes não judeus eram e sempre foram ESTRANGEIROS, que imigraram para Israel. Eram e são habitantes dos países árabes ao redor de Israel.
Quando há uma imigração de um povo para outro, esse povo passa a ser parte do que lá estava, e não uma nação diferente.

Seria como dizer que o sul do Brasil, por ter recebido muitos descendentes de alemães, deveria pedir independência do Brasil, e virar uma nova Alemanha.
Claro que isso é um absurdo.
Se os alemães vieram para o sul do Brasil, eles vão fazer filhos, e seus filhos SERÃO BRASILEIROS, não vão transformar o sul num país separado do Brasil e chamar de Nova Alemanha, ou outro nome qualquer.

A MESMA COISA OCORRE COM A TERRA DE ISRAEL, ou Palestina.
Sempre foi território JUDAICO, sempre foi um país hebreu, um país de israelitas.
De modo que as populações estrangeiras que imigrassem para lá, constituiriam descendentes ISRAELENSES, e não invadir para depois SEPARAR o território e alegarem que são povos palestinos.
Isso NÃO existe.

REPETINDO:
O nome Palestina foi dado pelos romanos.
Chamaram a terra que hoje compreende o Líbano e a Síria de Síria, e a terra dos judeus, eles deram o nome de Síria PALESTINA. Ou simplesmente Palestina.
A terra judaica, Israel, recebeu o nome de Palestina.
Portanto, os se existe povo palestino, esse povo são os JUDEUS !
Os estrangeiros, são estrangeiros, não podem reivindicar separação, e criação de estado palestino separado do estado de Israel.

Durante a segunda guerra mundial, morreram milhões de judeus, e havia uma onda de antissemitismo em todo o mundo.
Após a guerra, a ONU, recém criada, sendo uma reformulação da anterior Liga das Nações, mediou as negociações com o Reino Unido, e os britânicos, que havia tomado o controle da região durante a guerra, que não mais era de controle otomano (turco), VENDERAM a palestina para seus legítimos donos.
E finalmente, os judeus dispersos puderam sair das nações antissemitas em que viviam, e puderam regressar ao seu país de origem, E SE JUNTAR aos judeus que lá viviam, desde outrora.
Os habitantes descendentes dos povos vizinhos, que criaram raízes na terra judaica, ficaram INDIGNADOS, e se recusaram a aceitar o estado de Israel, mesmo sabendo que essa terra sempre foi judaica.

Não aceitaram as resoluções da ONU, mesmo a ONU tendo determinado que haveria partilha da terra, separando judeus de não judeus, numa terra que sempre foi judaica.
A votação na ONU determinada a separação dos palestinos judeus dos palestinos árabes.
A principio, Israel aceitou o tratado, mas os árabes que viviam na Palestina NÃO ACEITARAM.
A votação na ONU na ocasião foi 33 votos SIM, 13 Nãos, e 10 Abstenções.

Isso gerou conflitos, e os judeus sionistas (imigrantes) passaram a desalojar os árabes.
Os países árabes ao redor de Israel não queriam receber os árabes que viviam na Palestina.
E isso gerou campos de refugiados no que hoje se denomina Cis Jordânia e Faixa de Gaza.
Não demorou muito, e os povos árabes ao redor fizeram guerra contra os judeus.
Que se denominou INTIFADA, que do árabe significa “LEVANTE” ou “INSURREIÇÃO”.

Os judeus foram obrigados a se defender dos ataques de cinco países:
- Egito
- Síria
- Irã
- Jordânia
- Líbano
Todos estes se OPUNHAM a criação do estado judaico, contrariando a resolução da ONU.
Contrariando os fatos históricos de que a terra sempre foi judaica, e que os árabes que alí viviam deveriam viver nas áreas demarcadas pela ONU, ou então se legalizar, e viver como estrangeiros dentro do estado judaico.

Essa recusa dos árabes gerou a guerra que perdura até hoje.
Eles querem essas terras sob controle árabe, e não nas mãos dos judeus.
Se acham DONOS daquelas terras.
Seria como foi dito, em analogia, como se os alemães que aqui vieram morar no Brasil, se sentissem os verdadeiros donos dos estados do Sul, e reivindicassem que os brasileiros que aqui sempre viveram, e outros brasileiros que vieram de outras partes morar lá no sul, fossem banidos, e desalojados, porque agora a terra é deles, e a Alemanha ameaçasse o Brasil em guerra para obrigar a retirada dos brasileiros, e deixasse os estados do sul completamente entregues ao domínio alemão.
Isso é um absurdo !!!

É exatamente o mesmo problema que ocorre na Palestina (Terra de Israel).
As reinvindicações árabes não procedem.
Mas falam e se comportam como se aquilo fosse de direito deles.
O que nunca foi, em absoluto.
Antes da criação do estado judaico em maio de 1948, as terras ainda sob controle britânico, já ocorria imigração de judeus para sua terra de origem.
E os habitantes árabes já faziam manifestações contra a vinda desses judeus (sionistas).
Eles são aceitavam os judeus que já habitavam a região.
Mas não aceitavam a vinda de mais.

Isso gerou muitos atentados terroristas de AMBOS OS LADOS.
Pois os judeus, desesperados por causa do antissemitismo e do holocausto, queriam porque queriam a todo custo um lugar seguro para viver.
Mas não havia.
A única solução era retornar à terra de seus ancestrais.
Mas os árabes que alí residiam junto com os judeus locais, NÃO QUERIAM, E NÃO ACEITAVAM OS SIONISTAS DE JEITO NENHUM.
Isso fez a Grã Bretanha limitar o numero de refugiados judeus, e fazer um controle mais ostensivo.
A ONU então, decidiu repartir as terras, para que os árabes (SEMPRE ELES), não causassem mais tumultos e rebeliões.

Mas nem isso adiantou.
Mesmo as terras sendo judaicas a milênios, os residentes árabes, se sentiam os donos, e não queriam dividir aquela terra com outros judeus, exceto com os que já habitavam alí.
Não adiantou a partilha, e como dito, a guerra começou.
Em vez de aceitarem serem cidadãos estrangeiros, legalizados dentro do estado judaico, eles se sentiram ofendidíssimos com a presença judaica estrangeira (sionistas), e declaram guerra!

CINCO NAÇÕES contra uma só!
Israel se defendeu dos ataques destas cinco nações, e garantiu sua independência.
Como os árabes residentes na Palestina não quiseram o acordo da ONU, e como Israel estava sendo ameaçado pelas nações vizinhas, decidiu por iniciativa própria expandir seus limites, e as partes que seriam dos árabes foram tomadas, e virara terra judaica novamente.
Os residentes inconformados foram expulsos para campos de refugiados na Cis Jordânia e na Faixa de Gaza, e os árabes que aceitavam o estado de Israel permaneceram e foram aceitos como cidadãos estrangeiros, devidamente legalizados.
Como ocorre até o dia de hoje.

Quem afirma que o Estado Judaico é Nazista, é CRIMINOSO!
Está afirmando uma calúnia.
Israel é a única DEMOCRACIA que existe em todo o Oriente Médio.
Todos os países ao redor são ditaduras, ou teocracias islâmicas.
Só em Israel existe eleições livres, e um parlamento onde existe árabes e judeus.
SIM!

ÁRABES E JUDEUS.
Existe parlamentares árabes dentro do parlamento judaico, como representantes das minorias árabes que vivem legalmente, como estrangeiros dentro do território israelense.
Os árabes que vivem em Israel, e que trabalham, tem direito a carteira assinada e a direitos trabalhistas.
Tem direito a sua própria religião, assim como todos os demais religiosos.
Há cristãos, há islâmicos, há bahaístas, há ateus, há gays, existe direitos iguais entre homens e mulheres, gays são aceitos nas forças armadas, existe imprensa livre dentro de Israel, moram árabes, judeus nativos, judeus sionistas, armênios, turcos, etc, etc, etc...

Tem gente de tudo que é parte, de diferentes países do mundo.
Vivem pessoas de várias etnias, religiões e culturas diferentes, todos vivendo no meio dos judeus.
Não existe nenhuma ditadura comunista, fascista ou islâmica.
O que ocorre em Israel é uma DEMOCRACIA.

O povo judeu permite o direito de qualquer cidadão ter a religião que quiser, ou de não ter religião alguma.
Nos povos árabes ao redor, as mulheres não tem direito iguais, os gays são discriminados e mortos, os ateus discriminados e mortos, os cristãos discriminados e mortos, não existe democracia, ninguém pode exercer seus direitos de cidadãos plenamente. Exceto se for muçulmano, e mesmo assim, não existem eleições.
No Irã tem eleições, mas apenas para presidente, ninguém pode contra o Aiatolá.
Nos parlamentos dos países árabes não existem cristãos, nem judeus, nem nenhum representante de outra etnia ou religião.

Na Arábia Saudita, por exemplo, eles tem preconceito contra os árabes que vivem na Palestina.
Não são bem vistos, e os sauditas não se casam com árabes palestinos.
Há muita terra nos países vizinhos, para receber e abrigar os refugiados árabes, que não se conformam com o estado de Israel.
Mas esses países SE RECUSAM a ceder qualquer milímetro, mesmo que seja em área desértica, para receber seus irmãos de fé, com laços sanguíneos.

Todos dizem NÃO, e odeiam seus descendentes. Obrigando-os a viver na Cis Jordânia e na Faixa de Gaza.
O que os árabes querem é o fim do estado de Israel, e que aquela terra seja chamada definitivamente de Palestina, e que os árabes que existiam juntamente com os judeus nativos antes do movimento sionista sejam legítimos donos, e que os judeus que vieram depois, juntamente com os que já existiam e sempre existiram, passem a ser cidadãos estrangeiros vivendo legalmente num estado árabe.
Ou seja, é uma batalha de EGO, de ORGULHO religioso e étnico.

Os árabes simplesmente não aceitam o estado judaico.
E a mídia internacional sempre faz campanha contra Israel, mostrando fatos distorcidos, contanto sempre metade da história, escondendo outras, e passando a imagem errada dos judeus ao mundo, enganando os telespectadores ocidentais e no mundo todo.

Aqui no Brasil o que não falta é gente BURRA, IDIOTA, RETARDADA, IGNORANTE, que fica repetindo a ladainha comunista desses partidos socialistas canalhas, dizendo que o Estado de Israel é nazista, fascista, e que aquelas terras foram roubadas, que Israel não é legítimo, e que os palestinos são um povo oprimido por um invasor sórdido e cruel, e blá blá blá blá blá blá...

Toda aquela lenga lenga já conhecida, repetida como mantra ZILHÕES de vezes sistematicamente, para FIXAR isso como verdade histórica na cabeça desses índios brazucas, desse povinho tupiniquim acéfalo.
É claro que o estado de Israel é legitimo!
É claro que os árabes que vivem em Israel e que aceitam a viver pacificamente são bem tratados, e são estrangeiros legalizados e vivem muito bem junto com os judeus, e exercem sua plena cidadania, e tem direitos como qualquer cidadão e inclusive pode praticar a sua religião sem ser molestado.
É claro !

Mas isso ninguém fala.
Porque será ?
Eu sei porque!
A resposta é unicamente esta: MOTIVOS IDEOLOGICOS !
Os esquerdistas árabes, e comunistas (socialistas) do mundo inteiro fazem discurso de ódio contra os judeus, espalhando o terrorismo, fazendo propaganda antissemita, e ameaças de riscar Israel do mapa, apenas porque mora nas suas terras de origem.

A Rússia apoia o Irã. Assim como também a China o apoia.
As constantes guerras e conflitos na região existem também por motivo estratégico, que visa lucro das empresas petrolíferas.
É outra questão que envolve esses conflitos.
São interesses financeiros de grupos econômicos de DIVERSOS países, que lucram com o sobe e desce das bolsas, conforme os riscos e a instabilidade na região. São os mesmos grupos econômicos que compraram os maiores e mais influentes jornais e canais de TV do mundo, e que sempre fomentaram os movimentos socialistas ao redor do planeta, e sempre apoiaram os árabes.
Na verdade, fizeram desses conflitos um motivo de lucro e de manipulação ideológica.
São os russos, chineses, iranianos, e esses grupos econômicos que me referi que financiam as campanhas terroristas contra Israel.

Pois se na Faixa de Gaza existe pobreza, como que o grupo terrorista Hamas tira dinheiro para comprar armamentos para fazer ataques contra Israel ?
É claro que recebem armamentos russos e chineses mediante remessas feitas pelo Irã.
Em 2009, houve aquele episódio daquela frota de navios contendo ajuda “humanitária” aos árabes palestinos da Faixa de Gaza não era frota humanitária coisa alguma.
Quando os soldados israelenses se aproximaram para inspecionar a carga do navio, foram imediatamente rechaçados à balas.

Naturalmente os judeus reagiram.
Em apenas 5 minutos, os maiores jornais  e canais de TV do mundo soltaram em uníssono a notícia de que Israel TINHA ATACADO a frota humanitária que levava alimentos vestuários e remédios os coitadinhos palestinos da Faixa de Gaza.
Quando na verdade, não era frota humanitária COISA ALGUMA, mas sim, navios carregados de armamentos destinados ao grupo terrorista Hamas.
Outra covardia do Hamas, é que o Hamas se esconde através dos árabes palestinos, fazendo da população simples o seu escudo humano.

Depois que Israel contra ataca, morre civis, e a mídia canalha saia alastrando a notícia de que os judeus matam civis porque quer.
Outra coisa que não circula na mídia internacional, é o fato de que o Hamas matou milhares de árabes palestinos porque estes eram a favor do estado de Israel.
Ou seja, não pode ser a favor de judeu. Tem de ser contra. E se declarar-se a favor, MORRE !
Árabe matando árabe.
Isso ninguém fala.
Porque será que a imprensa mundial nunca noticia esses fatos ?
Porque esconde da opinião pública que o Hamas recebe armas e munições russas e chinesas através do Irã, e que recebe financiamento destes ?
AH ??

PORQUE NINGUÉM DIZ ISSO ?

NÃO DIZEM PORQUE EXISTE UMA CONSPIRAÇÃO PARA RISCAR ISRAEL DO MAPA.

É ISSO QUE ESTÁ ACONTECENDO.

E OS NOMES DELES SÃO:

RÚSSIA E OS COMUNISTAS ESPALHADOS PELO MUNDO + TODOS OS ISLÂMICOS RADICAIS.

http://averdadequeamidianaomostra.blogspot.com.br/2011/10/verdade-sobre-o-conflito-na-palestina.html



Nenhum comentário:

Postar um comentário