segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Ação de Graças – Estudo

TEXTO BASE SL 100: 1 - 5

Introdução

TEMA: Ação de Graças – Estudo

Agradecer é gratificante. Como é bom receber um agradecimento.
Agradecer a alguém não custa, mas alegra muito.

Mesmo que a palavra "agradecer" só aparece 4 vezes em nossa Concordância Bíblica e a palavra "gratidão" só duas vezes, a Bíblia menciona diversos momento de louvor e exorta a gratidão a Deus.

No presente estudo queremos relembrar o surgimento do dia de Ação de Graças e depois ver o que a Bíblia tem a dizer sobre esse tema.

Iª Desenvolvimento Histórico do dia de Ação de Graças



O dia Nacional de Ação de Graças, como o temos hoje, teve seu início nos Estados Unidos da América.

Imigrantes europeus ingleses, de origem anglicana, fugiram para os Estados Unidos, por causa a intolerância religiosa, em busca de maior liberdade religiosa e política.

Nos primeiros anos na América, passaram por grande provações e sofrimentos.
Tendo sobrevivido e começando a prosperar, resolveram agradecer a Deus e dedicar a ele um dia de Ação de Graças.

Celebravam o dia com um banquete e o assado de uma ave silvestre, o peru (Mayflower). 
As datas históricas são as seguintes: 

1° 13/12/1621, o governador, Bradford, agradece a Deus. Foi a primeira Festa da Colheita celebrada nos USA.

2° 26/11/1789, o Presidente George Washington, agradece a Deus em culto público.

3° 1725, e fixou, neste ano, a quinta-feira de novembro, como Dia de Ação de Graças.

4° 1812, o Presidente dos USA, Madison, dá ênfase ao dia.

5° 1858, 25 governadores dos USA, instituíram o dia de Ação de Graças em seus Estados.

6° 1863, o Presidente dos USA, Abraham Lincoln, deu ênfase à celebração do Dia de Ação de Graças no país.

7° 1941, o Congressos dos USA decretou o Dia de Ação de Graças como feriado nacional.

8° 1949, o embaixador brasileiro, Joaquim Nabuco, assistiu em Washington, nos USA, a celebração do dia Nacional de Ação de Graças.

Sensibilizado, proferiu um vibrante discurso na ONU, convidando as nações a fazem o mesmo e propôs o Dia Internacional de Ação de Graças, para reconhecimento da providência divina entre os homens e nações.

9° No Brasil, constituiu-se um comitê em favor da idéia, presidido pelo cardeal Motta.

10° O dia Nacional de Ação de Graças foi instituído no Brasil, pelo Presidente Eurico Gaspar

Dutra, pela lei 781, de 17 de agosto de 1949, na qual foi fixada a data de 27/11, conforme o decreto 58.298 de 10/11/1965, que regulamentou a lei, estabelecendo o dia de Ação de Graças para ser celebrado em todos os Estados do Brasil, com manifestações particulares e públicas, de agradecimento a Deus, pelos benefícios concedidos à nossa pátria e ao povo brasileiro.

Finalidade. Caráter cívico-religioso: 

1° Reconhecer e proclamar a legítima soberania de Deus sobre todas as nações como supremo Criador e regedor dos povos. 

2° Aproximar os homens, fazendo-os sentirem e viverem a verdadeira fraternidade de filhos de Deus, que devem se amar, respeitar e buscar o bem estar comum.

- Durante o regime militar, a SNBB sabotou o Dia Nacional de Ação de Graças.

Não só descumprindo a lei, como excluindo o dia do seu calendário oficial, até o governo Geisel.
Em conseqüência, o grupo Bradesco, presidido por um empresário evangélico, o Dr. Amadeu Aguiar, assumiu a data, dando-lhe sentido ecumênico e repercussão nacional, na "Cidade de Deus", em Osasco, SP.

- Hoje a data é celebrada em mais de 150 nações.

- Fatos pitorescos do Brasil: Cristóvão Colombo ao pisar solo americano em 1492, agradeceu a Deus e entoou o Te Deum.

Pedro Alvares Cabral, em 1500, ao pisar em solo brasileiro, ergue a cruz e celebrou a primeira missa.
- O Dia de Ação de Graças é hoje celebrada na última quinta-feira da semana cheia de novembro.

II. O agradecer e louvar na Bíblia 
O Antigo e o Novo Testamento convidam os fiéis, o povo redimido por Deus, por inúmeras passagens, a darem graças a Deus em todos os momentos de sua vida. Isto não impede que se fixe um dia especial para isso.

Em toda a Bíblia temos exemplos de indivíduos que em diversas situações agradecem a Deus pelas muitas bênçãos recebidas.

Podemos citar como exemplo: Noé, Salomão, Jesus, o apóstolo Paulo, e as congregações do Novo Testamento.

1° Noé, após um ano na Arca, ao desembarcar com seus familiares, ofereceu sacrifícios de louvor a Deus (Gn 8. 20,21). 

2° Salomão, mil anos antes de Cristo, ao dedicar o Templo, ofereceu a Deus 20 mil bois e 100 mil ovelhas (1° Rs 8. 62).

3° Observando a vida de Jesus conforme os evangelhos, vemo-lo agradecer a Deus pelo alimento (Jo 6.11,23),

Pela resposta às orações (Lc 22.17,19),

Pela saúde (Lc 17.16),

Pelo pão na santa ceia (Lc 22.17,19).

4° O apóstolo Paulo, em suas epístolas, agradece publicamente a Deus em várias igrejas por bênçãos como:

o alimento (At 27. 35; Rm 14.6; 1° co 10. 30; 1° Tm 4.13),

Pela paz (At 24. 2) e livramento de perigos (At 27. 35; 28. 15).

Agradece em suas cartas às igrejas na Europa (1° Co 1. 3; Rm 1. 8; 1° Ts 1. 2; Ef 1.15),
Pela graça (1° Co 1, 4.; 2° Co 1.11; 4.15).

Agradece pela comunhão no evangelho (Fp 12.13) e pelo crescimento do evangelho (Fm 4).

5° O apóstolo Paulo agradece pessoalmente a Deus, aos irmãos e às Comunidades por todo o amparo (Rm 7. 25; Rm 16. 4; 1° Co 1.14; 14.18; Fm 4; 1 Ts 5.18; Rm 1. 21; 1° Co 1.4; Cl 4.2; Fp 4. 6; Cl 3.17.; Ef 5. 4).

As orações no Novo Testamento tem sua base nos Salmos do Antigo Testamento.

A terminologia do agradecer nas Escrituras.

A palavra agradecer (original e sinônimos) aparece mais de 60 vezes no Antigo Testamento.

Temos 26 Salmos que exortam ao louvor.

No Novo Testamento a palavra aparece mais de 100 vezes.

As palavras hebraicas são "Yada" e "Todah" e no grego "eucharisteuo" e "echaristia".

São as palavras hebraicas, aramaicas e gregas para agradecer.

Em adição temos "exhomilogeo" que é usado em Mt 11. 25.

Nos salmos a palavra "Yada" significa restritamente dar graças, louvar, celebrar.

A palavra "Yada" ocorre cronologicamente antes dos salmos em levíticos, 2 Samuel, 1 e 2 Crônicas, em alguns Salmos, em Esdras, Neemias, Isaías, Jeremias, Daniel, Amós e Jonas.
Agradecimento no AT, antes dos Salmos

Nos dias de Moisés, Deus deu diretrizes sobre como e quando agradecer, instituindo certos sacrifícios, cujo elemento principal era agradecer a Jeová Elohim (nome de Deus no AT).

Entre as três festas anuais do AT, que os fiéis deveriam observar, estava a Festa das Primícias.

Quando observavam estas festas, era lhes requerido trazer os primeiros frutos do seu trabalho.

Deveriam trazer também os frutos na festa dos manjares, que era celebrado no fim do ano (Lc 23.16).

Em Levíticos, Moisés mostrou como esta festa dos manjares deveria ser festejada.

Uma ovelha, animal de um ano e sem defeito, deveria ser trazida diante de Deus, como oferta de expiação.

O povo que celebrava esta festa era instruído também a não colherem toda a lavoura, deixando os cantos para os pobres e necessitados.

Quando agradeciam, os pobres não deveriam ser esquecidos.

Instrução específicas nos Salmos sobre o agradecimento
É notório que só os fiéis, os filhos de Deus são aptos para trazerem agradecimento aceitável a Deus.

Ateístas e agnósticos que não crêem em Deus, não podem agradecer a Deus.

Também aqueles que rejeitam os ensino e mandamentos de Deus não podem agradecer verdadeiramente a Deus. Isto mostra porque o Dia Nacional de Graças é algo diferente do que o verdadeiro louvor ao Pai, doador de todos os dons perfeitos.

Cristãos agradecem a Deus pela vida e os dons para poderem atuar na terra.

Qualquer tempo é próprio para louvar e agradecer a Deus.

No maior salmo, provavelmente de Esdras, se afirma:

"Levanto-me à meia-noite para te dar graças, por causa dos teus retos juízos (Sl 119. 62).

Lugares para agradecer. No Salmo 100, o salmista anônimo convida os seguidores de Deus:

"Celebrai com júbilo ao Senhor, todas as terra. Servi ao Senhor com alegria, apresentai-vos diante dele com cânticos" (Sl 100.1,2).

Um dos elementos principais no culto divino é dar graças. Se isto é feito na casa de Deus, poderá ser feito também na vida devocional, nos lares, como vários salmos o atestam.
Agradecimentos entre as nações.

Davi coloca a seguinte ordem: "O Deus que me livrou dos meus inimigos; sim, tudo que me exaltaste acima dos meus adversários, e me livraste do homem violento.

Glorificar-te-ei, pois, entre os gentios, ó Senhor, e cantarei louvores ao teu nome" (Sl 18. 48,49). Temos aqui uma ênfase à obrigação missionária de proclamar o temor de Deus entre as nações.

O salmista Asafe afirma: "Graças te rendemos, ó Deus, graças te rendemos, e invocamos o teu nome, e declaramos as tuas maravilhas" (Sl 75.1).

E em outro salmo: "Rendei graças ao Senhor, invocai o seu nome, fazei conhecidos, entre os povos os seus feitos.

Cantai vós as suas maravilhas. Gloriai-vos no seu santo nome, alegre-se o coração dos que buscam o Senhor." (Sl 105.1,2).

É importante, no dia de Ações de Graças, levantar também uma oferta especial para as missões.
A dualidade do agradecer e louvar. Em muitos Salmos, o louvor é associado ao agradecer.

Por exemplos: "Salmodiai ao Senhor, vos que sois seus santos, e daí graças ao seu santo nome!" (Sl 30.4; Sl 40). Nota-se, novamente, que só os "justos" e os "santos" podem louvar a Deus, isto é, os filhos de Deus pela fé em Cristo.

Os dons pelos quais dar graças.

Em muitos Salmos os "santos" são convidados a agradecerem ao santo nome de Deus.

Os fiéis do Antigo e do Novo Testamento louvam o santo nome de Deus.

O que significa o nome de Deus? É a forma como Deus se revelou a nós em sua palavra.

Honrar o Deus Triúno, o Criador, Salvador e Santificador. Jesus no-lo ensina na oração do Pai Nosso.

Por que agradecer. – "Rendei graças ao Senhor, porque ele é bom, porque a sua misericórdia dura para sempre" (Sl 136.1).

Isto é repetido nos salmos 136. 2; 107.1; 118.1.

Agradecer e louvar são práticas contínuas. -O salmista nos encoraja a louvarmos a Deus sempre. "Quanto a nós, teu povo, e ovelhas do teu pastor, para sempre te daremos graças; de geração em geração proclamarmos os teu louvores" (Sl 79.13).

As bênçãos do agradecer.

Davi afirma: "Assim os justos renderão graças ao teu nome: os retos habitarão na tua presença" (Sl 140.13).

Na escatologia, os fiéis são lembrados de que viverão na presença de Deus, num permanente louvor. Isto deve animar a nossa alma nos sofrimentos desta vida, como afirma o salmista:

"Por que estás abatida, ó minha alma?

Pior que te perturbas dentro em mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, e ele, meu auxílio e Deus meu" (Sl 42.5).

No Novo Testamento reconhece os cânticos dos Salmos e usa os mesmo em muitos momentos.

Jesus o usou: "Porque onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, ali estou no meio deles" (Mt 18. 20).

Louvar e agradecer a Deus deve ser algo constante na vida de cada cristão, tanto em particular, como na família, no culto e na sociedade.

Louvar pode acontecer no silêncio do coração, na solidão, mas deve também brotar dos lábios diante das pessoas que nos cercam, quer por declamação ou cânticos, e é também confissão vigorosa e forte, como ação missionária.

que Deus Espírito Santo erga nossos corações ao louvor vibrante e forte em todos os momentos e na congregação dos justos. Amém.

(Horst Kuchenbecker - Porto Alegre, 10/11/2000)

Tags: Andam, Bíblico, Caminho, Cristo, Cruz, Deus, Escrituras, Evangelho, Glória, Jesus, Palavra, Pastor, Porta, Poucos, Salvação, Salvador, Satanás, Verdade, Vida

A serviço do rei Pr. João Pr Nunes

Nenhum comentário:

Postar um comentário