domingo, 7 de setembro de 2014

QUANDO NÃO VIGIAMOS, OS INIMIGOS PASSAM A CONVIVER CONOSCO

TEXTO BASE I Tm 4: 1

INTRODUÇÃO

TEMA: QUANDO NÃO VIGIAMOS, OS INIMIGOS PASSAM A CONVIVER CONOSCO 

1. Mas o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios;
2. Pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada a sua própria consciência;

Estamos vivendo dias perigosos em que o mundo está invadido de espíritos enganadores e doutrinas de demônios.

Isso tem tornado as coisas tão parecidas que, se não tivermos discernimento do Espírito Santo em nosso abalizamento com as coisas de Deus e os movimentos paralelos, seremos enganados também (Mt 24: 5, 11).

Obs:
1• Uma vez por outra, aparece um Jacó disfarçado de Esaú – Gn 27:18-24

O disfarce pode ser praticado por pessoas de ambos os sexos e idade.

Por exemplo:


PODE SER UM SENHOR JÁ IDOSO – Gn 12: 10-20;

PODE SER UMA MULHER JOVEM – Gn 38:14;

PODE SER UM SERVO – II Rs 5:20-27;

PODE SER UM REI – I Sm 21:13;

PODE SER UMA RAINHA – I Rs 14:1-6;

PODE SER UM PRÍNCIPE – II Sm 12:1-5;

PODE SER UMA PRINCESA – I Sm 19:12-17;

PODE SER UM CRENTE, EM SENTIDO GERAL – At 5:1-10;

PODE SER UM OBREIRO – Lc 22: 48;

Entretanto, o engano não traz à criatura humana nenhuma recompensa.

Quem engana, sempre é enganado – II Tm 3:13

QUANDO NÃO VIGIAMOS, SEREMOS ENGANADOS PELA FALSA HUMILDADE – Js 9: 13

Vejamos algumas características com respeito à falsa atuação dos gibeonitas:

1• FINGIRAM PROPÓSITOS PACÍFICOS, OFERENCENDO ALIANÇA – Js 9: 6;

2• FINGIRAM SUBMISSÃO – Js 9: 8

3• FINGIRAM PIEDADE – Js 9: 9

O apóstolo Paulo falou-nos de pessoas que tem quase as mesmas características em nossos dias, dizendo: 

“Tendo a aparência de piedade, mas negando a eficácia dela” – II Tm 3: 15.

E concluiu: “Confessam que conhecem a Deus, mas negam-no com as obras” – Tt 1:16a.

A falsa capa da religião não assegura entrada no reino de Cristo, mas, sim, o branquejar das vestes no sangue do Cordeiro! Apc 22: 14.

QUANDO NÃO VIGIAMOS, OS INIMIGOS PASSAM A CONVIVER CONOSCO – Js 9: 22 

A partir daí, Israel passou a conviver com um “corpo estranho” no seio da comunidade. Nos dias pós-cativeiro, esta mistura ainda continuava convivendo com Israel – Ed 2: 70; Ne 7: 73.

Em conseqüência de sua precipitação, fizeram os israelitas uma comprometedora aliança com os moradores de Gibeon.

E, desta aliança, advieram males e transtornos para o povo de Israel.

De igual modo, se não vigiarmos, poderemos cair nas mesmas ciladas.

E, comprometidos, espiritual e socialmente, não seremos capazes de desempenhar com dignidade o ministério que nos confiou o Todo-Poderoso.

Os gibeonitas continuam a semear enganos e embustes no arraial dos santos.
São embustes e enganos tão sutis que somente poderão ser discernidos por aqueles que se mantém ligados ao céu.

CONSIDERAÇÕES FINAIS:
O cristão que não ora, pensa que pode resolver tudo sozinho, como tomar decisões, comprar, vender; etc, tornando-se independente de Deus.

Mas, lembremo-nos: 
O erro de Israel foi que “NÃO PEDIU CONSELHO À BOCA DO SENHOR”.

É perigoso agir apressadamente e chegar a uma decisão sem ter tempo para orar e esperar em Deus.
George Müller foi consultado por um homem que recebera a oferta de um negócio que prometia grandes lucros:

“Preciso dar uma resposta dentro de uma hora”, disse o homem.

O Sr. Müller respondeu: 

“ENTÃO A RESPOSTA É NÃO, POIS AQUILO QUE NÃO DEIXA TEMPO PARA ORAÇÃO, NÃO PODE ESTAR CERTO”.

A serviço do  rei, Pr João Nunes  Machado

Nenhum comentário:

Postar um comentário