sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

o campo de batalha

O CAMPO DE BATALHA

Ao raiar o dia 1° de setembro de 1939, as tropas da Alemanha nazista iniciaram a invasão da Polônia, tendo como objetivo principal a retomada de um território conhecido como “corredor polonês”, que ligava a Polônia ao Mar Báltico.

A partir dessa ação alemã eclodiu um dos conflitos mais sangrentos da história:
a Segunda Guerra Mundial. De 1939 a 1945, os países do eixo (Alemanha, Itália e Japão) e os aliados (Inglaterra, a extinta

União Soviética, França e Estados Unidos e outros, como o próprio Brasil) se enfrentaram em diversas batalhas que produziram um terrível saldo de mais de 50 milhões de mortos e quase 30 milhões de mutilados.

Iniciei este capítulo com a descrição de uma guerra travada entre humanos por perceber que muitos falam e ensinam sobre o tema “batalha espiritual”
Como se ele ocorresse exatamente do mesmo modo que acontecem as guerras em nosso mundo físico.

A Grande

Batalha

Espiritual



Com pouco mais de duas décadas de caminhada cristã, já ouvi relatos de irmãos emocionados que afirmam ter visto anjos sangrando no meio da igreja após um embate ferrenho contra as hostes de Satanás, ou a visão do exército celestial frente a frente com o exército das trevas, prestes a se enfrentar, disputando o controle de um determinado território.

Meu objetivo aqui não é o de ridicularizar as experiências de irmãos sinceros, mas ampliar a visão que temos sobre batalha espiritual, porque na maior parte das vezes este conflito é travado de uma maneira totalmente silenciosa e bem menos spielberguiana do que se possa imaginar.

Todavia, isso não significa que esta guerra seja menos séria, que possamos vencê-la com meia dúzia de jargões evangélicos ou que seus efeitos possam ser menos maléficos.

Pelo contrário, quanto mais sutis forem as investidas do Inimigo, mais preparo e vigilância para vencer seus ardis o cristão deverá ter.

A batalha na mente

Embora pese pouco mais de um quilo, o cérebro humano é o mais complexo e organizado arranjo de matéria que existe em todo o planeta.

Tem em média 100 bilhões de neurônios (com cerca de 100 trilhões de conexões), que, em conjunto, conseguem realizar tarefas com mais eficiência do que os supercomputadores mais poderosos que existem na atualidade.

O número de ligações entre os neurônios de um único cérebro humano é superior ao número de todos os computadores do

planeta que estão ligados hoje à rede mundial de computadores – a Internet.
A maioria dos cientistas dos nossos dias concorda que o cérebro é o órgão que coordena o funcionamento do restante do corpo, incluindo o funcionamento até do coração.

O Campo de Batalha

Em toda a sua complexidade e importância, o cérebro humano – que podemos traduzir por “mente”, em seus aspectos relacionados ao pensamento– é o palco principal onde o cristão trava sua batalha contra Satanás e o seu império.

É por isso que o sábio Salomão, inspirado por Deus, escreveu o texto de Provérbios 4. 23, que diz: “Acima de tudo, guarde o seu coração, pois dele depende toda a sua vida”.

É importante compreendermos que, para os hebreus, a palavra “coração” era usada para designar a sede dos pensamentos, dos sentimentos e da vontade humana.

Por essa razão, algumas traduções da Bíblia substituem a palavra “coração” pela palavra “pensamento”.

Então, esse mesmo texto de Provérbios poderia ser escrito assim: “Acima de tudo, guarde os seus pensamentos, pois deles depende toda a sua vida”.

Pelo fato de nossa vida depender do tipo de pensamento que desenvolvemos (que produzimos), Satanás, que é um ser muito inteligente e conhece o ser humano de maneira profunda, busca “lançar suas sementes” na mente humana para que o homem pense, aja e reaja de acordo com a sua vontade.
Quero deixar bem claro que estou me referindo à mente do cristão, que, por pertencer a Cristo, não pode ser invadida pelo maligno e por nenhum de seus súditos.

A mente do cristão se torna um verdadeiro campo de batalha porque o trabalho paciente e incansável do Diabo é o de tentar manipulá-la por meio de pensamentos errados, impressões equivocadas e desejos distorcidos.

O objetivo do Adversário é que o servo de Deus seja totalmente derrotado ou pelo menos viva abaixo das expectativas que o Senhor tem para a sua vida.

Sim, a mente humana é o maior campo da batalha espiritual entre os homens e os demônios O apóstolo Paulo, em 2 Coríntios 5.19,20, fez a seguinte declaração:

“...Deus em Cristo estava reconciliando consigo o mundo, não levando em conta os pecados dos homens, e nos confiou a mensagem da reconciliação.

Portanto, somos embaixadores de Cristo, como se Deus estivesse fazendo o seu apelo por nosso intermédio...”.

A serviço do Rei. Pr João Nunes Machado

Nenhum comentário:

Postar um comentário