sábado, 4 de abril de 2015

noé o homem que obedeceu a deus

TEXTO BASE GN 6: 9

INTRODUÇÃO

TEMA: NOÉ, O HOMEM QUE OBEDECEU A DEUS

Noé é um dos maiores personagens da Bíblia. Sua vida íntegra e reta diante de Deus, fez com que ele e sua família fossem salvos do dilúvio. Mesmo vivendo em meio a uma geração corrompida e perversa, Noé achou graça diante do Senhor, e alcançou testemunho de que era justo e reto, e andava com Deus (Gn 6. 9).

I. QUEM FOI NOÉ?

Noé era filho de Lameque, o décimo descendente de Adão (Gn 5. 28,29);

O nome Noé vem de um termo hebraico que significa “alívio”, “descanso” ou “consolo”;

Teve três filhos: Sem, Cão e Jafé (Gn 5. 32; 9.18,19);

Construiu uma arca por ordem divina (Gn 6.11-22);

Reuniu os animais na arca e entrou nela com sua família;

Após o dilúvio, saiu da arca com sua família, edificou um altar e ofereceu holocaustos a Deus (Gn 8. 16-20);
Tornou-se o segundo pai da raça humana (Gn 9.18,19);

Sua história é mencionada em Gn 5.28-10.32;

É um dos integrantes da galeria dos heróis da fé (Hb 11.7);

Ele é mencionado nas Escrituras como pregador da justiça (II Pe 2. 5).

II. CONTEXTO SOCIAL DO TEMPO DE NOÉ

Os dias de Noé não eram muito diferentes dos dias atuais. Vejamos o que as Escrituras descrevem acerca daquela geração:

1. Uma geração caracterizada pela Maldade: Desde que o pecado entrou no mundo, a maldade passou a fazer parte da história da humanidade.

No entanto, à medida que a humanidade ia se multiplicando, multiplicava-se também a maldade:

“E viu o SENHOR que a maldade do homem se multiplicara sobre a terra e que toda a imaginação dos pensamentos de seu coração era só má continuamente” (Gn 6. 5).

2. Uma geração caracterizada pela Corrupção: Outra característica daquela geração era a corrupção.

As Escrituras afirmam que “A terra estava corrompida diante da face de Deus…” (Gn 6.11).

O homem perdeu o poder de fazer o bem e, a geração antediluviana vivia mergulhada em práticas pecaminosas e imorais.

3. Uma geração caracterizada pela Violência: A maldade e a corrupção daquela geração abriram as portas para a violência.

Os homens dos dias de Noé viviam agredindo-se mutuamente, pois as Escrituras afirmam que “… encheu-se a terra de violência” (Gn 6.11 b).

4. Uma geração caracterizada pela Incredulidade: Como se não bastasse a maldade, a corrupção e a violência, aquela geração também era caracterizada pela incredulidade, pois não deram crédito à pregação de Noé “pregoeiro da justiça” (II Pe 2. 5).

 Nem mesmo a observação do milagre da entrada dos animais na arca, fez com que eles tomassem a iniciativa de arrepender-se dos seus pecados e entrar na arca para salvar as suas vidas.

Tudo isto fez com que Deus tomasse a iniciativa de destruir a sua criação e, através de Noé, dar início a uma nova geração.

III. ASPECTOS DO CARÁTER DE NOÉ



Apesar de viver em meio a uma geração cheia de corrupção e maldade, Noé teve uma vida reta e íntegra diante de Deus.

Vejamos alguns aspectos do seu caráter:

1. Noé era Justo e Reto: Não é à toa que Moisés, inspirado por Deus, declara que Noé era varão justo e reto em suas gerações (Gn 6.9).

Esta declaração foi feita exatamente para revelar o contraste entre o comportamento de Noé e o dos seus contemporâneos, que, com certeza, praticavam injustiça.

Ele também é descrito como justo em Ez 14.14,20.

2. Noé andava com Deus: Tal qual Enoque, Noé também é descrito como um homem que andou com Deus (Gn 5. 24; 6. 9).

A expressão “andar com Deus” aponta para a sua conduta, caracterizada pela vida de comunhão e obediência a Deus.

3. Fé: Noé é um dos integrantes da Galeria dos Heróis da Fé.

O escritor aos hebreus diz: “Pela fé Noé, divinamente avisado das coisas que ainda não se viam, temeu e, para salvação da sua família, preparou a arca, pela qual condenou o mundo, e foi feito herdeiro da justiça que é segundo a fé.” (Hb 11.7).

Quando avisado sobre o dilúvio, Noé não hesita e nem questiona.

Ele crê! E foi por causa de sua fé, que, tanto ele como a sua família, foram salvos da destruição.

4. Obediência: A obediência de Noé, era, sem dúvidas, uma das principais características do seu caráter.

Podemos ver isto, pelo fato de que Noé obedeceu a voz de Deus: Ao construir a arca (Gn 6. 22);

Ao entrar na arca juntamente com sua família (Gn 7.13);

Ao colocar os animais na arca (Gn 7. 8,9,14); Ao sair da arca, junto com os seus (Gn 8.15-18).

Por duas vezes as Escrituras afirmam que Noé fez “conforme a tudo o que o SENHOR lhe ordenara” (Gn 6. 22; 7.5).

5. Devoção: Ao sair da arca com sua família, Noé edificou um altar e ofereceu holocaustos ao Senhor (Gn 8. 20). Isto demonstra que Noé cultivava uma vida de devoção à Deus, pois, altar e holocausto representam oração, adoração e consagração a Deus.

IV. NOÉ, UM HOMEM FALÍVEL COMO NÓS

A bíblia é um livro imparcial. Ela nos revela tanto as virtudes e qualidades dos personagens, bem como suas falhas e defeitos. Isto também pode ser visto na vida de Noé.

Apesar de ser um homem justo, reto e de andar com Deus, Noé, após o dilúvio, plantou uma vinha, embriagou-se e mostrou a sua nudez (Gn 9. 20-27), perdendo momentaneamente a sua reputação.

Com este incidente na vida de Noé, aprendemos sobre a necessidade de sermos vigilantes em todo o tempo, pois, as tentações nos sobrevem durante toda a nossa vida (I Co 10.12; I Pe 5.8; Ap 3.11).

V. UM NOVO RECOMEÇO

O propósito divino era fazer com que o dilúvio fosse, tanto destrutivo como construtivo, pois, através do dilúvio Deus estaria destruindo aquela geração e estabelecendo um novo começo para a humanidade.

Três coisas novas acontecem:

1º Uma nova geração: Tendo em vista que aquela geração ímpia pereceu nas águas do dilúvio, a raça humana começa a multiplicar-se, através de Noé e de seus filhos.

De certo modo, Noé tornou-se o segundo pai da raça humana (Gn 9.18,19);

2º Um novo estilo de vida: Ao sair da arca, Deus abençoou Noé e sua família e lhes deu orientações sobre o modo de vida que eles deveriam ter, apartir de então (Gn 9.1-8);

3º Um novo pacto: Deus estabelece um pacto com Noé, e lhe promete que nunca mais haveria dilúvio para destruir a terra (Gn 9.11).

Um arco, então, foi colocado nas nuvens, como sinal daquele pacto (Gn 9.13,17).

CONCLUSÃO

A história de Noé nos leva a refletir sobre o nosso viver de maneira íntegra, em meio a uma geração má e perversa. Noé não se deixou ser levado pelas práticas pecaminosas de sua geração.

Por isso, achou graça diante de Deus e foi poupado, juntamente com sua família daquela inundação.

Semelhantemente, aqueles que forem fiéis à Deus, e “entrarem na arca”, serão, no futuro, poupados do juízo vindouro.
A serviço do Rei, Pr João Nunes machado

Nenhum comentário:

Postar um comentário