quarta-feira, 18 de novembro de 2015

A OBRA DO ESPÍRITO NA SALVAÇÃO – PAERTE VIII

TEXTO BASE JO 16:  8 - 11

INTRODUÇÃO 

TEMA: A OBRA DO ESPÍRITO NA SALVAÇÃO – PAERTE VIII

8. Nisto é glorificado meu Pai, que deis muito fruto; e assim sereis meus discípulos.

9. Como o Pai me amou, também eu vos amei a vós; permanecei no meu amor.

10. Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor; do mesmo modo que eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai, e permaneço no seu amor.

11. Tenho-vos dito isto, para que o meu gozo permaneça em vós, e o vosso gozo seja completo.

A. Convencimento (Jo 16: 8-11). 

1. Definição. Convencer (Jo 16: 8) significa esclarecer a verdade do evangelho perante a pessoa não salva, de modo que seja reconhecida como verdade quer a pessoa receba ou não a Cristo como seu Salvador. 

2. Detalhes. 

a. Do pecado. O estado pecaminoso do homem se deve à sua incredulidade, 

b. Da justiça. O homem é convencido da justiça de Cristo porque Ele ressurgiu e ascendeu à direita do Pai. 

c. Do juízo. O Espírito convence sobre o juízo vindouro porque Satanás (o maior inimigo) já foi julgado.

B. Regeneração (Tt 3: 5). 
1. Definição. O ato divino de geração espiritual, pelo qual Ele comunica vida eterna e nova natureza. 

2. Meio. É obra de Deus, particularmente do Espírito (Jo 3: 3-7; Tt 3: 5). 

A fé é o requisito humano em presença do qual o Espírito regenera, e a Palavra de Deus fornece o conteúdo cognitivo da fé. 

3. Características. 



a. É um ato instantâneo, não um processo (embora seus antecedentes e conseqüências possam ser processos), 

b. É não-experimental (não se deriva ou baseia em experiência, embora seja seguida das experiências comuns ávida cristã). 

4. Conseqüências. 

a. Uma nova natureza (2 Co 5: 17). 

b. Uma nova vida (1 Jo 2: 29).

C. Habitação (1 Co 6: 19). 

1. As pessoas habitadas. Todos os verdadeiros crentes, porque: 

a. Mesmo crentes em pecado desfrutam da habitação (1 Co 6:19). 

b. O Espírito é um dom (Rm 5: 5). 

c. A ausência do Espírito é prova da condição de não-salvo (Rm 8: 9b). 

2. A permanência da habitação. 

Os crentes podem perder a plenitude do Espírito, mas não a Sua habitação. (Jo 14: 16). 

3. Problemas com a habitação. 

a. A obediência é uma condição (At 5: 3 2)? Sim, mas a obediência à fé cristã (At 6: 7; Rm 1: 5). 

b. Algumas pessoas não foram apenas temporariamente habitadas? Sim, mas apenas antes do Dia de Pentecostes (1 Sm 16: 14). 

c. Qual a relação entre a unção e a habitação? 

Elas ocorrem ao mesmo tempo, mas com propósitos diferentes: 

a habitação é a presença de Deus na vida do crente, ao passo que a unção o capacita a ser ensinado pelo Espírito (1 Jo 2: 20, 27).

D. Batismo (1 Co 12: 13). 

1. Características do batismo. 

a. Ocorre apenas na Era da Igreja (ainda era futuro em At 1: 5). 

b. Envolve todos os crentes (1 Co 12: 13; Ef 4: 5). 

c. Ocorre apenas uma vez (tempo aoristo em 1 Co 12: 13).

2. Conseqüências do batismo, a. Faz os crentes membros do Corpo de Cristo. 

b. Une os crentes com Cristo em Sua morte no que diz respeito à natureza pecaminosa (Rm 6: 1-10).

E. Selo. 

1. O agente - o Pai (2 Co 1: 22; Ef 1: 13; 4: 30). 

2. O instrumento - o Espírito é o selo. 

3. A extensão - a todos os crentes. 

4. O tempo - no momento da conversão. 

5. O propósito - certeza de ser possuído por Deus e preservado até o dia da redenção. 

É uma garantia de segurança para o crente.


IX. OS DONS DO ESPIRITO

A. Definição. Um dom espiritual é uma capacidade dada por Deus ao crente para o desempenho de um serviço. 

Não é um lugar de serviço, nem um ministério para um grupo etário específico, nem um procedimento.

B. Distribuição. 

1. Fonte -o Espírito (1 Co 12: 11). 

2. Extensão. Todo crente tem pelo menos um, mas não todos (1 Pe 4: 10). 

3. Tempo. Cada geração pode ou não ter todos os dons. 

Alguns dons foram concedidos para o estabelecimento, a fundação da Igreja (Ef 2: 20) e sua concessão não deveria ser esperada depois de estar completo esse período de alicerçamento. 

Certos dons milagrosos foram dados à primeira geração de crentes, mas não à segunda (Hb 2: 3-4)

C. Desenvolvimento. Essas capacidades podem e devem ser desenvolvidas por quem as te o dom de ensino, por exemplo, precisa ser desenvolvido através do estudo.

D. Descrição. Listas de dons se encontram em Romanos 12: 6-8; 1 Coríntios 12: 8-10, 28-30; Ef 4:11.

X. A PLENITUDE DO ESPÍRITO

A. Definição. Ter a plenitude do Espírito, ou ser cheio do Espírito, significa ser controlado pelo Espírito (Ef 5: 18).

B. Características. 

1. A plenitude do Espírito é uma ordem para o crente (Ef 5: 18, o verbo é um imperativo). 

2. A plenitude é passível de repetição (At 2: 4; 4: 31). 

3. A plenitude do Espírito produz semelhança a Cristo (Gl 5: 22-23).

C. Condições para Estar Cheio do Espírito. 

1. Uma vida dedicada. A submissão ao controle do Espírito, embora ordenada, é voluntária e exige atos de dedicação. 

Isto inclui dois aspectos: dedicação inicial (Rm 12: 1-2) e a dedicação contínua da vida (Rm 8: 14). 

2. Uma vida vitoriosa. Vitória diária sobre o pecado no cotidiano é uma necessidade para esse controle do Espírito (Ef 4: 30). Isto significa reagir corretamente à luz da Palavra à medida que esta é revelada (1 Jo 1: 7). 

3. Uma vida de dependência. Este é o significado de “andar no Espírito” (Gl 5: 16).

D. Conseqüências. Ser cheio ou controlado pelo Espírito significa: 

1. Um caráter semelhante ao de Cristo (Gl 5: 22-23). 

2. Adoração e louvor (Ef 5: 18-20). 

3. Submissão (Ef 5: 21). 

4. Serviço (Jo 7: 37-39).

XI. OUTROS MINISTÉRIOS DO ESPÍRITO

A. Ensino (Jo 16: 12-15).

B. Orientação (Rm 8: 14).

C. Convicção (Rm 8: 16).

D. Intercessão (Rm 8: 26; Ef 6: 18).


XII. A ATUAÇÃO DO ESPÍRITO NO FUTURO

A. Na Tribulação. O Espírito produzirá a salvação e enchimento (plenitude) (Zc 12: 10; Jl 2: 28-32).

B. No Reino. 

1. O Espírito Santo estará sobre o Rei (Is 11: 2-3). 

2. O Espírito habitará no povo de Deus (Jr 31: 33).


CONCLUSÃO

Nomes atribuídos ao Espírito Santo na Bíblia

1. Espírito, Ef 5: 18 e Mc 1: 10;

2. Espírito Santo, At 2: 4;

3. Espírito de vida, Rm 8: 2;

4. Espírito de graça, Hb 10: 29;

5. Espírito de adoção, Rm 8: 15;

6. Espírito da glória de Deus, 1Pe 4: 14;

7. Espírito de inteligência, Is 11: 2;

8. Espírito de santidade, Rm 1: 4;

9. Espírito Santo da promessa, Ef 1: 13;

10. Espírito de Jesus, At 16: 7;

11. Espírito de Deus. Gn 1: 2;

12. Espírito do nosso Deus, 1Co 6: 11

13. Espírito Eterno, Hb 9: 14;

14. Espírito de vosso Pai, Mt 10: 20;

15. Consolador, Jo 14: 16 e 15: 26;

16. Espírito de Verdade, Jo 16; 13;

17. Espírito de Jesus Cristo, Fp 1: 19;

18. Espírito do Senhor, Jz 14: 6 e Lc 4: 18;

19. Espírito de Sabedoria, Is 11: 2;

20. Bom Espírito, Sl 143: 10.

Um Forte Abraço!! Nos laços do Calvário que nos une......A serviço do Rei, Pr João Nunes Machado


Nenhum comentário:

Postar um comentário