sábado, 6 de maio de 2017

JULGAMENTO AO PRÓXIMO

TEXTO BASE MATEUS 7: 1 – 6

INTRODUÇÃO

TEMA: JULGAMENTO AO PRÓXIMO

1. Não julgueis, para que não sejais julgados.

2. Porque com o juízo com que julgais, sereis julgados; e com a medida com que medis vos medirão a vós.

3. E por que vês o argueiro no olho do teu irmão, e não reparas na trave que está no teu olho?

4. Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, quando tens a trave no teu?

5. Hipócrita! tira primeiro a trave do teu olho; e então verás bem para tirar o argueiro do olho do teu irmão.

6. Não deis aos cães o que é santo, nem lanceis aos porcos as vossas pérolas, para não acontecer que as calquem aos pés e, voltando-se, vos despedacem.

Romanos 14: 10 - “Portanto, você, porque julga seu irmão? E por que despreza seu irmão? Pois todos compareceremos diante do tribunal de Deus.”

I. O que é julgamento?




Se sentir superior;

Ter opiniões sobre;

Olhar as aparências;

Catalogar e compactar pessoas;

Querer ser como Deus.

II. O que causa o julgar?

Orgulho;

Insegurança;

Ciúme;

Imaturidade;


III. Quais são os sintomas?

Conflito, discórdia;

Legalismo;

Falta de compaixão e graça;

Falta de tolerância com as fraquezas;

Se isolar;

Se projetar;

Falta de boa vontade;

Auto proteção;

Senso de superioridade  espiritual;

Fofoca, mexerico e falar negativamente sobre outros.

I Samuel 16: 7 - “O Senhor, contudo, disse a Samuel: “Não considere sua aparência, nem sua altura, pois eu o rejeitei. 

O  Senhor não vê como o homem: o homem vê a aparência, mas o Senhor vê o coração.”

Provérbios 13: 10  - “O orgulho só gera discussões, mas a sabedoria está com os que tomam conselhos.”


IV. Por que julgar é destrutivo?

Destrói a unidade;

Nos tira de solucionar nossos pessoais pecados e problemas;

Cria paredes que impedem o trabalho de Deus;

Cega e restringe o crescimento e mudanças em nós.


V. Qual a cura para o julgar? – MT 7: 1 - 5

1. Não julgueis, para que não sejais julgados.

2. Porque com o juízo com que julgais, sereis julgados; e com a medida com que medis vos medirão a vós.

3. E por que vês o argueiro no olho do teu irmão, e não reparas na trave que está no teu olho?

4. Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, quando tens a trave no teu?

5. Hipócrita! tira primeiro a trave do teu olho; e então verás bem para tirar o argueiro do olho do teu irmão.


I Coríntios 4: 5 - “Portanto, não julguem nada antes da hora devida; esperem até que o Senhor venha. Ele trará à luz o que está oculto nas trevas e manifestará as intenções dos corações. Nessa ocasião, cada um receberá de Deus a sua aprovação.”


II Timóteo 4: 8 - “Agora me está reservada a corôa da justiça, que o Senhor, justo Juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amam a sua vinda.”

Romanos 14: 10 - “Portanto, você, porque julga seu irmão? E por que despreza seu irmão? Pois todos compareceremos diante do tribunal de Deus.”

Tiago 4: 11-12 - “Irmãos, não falem mal uns dos outros. Quem fala contra o seu irmão ou julga o seu irmão, fala contra a Lei e a julga. Quando você julga a Lei, não a está cumprindo, mas está se colocando como juiz. Há apenas um Legislador e Juiz, aquele que pode salvar e destruir. Mas quem é você para julgar o seu próximo?


Colossenses 3: 12-14 - “Portanto, como povo escolhido de Deus, santo e amado, revistam-se de profunda compaixão, bondade, humildade, mansidão e paciência. Suportem-se uns aos outros e perdoem as queixas que tiverem uns contra os outros. 

Perdoem como o Senhor lhes perdoou. Acima de tudo, porém, revistam-se do amor, que é o elo perfeito.”

Nós não somos Deus;

Olhe para você;

Tenha o propósito de resistir a qualquer atitude de superioridade;

Cresça no entendimento do amor e graça de Deus;

Recuse –se a tirar conclusões precipitadas;

Lembre-se do seu último destino que será face a face com Deus.

JESUS NÃO JULGA, É O SEU SALVADOR, O SEU REDENTOR!!!!!!!!

Um Forte Abraço! Nos laços do Calvário que nos une......A serviço do Rei, Pr João Nunes Machado

Nenhum comentário:

Postar um comentário