segunda-feira, 10 de julho de 2017

LIÇÃO VII - DISCÍPULO FASENDO DISCÍPULOS!

TEXTO BASE I CO 6: 20

INTRODUÇÃO 

TEMA: LIÇÃO  VII - CONHEÇA SUA NOVA MANEIRA DE VIVER!

“Porque fostes comprados por preço; Glorificai pois a Deus no vosso corpo e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus”.

I JO. 2.15 - Não ameis o mundo, nem o que há no mundo. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele.

I JO. 2.16 - Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não vem do Pai, mas sim do mundo.

I JO 2.17 - Ora, o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus, permanece para sempre

I JO 3.2 - Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifesto o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é, o veremos.

I JO - 3.33 -E todo o que nele tem esta esperança, purifica-se a si mesmo, assim como ele é puro.

Nosso relacionamento com a sociedade em que vivemos depende dos cuidados e atitudes pessoais. 

Nossa vida cristã é toda marcada por decisões e atitudes. 




As atitudes e decisões são pessoais. 

Particularmente mesmo! 

Ninguém pode tomar uma atitude pelo outro. 

Se Essas atitudes pessoais e particulares forem negligenciadas, o cristão negligente estará naturalmente confuso, em sua relação com a sociedade.


I. ATUTUDES GERAIS

Deus é o doador de tudo, por isso devemos dar graças a Ele nos momentos das refeições (Mateus 6. 9-13). 

Por que devemos orar nas refeições? para agradecer a Deus. 

“Em tudo dai graças; porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco” (I Tess 5.18). 

Para expulsar certas influências e envolvimentos malignos nos alimentos. 

“Porque pela palavra de Deus e pela oração é santificada” (I timóteo 4. 5). 

O que se pode comer? Orando antes das refeições, geralmente comemos tudo o que normalmente nos é dado a comer ( I coríntios 10. 25,26).

1. A bebida do crente. – Que diz a Bíblia sobre beber vinho? 
O vinho, uma das mais antigas bebidas da terra é considerada bebida forte: 

“O vinho é escarnecedor, e a bebida forte alvoroçadora; e todo aquele que neles errar não é sábio” (Pv 20.1) 

Deus sempre alertou o homem para esse tipo de bebida que tira razão:

 “Ai dos que se levantam cedo para correrem atrás da bebida forte e continuam até a noite, até que o vinho os esquente!” (Isaias 5.11) 

O mandamento divino é desprezar o vinho que produz contendas, e na presença do Senhor vivermos uma vida cheia do Espírito.

”E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito”. (Ef 5.18).

2. O crente, o jejum e seu vestuário – E sobre o jejum, o que diz a Bíblia? 

O Jejum é a abstinência de alimentos na vida do crente, com um objetivo. 

É um sacrifício pessoal em busca de uma determinada vitória. 

“Mas esta casta de demônios não se expulsa senão à força de oração e de jejum.” (Mateus 17. 21). 

E Mateus 6.16-18 Jesus ensina como proceder quando estamos jejuando. 

Deus rejeitou as túnicas de folhas de figueira e fez para Adão e Eva túnicas de pele (Gêneses 3.7, 21) porque com as túnicas de pele eles ficavam bem cobertos. 

A vestimenta de pele foi produzida com sangue ( Hebreus 9. 22), símbolo da nossa redenção. 

Nossa vestimenta tem que referenciar o sangue de Jesus. 

Doutra forma estaremos considerados por Deus como “nus” (Apocalipse 3.18) 

O sábio Salomão descreveu as vestes dos salvos (Eclesiastes 9. 8).

A brancura da roupa é relacionada, não propriamente a cor em si, mas a pureza da vida, externada pela roupa. 

O exterior mostra o interior, ( Zacarias 3.1-5)

3. O procedimento e companheirismo do cristão 

O crente não deve preocupar-se demasiadamente com suas vestes materiais. 

Isso faz parte do cuidado de Deus para a nossa vida (Mateus 6.31,32). 

Como deve o cristão vestir-se diante da sociedade? 

“Quero, do mesmo modo, que as mulheres se ataviem com traje decoroso, com modéstia e sobriedade, não com tranças, ou com ouro, ou pérolas, ou vestidos custosos (alto custo) e preciosos” (I Timóteo 2. 9) 

Do mesmo modo estão os homens crentes comprometidos a ter cuidado com as vestes. 

Como crentes precisamos ter cuidado no companheirismo com os incrédulos. 

De um modo geral não devemos nos associar com eles (Salmos 1.1). 

Em termos de formar uma sociedade com incrédulos devemos observar o mandamento bíblico ( II Coríntios 6.14). 

A Bíblia apresenta o casamento com incrédulos (Gênesis 6. 2-4) como a causa da degeneração da raça humana, vindo como o castigo e dilúvio. 

Em Juizes 3. 5-8 - Temos os resultados do casamento com incrédulos, onde Israel, o povo de Deus, sofreu a ira de Deus. 

Mas deve haver o companheirismo com incrédulos, a fim de evangelizá-los como fez Jesus (Lucas 15.1,2). 

Há também a necessidade de conviver com os incrédulos nos trabalhos do dia-a-dia e isso, com bastante cuidado para não se deixar levar pela corrupção das práticas pecaminosas: 

Não peço que os tires do mundo, mas que os livres dop mal. (João 17.15).


II. ATITUDES COM OS MEMBROS DO CORPO

1. Os olhos e ouvidos do crente – Os olhos do crente devem ser bons para que tudo o corpo conseqüentemente seja bom - Mateus 6. 22,23 

Devem ser os olhos do crente elevado para o céu, e não para o mundo ( Salmos 121.1) 

Os olhos do crente devem valorizar o Criador, olhando para Jesus: 
“fitando os olhos em Jesus, autor e consumador da nossa fé, o qual, pelo gozo que lhe está proposto, suportou a cruz, desprezando a ignomínia, e está assentado à direita do trono de Deus”. (Hebreus 12. 2). 

O ouvido do crente deve estar atento à Palavra de Deus ( Romanos 10.17). 

Ele ouve as palavras e conselhos do conhecimento ( Provérbios 23.12). 

Está sempre inclinado a ouvir a voz do Senhor. 

“Então veio o Senhor, e ali esteve, e chamou como das outras vezes: Samuel, Samuel. E disse Samuel: Fala porque o teu servo ouve” ( I Samuel 3.10).


III. A LINGUA E OS PÉS DO CRENTE – Nossas palavras revelam nosso coração, ( Mateus 12. 34). 

O crente deve aprender como falar. “O meu coração trasborda de boas palavras; dirijo os meus versos ao rei; a minha língua é qual pena de um hábil escriba”. (Salmos 45.1). 

Devemos ter cuidado com as palavras que não produzem edificações espirituais (Efésios 4. 29). 

O mau uso da língua desagrada a Deus porque, às vezes, a língua promove contendas que incendeiam a vida do próximo (Tiago 3. 6) 
A língua deve ser guardada do mal (PV 21. 23)

Saudável - PV 15. 4

Sábia - PV 23. 26

Branda - Provérbios 25.15 e refreada - Tiago 1. 26. 

Deus deseja usar nossa língua para glória do Seu nome. 

Deve estar calçados no Evangelho da paz e firmados para não vacilarem. 

E calçados os pés na preparação do Evangelho da paz - Efésios 6.15 . 

São formosos os pés que anunciam esta paz maravilhosa.

3. As mãos do crente – Devem ser limpas, competentes e ativas (Eclesiastes 9.10). 

Devem ser diligentes e usadas para glória de Deus (Atos 5.12)

E santificadas para esse fim: “Quero, pois, que os homens orem em todo lugar, levantando mãos santas, sem ira nem contenda”.( I Timóteo 2. 8).


IV. ATITUDES PROFUNDAS

O cristão precisa tomar muito cuidado em suas áreas mais profundas. 

É impossível controlar os membros do corpo (olhos, ouvidos, língua, pés e mãos), sem controlar o interior.

1. Conhecendo o interior – Existem em cada um de nós áreas mais 

profundas, as quais precisam ser vigiadas pelo crente, por exemplo: a mente: 

“Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai.” - FP 4. 8

O coração é o intimo do ser; 

Veja o que diz Salomão: “Guarda com toda a diligência o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida”. - PV 4. 23).

Vigiando contra o pecado: 

A Palavra de Deus nos mostra de maneira bem simples e definida as atitudes particulares e pessoais que o crente precisa tomar em relação ao pecado. 

Ele deve “considerar-se” morto para o pecado – Rm 6.11), para que não obedeçamos às concupiscências pecaminosas (Gálatas 5.16).)


CONCLUSÃO

Uma vida Cristã produtivas é aquela que se considera viva para Deus. 

Devemos, como crentes em Cristo Jesus, apresentarmo-nos a Deus diariamente em oração, santificando nossos membros a Ele, como instrumentos da justiça, para que Ele seja glorificado em nós. 
Que Deus te abençoe em sua vida particular!

ORAÇÃO DE ENTREGA

Senhor eu rogo, que me perdoe, e entre em meu coração, e seja Senhor da minha  vida.  

Eu entrego minha vida a Ti, e suplico que faça da minha vida morada do Espírito Santo, agradeço por me amar  dessa  forma  incomparável,  decido  conhecê-lo  mais  aqui  na  Terra,  e  viver  a  eternidade  com  o Senhor meu Deus. 

E nome de Jesus, Amém.

Um Forte Abraço! Nos laços do Calvário que nos une......A serviço do Rei, PR João Nunes Machado

Nenhum comentário:

Postar um comentário