segunda-feira, 7 de agosto de 2017

DISCÍPULO FAZENDO DISCÍPULOS - LIÇÃO XI

TEXTO BASE PV 4: 18

INTRODUÇÃO 

TEMA: LIÇÃO XI  – CONHEÇA UMA VIDA FRUTÍFERA


''Mas a vereda do justo é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais, até ser dia perfeito.” 

João 15.1 - Eu sou a videira verdadeira, e meu pai é o lavrador.

João 15.2 - Toda a vara em mim, que não dá fruto, ele a tira; e limpa toda aquela que dá fruto, para que dê mais fruto.

João 15.3 - Vós já estais limpos, pela palavra que vos tenho falado.

João 15. 4 - Estai em mim e eu em vós: como a vara de si mesma não pode dar fruto, se não estiver na videira, assim também vós, se não estiverdes em mim.

João 15.5 - Eu sou a videira, vós as varas: quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.

Estamos a caminho de uma vida cristã vitoriosa, tendo a nossa disposição todos os recursos de Deus para uma vida poderosa. 

Podemos, mesmo com esses recursos divinos a nossa disposição, escolher uma vida frustrada e fracassada. 

O livre arbítrio é o grande problema da humanidade! Temos que escolher o tipo de vida que desejamos. 

Por isso focalizaremos nesta lição como avançar para uma vida cristã sempre vitoriosa. 

Uma vida frutífera na presença de Deus, qual árvore frondosa que produz frutos e sombra.


I. O PERIGO DA NEGLIGÊNCIA




O homem tem liberdade de aceitar ou rejeitar a salvação de Deus, escolhendo ir para o céu ou para o inferno: 

"Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela" (Mateus 7.13). 

Toda a pessoa salva tem a liberdade de permanecer com a salvação de Deus ou desprezá-la:

"Mas desejamos que cada um de vós mostre o mesmo cuidado até ao fim, para completa certeza da esperança" (Hebreus 6.11). 

E aquele que foi batizado com o Espírito Santo pode desenvolver o dom celestial recebido ou simplesmente negligenciar a bênção de Deus. 

Veja a advertência em Jeremias 48.10: 

"Maldito aquele que fizer a obra do Senhor fraudulenta e relaxadamente".

O Espírito Santo é uma pessoa divina e precisamos aprender a nos comportarmos com ele, a fim de vivermos vitoriosamente na sua dependência.
\
Quais são esses diferentes comportamentos? 

Podemos nos rebelar contra o Espírito Santo (Isaías 63.10)

Podemos entristecer o Espírito Santo (Efésios 4. 30)

Podemos mentir para o Es-pírito Santo (Atos 5. 3) 

E podemos blasfemar contra o Espírito Santo (Mateus 12. 31). 

Esse tipo de comportamento negativo anula a atuação do Espírito de Deus em nossas vidas, condicionando-nos ao fracasso espiritual, mesmo depois de convertidos e batizados com o Espírito Santo

2. Comportamentos positivos com o Espírito Santo!

Podemos conhecer o Espírito Santo (João 14.17)

Podemos hospedar o Espírito Santo (I Coríntios 3.16)

Podemos ser batizados com o Espírito Santo (Mateus 3.11)

Podemos ser cheios do Espírito Santo (Efésios 5.18)

Podemos viver em comu¬nhão com o Espírito Santo e depender da Sua orientação em nossas decisões (At 16. 6,7).

3. A vida vitoriosa do cristão - Para termos uma vida cristã vitoriosa, temos que "operar a nossa salvação com temor e tremor", acrescentando sempre as virtudes cristãs a nossa salvação e ao batismo com o Espírito Santo que recebemos (Filipenses 2.12).


II. VIDA DEVOCIONAL PROFUNDA

Para prosseguirmos com uma vida cristã vitoriosa, precisamos preencher alguns requisitos:

Estudo diário da Palavra de Deus 

"Ora estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim" (Atos 17.11).

2. Louvor e oração a Deus _ Vejam as recomendações do salmista: Sete vezes no dia te louvo pelos juízos da tua justiça. (Salmo 119.164). 

E era viúva, de quase oitenta e quatro anos, e não se afastava do templo, servindo a Deus em jejuns e orações, de noite e de dia. (Lucas 2. 37) 

Era Ana a profetiza. De tarde e de manhã e ao meio dia orarei; e clamarei, e ele ouvirá a minha voz. (Salmo 55.17).

3. Consagração com jejum e freqüência à casa de Deus Ana, personagem do Novo testamento, constitui-se um grande exemplo de fé e dedicação!

E era viúva , de quase oitenta e quatro anos e não se afastava do templo, servindo a ?

Deus em jejuns e orações, de noite e de dia - Lucas 2. 37 
Uma coisa pedi ao Senhor, e a buscarei: 

Que possa morar na casa do Senhor todos os dias da minha vida , para contemplar a formosura do Senhor , e apreender no seu templo.”( Salmos 27. 4)


III. A NECESSIDADE DE UMA VIDA FRUTÍFERA

O trabalhador que não vê o re¬sultado do seu trabalho tende a desanimar. 

Não é diferente na obra de Deus. Somos medidos e valorizados pelos resultados do nosso trabalho (Mateus 25.14-30).


1. Fomos chamados por Deus para dar frutos 

Quando não damos frutos na vida cristã estamos demonstrando que não estamos em Jesus e corremos o perigo de sermos cortados da Videira: 

"Se alguém não estiver em mim, será lançado fora, como a vara e secará; e os colhem e lançam no fogo, e ardem" (João 15. 6). 

Fica até mesmo difícil orar a Deus, quando o crente não dá frutos espiri-tuais (João 15.7).


2. Deus é glorificado através de nossos frutos!

Porque Deus é glorificado quando damos frutos espirituais (João 15. 8). 

Uma vida cristã infrutífera está fadada ao fracasso. 
E a vida frutífera é uma vida vitoriosa. 

Que tipo de vida es¬tamos vivendo?

3. O Fruto do Espírito na vida do crente!

O apóstolo Paulo em Gálatas 5 mostra a luta entre a carne e o Espírito, na vida espiritual do crente. 

São contraditórios e não podem viver pacificamente a carne e o Espírito (Romanos 8. 6). 

Uma vida cristã carnal leva à derrota: 

"Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus" (RM 8. 8). 

O normal para um crente é produzir o fruto do Espírito (Gálatas 5. 22). 

Fruto gerado dentro do cristão. 

Fruto que começa por ocasião do novo nascimento, quando ocorre a conversão. 

Fruto que revela e manifesta o que está no interior do crente (Mateus 7.16,17). 

Cada vez mais o crente vai progredindo na vida cristã. 

E esse progresso é manifestado pelos frutos que esse crente apresenta: 

"Mas a vereda dos justos é como a luz da aurora que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito" (PV 4.18).


IV. OS DONS DO ESPÍRITO SANTO

Há uma diferença entre o "fruto" do Espírito e os "dons" do Espírito. 

Fruto e dons procedem do mesmo Espírito de Deus, mas são diferentes. 

Os dons são concedidos pelo Espírito de Deus, enquanto o fruto é gerado dentro de nós, onde habita o Espírito (I Coríntios 12. 4). 

Os dons espirituais vêm após o Batismo com o Espírito Santo, enquanto o fruto inicia com a obra do Espírito Santo na conversão (Gálatas 5. 22).

1. Os dons e os frutos - Os dons espirituais vem do alto, enquanto os frutos vem do interior do crente. 

Os dons espirituais são doados pelo Espírito Santo, como dons perfeitos; enquanto os frutos do Espírito dependem de aprimoramento lento e progressivo por parte do crente. 

Os dons espirituais são capacitações de Deus para o serviço cristão por parte do crente, enquanto os frutos fazem parte da vida de Cristo no interior do crente.

2. Conhecendo os dons - Mas que dons espirituais são esses? É necessário estudar separadamente cada um desses dons espirituais (I Coríntios 12. 8-10). 

Não podemos ignorar os dons espirituais (ICoríntios 12.1). 
Precisamos "procurar com zelo, os melhores dons" (I Coríntios 12.31).

3. Para que servem esses dons? 

Pelos dons espirituais tomamos posse das bênçãos colocadas por Deus a nossa disposição (Efésios 1. 3). 

As vezes o crente não usufrui das bênçãos que tem direito. 
É através do exercício espiritual dos dons que ele experimenta tais bênçãos. 

Os dons espiri-tuais embelezam a Igreja, tornando-a festiva. 
Como "noiva" de Cristo a Igreja precisa viver em constante festa espiritual: 

"Regozijai-vos sempre no Senhor; outra vez digo, regozijai-vos." (Filipenses 4. 4). 

Através do exercício dos dons espirituais melhor servimos à obra de Deus (Pedro 4.10). 

Praticando os dons espirituais "Deus está no meio da Igreja" (I Coríntios 14. 25).


CONCLUSÃO

Precisamos buscar os dons espiri¬tuais cada vez mais. 
É necessário que a Igreja conheça os dons espirituais, pedindo a Deus os dons que serão utilizados para glória do Seu nome, envolvendo o exercício dos dons espirituais com muito amor (I Coríntios 12. 31). 

Assim, sua vida cristã será sempre vitoriosa, e será cumprida a vontade de Deus em sua vida.

ORAÇÃO DE ENTREGA

Senhor eu rogo, que me perdoe, e entre em meu coração, e seja Senhor da minha  vida.  

Eu entrego minha vida a Ti, e suplico que faça da minha vida morada do Espírito Santo, agradeço por me amar  dessa  forma  incomparável,  decido  conhecê-lo  mais  aqui  na  Terra,  e  viver  a  eternidade  com  o Senhor meu Deus. 

E nome de Jesus, Amém.

Um Forte Abraço! Nos laços do Calvário que nos une......A serviço do Rei, PR João Nunes Machado

Nenhum comentário:

Postar um comentário