domingo, 18 de novembro de 2012

o mapa do prazer feminino


O MAPA DO PRAZER FEMININO

A CIÊNCIA IDENTIFICA AS ÁREAS DO CÉREBRO ATIVADAS DA EXCITAÇÃO AO CLÍMAX E ABRE NOVAS FRONTEIRAS PARA O TRATAMENTO DE DISFUNÇÕES SEXUAIS DA MULHER.
por Monique Oliveira.


Entender o orgasmo é entender um pouco mais do cérebro. O ciclo que vai da excitação ao prazer não só exige muito de nossas fisiologia (respiração, batimentos cardíacos) como a ele se juntam visíveis marcadores de alterações psicológicas, como a breve perda da autoconsciência. Compreender o orgasmo feminino, então, é avançar mais significativamente nessa tarefa. Afinal, compreender a fundo a sexualidade da mulher sempre foi um desafio para ciência. Apesar das dificuldades, alguns estudos começam a descortinar esse processo.




O psicólogo Barry Komisaruk, da Universidade de Rutgers (EUA). Com o auxílio de um aparelho de ressonância magnética, ele mapeou o que aconteceu no cérebro da terapeuta sexual Kayt Stukel do início da excitação sexual ao clímax. Komisaruk pretende usar as informações para tratar disfunções sexuais como a ausência de orgasmo (com um método em que a paciente possa ao mesmo tempo estimular seus órgãos genitais e assistir às reações de seu cérebro em tempo real). "Dessa forma, ela poderá tentar atingir as áreas estimulantes durante o ciclo sexual", disse à ISTO É Komisark.

O cientista verificou que o processo acionou 80 partes do cérebro. houve, por exemplo, atividade intensa do cérebro (cujo papel no sexo ainda não está esclarecido) e do sistema límbico (associado às emoções). No clímax, há grande circulação sanguínea em todo o cérebro, um sinal de que órgão está inteiramente mobilizado. Já a ativação do córtex pré frontal ocorre somente na excitação. A descoberta de que existe a estimulação dessa área foi a grande contribuição dessa área foi a grande contribuição de Komisaruk. A partir da informação, acredita-se que será possível desvendar o mecanismo por meio do qual fantasias sexuais (processadas nesta área) podem causar reações físicas.

O estudo evidenciou diferenças nos mecanismos que levam ao prazer vividos por homens e mulheres. No homem, por exemplo, não há ativação do córtex pré-frontal na excitação. "é provável que o homem e a mulher entrem no ciclo sexual de maneiras diferentes" explica JannikoGeorgiadis, da Universidade de Gronigen, na Holanda. Foi na instituição holandesa que o médico Gert Holestege levantou dados sobre o orgasmo masculino anos antes. Entre outras informações, ele mostrou que, no clímax masculino, ocorre o desligamento de algumas regiões do cérebro. já no estudo de Komisaruk, observou-se a ativação total do cérebro feminino.

Apesar das diferenças, há especialistas que discordam que a acada ativação de uma área sucede-se uma única resposta fisiológica. "O córtex pré-frontal, pro exemplo, é responsável por inúmeras funções" diz Martin Portner, neurologista especializado em sexualidade e autor de "A inteligência sexual". A teoria mais aceita é que haja ligações e desligamentos simultâneos, já que a excitação e o orgasmo estimulam estruturas que antes do estímulo estavam sob controle de outras. "esse efeito de controle precisa ser removido para que essas regiões sejam recrutadas para outro fim" explica Portner.  A desativação também seria a responsável pela momentânea perda de consciência. "Estruturas normalmente ligadas a decisões conscientes são praticamente desligadas no orgasmo"diz Georgiadis.

Juntamente com essas conexões e desligamentos, é possível que haja outras vias neurológicas para o prazer. Foi o que mostrou outro estudo de Komisaruk, que mapeou o cérebro de duas voluntárias tetraplégicas. Elas tinham interrompida a comunicação, via medula espinhal, entre o cérebro e o resto do corpo. E mesmo assim atingiram o orgasmo pela estimulação do clitóris e da vagina.

CÉREBRO E ORGASMO - O QUE JÁ SE SABE:

Homens>>> Durante a excitação do homem a área do cérebro que responde a estímulos visuais é a primeira a ser ativada. logo depois, essas informações vão sendo processadas por outras estruturas cerebrais também associadas à visão. À medida que o orgasmo se aproxima, observa-se a desativação de várias áreas cerebrias. No clímax, o cerebelo, órgão associado à função motora, é ativado. Sua função no sexo, orém, ainda é pouco conhecida.

Mulheres>>>  a primeira área acionada foi o córtex sensorial, área que interpreta as sensações. Nessa região, situada no córtex pré-frontal, também se processam outros aspectos da consciência como a autoavaliação e a empatia. Antes do orgasmo, quando os músculos vaginais começam a ficar mais tensos, p cerebelo e o córtex frontal são acionados simultaneamente. Do córtex, o sinal é enviado ao sistema límbico, que comanda emoções e também está associado a funções metabólicas do organismo. No clímax, o fluxo sanguíneo se intensifica por todo o cérebro, que é estimulado inteiramente.

RETIRADO: ISTO É - 30 novembro 2011- ano35 nº 2194

Nenhum comentário:

Postar um comentário