domingo, 30 de dezembro de 2012

um homem a quem deus usa =2013


TEXTO BASE 2° Rs 17: 1 =10 

INTRODUÇÃO

TEMA: UM HOMEM A QUEM DEUS USA=II

1° Nossa nação está vivendo uma profunda crise institucional.
As CPI’s estão abrindo as entranhas infectas das instuituições políticas. O parlamento está nu.
O governo cabisbaixo.
A nação está coberta de vexame e opróbrio.

2ª A crise política e moral chegou a níveis insuportáveis. A crise espiritual não é menor.
O enriquecimento ilícito em nome da fé tornou-se notícia quente da imprensa brasileira.
Homens maus escondem-se atrás dos púlpitos e fazem da igreja uma empresa, do púlpito um balcão, do evangelho um produto e dos crentes incautos consumidores.

3. A nação de Israel também estava em crise semelhante. Dos seis reis que haviam precedido a Acabe dois haviam sido assassinados e outro havia se suicidado.

4. Israel teve 19 reis, em 8 dinastias. Nenhum deles andou com Deus.
Acabe é o pior de todos. Se isso não bastasse, ele casou-se com a pior mulher do mundo: assassina, feiticeira e mandona.
Jezabel foi a mulher que disseminou em Israel o culto a baal.

5. É nesse contexto que Deus levanta um homem. Em tempo de crise Deus não levantou uma denominação, um partido, mas um homem.




I. ELIAS DEIBAIXO DOS HOLOFOTES – NA CORTE REAL  (17: 1)
1. Deus levantou Elias, um homem desconhecido, de um lugar desconhecido, para levar uma mensagem ao rei
A mensagem de Elias é urgente, contundente, poderosa. Não vai chover durante três anos e meio, segundo sua palavra. Isso seria quebrar a espinha dorsal da credibilidade de baal.
Deus não precisa de estrelas, ele precisa de homens disponíveis e obedientes.
A origem de Elias é um golpe no orgulho dos poderosos.
Ele vem de Tisbé, um lugar obscuro, desconhecido.
Ele vem de lugar nenhum. É um ilustre desconhecido, sem títulos, sem diplomas na parede.
Ele não é um figurão.

2. Elias associa o ministério da pregação com o ministério da oração
Ele orou com instância para não chover e entregou a mensagem a Acabe.
Quem ora prega com poder. Quem ora prega com eficácia.
Só podemos ter êxito em público, se temos intimidade com Deus em secreto.
Sem oração teremos apenas luz na mente, mas não fogo no coração. Pregação é lógica em fogo e precisa vir de homem que está em fogo. Wesley dizia: “ponha fogo no seu sermão, ou ponha o seu sermão no fogo”.

3. Elias tem autoridade de aparecer na presença dos homens, porque ele anda na presença de Deus
Elias era um homem semelhante a nós: teve medo, sentiu solidão, fugiu, pediu para morrer, ficou deprimido.
Mas Elias também aprendeu a viver na presença de Deus.
A maior necessidade da igreja hoje é de pastores, de homens que vivam na presença de Deus.
A maior necessidade hoje é de homens que conheçam a intimidade de Deus.
Muitos falam sobre Deus, mas não conhecem a Deus. Têm fome de livro, mas não de Deus.
Exemplo: Robert McKeyne – o visitante que foi visitar sua igreja após sua morte e o zelador lhe disse: ore, chore!

II. ELIAS ESCONDIDO DA MULTIDÃO – NO RIBEIRO DE QUERITE (17: 2 =5)
1. Deus trabalha em nós, antes de trabalhar através de nós
Deus tira o profeta do palco, debaixo dos holofotes, debaixo das luzes da ribalta e o envia para o deserto, para a solidão. No deserto Deus nos prova.
Ele nos manda para a solidão do deserto para nos desmamar do mundo.
Deus fez isso com Paulo. Deus o tirou de Jerusalém e o enviou a Tarso, onde ficou dez anos no anonimato.
2. No deserto, precisamos depender mais do provedor do que da provisão
Além de viver na solidão do deserto, Elias devia confiar totalmente em Deus para o seu sustento.
É mais confiar em nós em tempo de fartura. É fácil confiar em Deus quando estamos no palco.
Exemplo: minha experiência nos Estados Unidos.
3. O deserto faz parte do curriculo de Deus para a nossa vida
Foi Deus quem mandou Elias para Querite. O deserto não é um acidente, mas um apontamento.
Deus trabalha em nós, antes de trabalhar através de nós.
Deus está no controle. Ele sabe o que está fazendo.
4. Quando a sua fonte secar, os recursos de Deus continuarão disponíveis para você
Elias estava onde Deus mandou ele estar, no tempo que Deus ordenou, mas a fonte secou.
Mas, quando a fonte seca, Deus sabe onde você está, como está, para onde dever ir e o que deve fazer.
A fonte secou porque Elias estava orando e Deus agindo.
Às vezes a fonte seca na vida, no casamento, nas finanças, na saúde, nos relacionamentos.
Mas, quando os recursos da terra acabam, os recursos de Deus continuam absolutamente disponíveis.

III. ELIAS NA FORNALHA – EM SAREPTA – (17: 8 =10)
1. Na fornalha, quando as coisas parecem difíceis, elas tendem a piorar
Deus tirou Elias do deserto e o jogou na fornalha. Sarepta significa fornalha, cadinho.
Antes de Deus usar você, Deus vai depurar você. O fogo só vai queimar a escória.
A fornalha faz parte da agenda de Deus na sua vida.
Ele mesmo vai matricular você na escola do quebrantamento.
Ir a Sarepta era um perigo. Fica a mais de 150 Km.
Nesse tempo Elias era o homem mais procurado, vivo ou morto em Israel.
Deus parece ter senso de humor. Ele manda Elias a Sarepta para ser sustentado para uma mulher viúva.
Se Deus tivese mandado Elias sustentar uma mulher viúva, ele poderia pensar que, pelo menos teria um ministério.

Elias sai de Querite para não morrer de sede e quase morre de fome, pois a mulher que deveria lhe sustentar está para morrer de fome.
A viúva experimenta um milagre na cozinha.
2. Na fornalha somos desafiados a esperar um milagre de Deus
A viúva não apenas era pobre, mas agora está enlutada do seu único filho.
O menino morre e a mulher coloca a culpa em Elias. Você já foi acusado de algo que não fez?
Elias não se defende. Ele apenas disse: “mulher transfere para mim a sua dor, ponha em meus braços o seu filho morto”.

Se queremos ver os meninos mortos ressuscitando, precisamos falar com Deus mais do que nos defendermos das acusações.
Elias ora, Deus ressuscita o menino, mas ele não capitaliza com isso. Não faz um discurso de auto-elogio.
Os mortos espirituais precisam ser ressuscitados: precitamos orar, e agir na certeza de que só Deus pode trazê-los à vida.

3. Depois da fornalha, um grande reconhecimento
Agora eu sei que és um homem de Deus e que a Palavra de Deus na sua boca é verdade.
Uma coisa é proferir a Palavra de Deus, outra coisa é ser boca de Deus.
A vida do pregador fala mais do que seus sermões.
A vida do ministro é a vida do seu ministério.
O pastor é um homem em fogo. Pregação é lógica em fogo.
Ponha fogo no seu sermão ou ponha o seu sermão no fogo.
A parte mais importante do sermão é o homem que está atrás do púlpito.
Os pecados do ministro sãos os mestres do pecado.
Os pecados do ministro são mais graves, mais hipócritas e mais danosos.
O maior obstáculo da obra são os obreiros.
Os maiores sermões já foram publicados: Jonathan Edwards.
O seminarista que pregou o seu sermão.
David Hume e George Whitefield.
A Palavra de Deus tem sido verdade em sua boca?

IV. ELIAS NO CARMELO, UM CONFRONTO ESPIRITUAL (18:1-2, 19)
1. Elias associa a soberania de Deus com a responsabilidade humana
Deus fala que vai chover, mas Elias ora humildemente, perseverantemente, triunfantemente.
O mesmo fez Daniel no cativeiro, conforme o capítulo 9.
Deus elege, mas nós precisamos evangelizar.
A ser viço do rei PR. João Nunes Machado

Nenhum comentário:

Postar um comentário