sexta-feira, 5 de abril de 2013

uma benção chamada dedicação


TEXTO BASE EC 3: 1= 5

INTRODUÇÃO 

TEM: UMA BENÇÃO CHAMADA DEDICAÇÃO

Existem palavras que por si só dizem muito.
Uma delas é dedicação.
No exercício diuturno da vida cristã dedicação pode significar uma enorme diferença, se compararmos vidas de membros da Igreja e, especialmente, de Obreiros do Senhor.
O sagrado ministério do Evangelho requer um espírito de dedicação, sem o qual homens e mulheres podem viver como pessoas medíocres, permanentemente desmotivadas e nunca vitoriosas.
Jesus é o exemplo maior de dedicação.


Em apenas 3 anos e meio de fecundo ministério, Ele soube aproveitar todos os momentos, ocupar todos os espaços e cumprir toda a agenda do Pai.
Conheço pessoas que possuem um extraordinário talento, mas que quase nada estão realizando para Deus porque lhes falta dedicação.
Moisés e Neemias jamais teriam sido os líderes que foram se não se houvessem dedicado sem reservas à Pessoa de Deus, à Palavra de Deus, ao Chamado de Deus e ao Ministério recebido de Deus.
Causa estranheza e dá pena ver a maneira como ministros de Deus lançam no lixo o seu tempo e as suas energias.
Muitos, por exemplo, poderiam ter escrito vários livros, mas não se dedicam.
Outros poderiam ter seus templos repletos de ouvintes, se fizessem o que efetivamente precisam fazer.
O tempo jamais recua. Oportunidades perdidas são como folhas caídas ao vento, que nunca regressam ao seu lugar de origem.
A dedicação estabelece uma diferença capital entre fazer coisas úteis, fúteis e inúteis.
Imaginar que uma igreja cresce e segue sozinha é uma extrema tolice.
Admitir que ovelhas farão a Obra sem liderança pastoral é esperar em vão um milagre.
Obreiros dedicados tomam tempo se preparando para entregar a Mensagem de Vida aos seus ouvintes, famintos e sedentos do genuíno Maná.
Pastores dedicados visitam os crentes e acompanham a comunidade com diligência e infatigável atenção.
Evangelistas dedicados não esperam as almas virem ao seu encontro: partem à sua procura, até que as encontrem.
Quando os mensageiros de Cornélio chegaram a casa de Simão curtidor, em Jope, foi-lhes dito que Pedro estava orando. E porque estava orando, já sabia que teria de evangelizar os gentios de Cesaréia.
Hoje, milhares de líderes transferiram a paixão que antes nutriam pelo Rebanho para os times de futebol.  Como deve estar triste o Espírito Santo com Obreiros que se mantêm sisudos e imobilizados no púlpito, mas fazem estardalhaços diante da tela do aparelho televisor, quando seu time favorito goleia a trave adversária.
Nem preciso falar dos que usaram o dinheiro da igreja para comprar passagens que os levaram ao país da Olimpíadas.
Jamais haverá colheita se não houver plantio.
Toda ceifa será sempre o resultado da semeadura.
Sempre me espantei com Obreiros que conhecem todos os filmes, todos os artistas, todos os atores e todas as programações e todos os espetáculos da mídia.
Como saber tudo isto requer um tempo enorme, presumo que eles não oferecem tempo para Deus, nem para o seu sacrossanto ministério.
A dedicação esteve enferma por um tempo, mas agora está em coma.
Precisamos de uma ressurreição em muitas vidas, antes que seja tarde demais. Antes que os templos fechem, antes que as ovelhas sejam subtraídas, antes que a dedicação se transfira da UTI para algum jazigo dos cemitérios ministeriais.
Preciosos homens e mulheres de Deus estão sendo removidos do refúgio secreto de seu cenáculo pessoal para a tribuna pública das redes sociais. Muitos deles – e delas, se assentaram, depois deitaram-se nessas redes e, por fim, dormem tranquilamente.
Um poderoso reavivamento será bem-vindo, pois trará de volta muitos lázaros para sua antiga vida de dedicação.
Nos idos tempos do apóstolo João, dedicação era uma festa, uma das muitas festas judaicas.
Por analogia, dedicação precisa voltar a ser uma festa para não poucos obreiros de nosso tempo, como foi para o apóstolo Paulo.
Dos muitos dicionários disponíveis, um define dedicação como sendo afeto, empenho, amor e responsabilidade.
Não será a falta desses elementos que está provocando a estagnação de muitas igrejas em nossos dias?
Nos horizontes da vida atual existe um grandioso out-door, cujas letras monumentais estampam a seguinte mensagem, vinda do Pastor Supremo: PRECISO COM URGENCIA DE OBREIROS DEDICADOS, A FIM DE REALIZAREM AS TAREFAS DA ULTIMA HORA.
Quem se apresentará?
A SER VIÇO DO REI PR. JOÃO NUNES MACHADO

Nenhum comentário:

Postar um comentário