quinta-feira, 16 de maio de 2013

a benção que o justo produz


TEXTO BASE  SL 1: 1 = 6

INTRODUÇÃO

TEMA: A BÊNÇÃO QUE O JUSTO PRODUZ

1° Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores;
2° antes tem seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e noite.
3° Pois será como a árvore plantada junto às correntes de águas, a qual dá o seu fruto na estação própria, e cuja folha não cai; e tudo quanto fizer prosperará.
4° Não são assim os ímpios, mas são semelhantes à moinha que o vento espalha.
5° Pelo que os ímpios não subsistirão no juízo, nem os pecadores na congregação dos justos;
6° porque o Senhor conhece o caminho dos justos, mas o caminho dos ímpios conduz à ruína.
A idéia de alguém se dizer justo parece soar um tanto arrogante, por causa do conceito popular de justiça:



 justo é aquele que não faz nada de errado, quer dizer, não mata e não furta.
Aliás, isso consta dos dez mandamentos.
Todavia, certas faltas cometidas na Antiga Aliança eram punidas com a morte, que era executada por alguém.
Quando Israel saía à guerra tomava despojos dos povos vencidos – isso se configuraria como furto.
Então, podemos concluir que justo não é apenas aquele que não mata ou não rouba, mas aquele que é declarado justo pelo Juiz.
Em Cristo, somos justificados, isto é, tornados justos.
Ser justo, segundo o salmista, é aquele que age de acordo com o seguinte padrão:

 I. COMPORTAMENTOS NEGATIVOS E POSITIVOS DO JUSTO 
1° “Não anda segundo o conselho dos ímpios”.
A orientação para a vida do justo é procurada no Senhor, não no que o ímpio ensina como verdade.
2. “Não (imita a conduta) se detém no caminho dos pecadores”.
Jamais o justo imita, ou sequer tenta imitar a conduta daqueles que não temem a Deus.
A conduta do crente é baseada no ensino da Palavra de Deus, e não procedimento normal do ímpio.
3. “Não se assenta na roda dos escarnecedores (zombadores).”
O justo não compactua com “as obras infrutuosas das trevas, antes as condena”.
Escarnecedores ou zombadores são aqueles que por palavras e atos desdenham dos princípios divinos, pensando que a Bíblia é um livro ultrapassado e que não se adapta ao pensamento do século XXI.
4. “Tem o seu prazer (a sua satisfação) na lei do Senhor”.
A única coisa que satisfaz plenamente a mente e o espírito do justo é a Palavra de Deus (Sl. 119: 97-104).
Ela o torna sábio e apto para ser bem sucedido na vida.
5. “Na sua lei medita de dia e de noite”.
A mente do justo é ocupada pelos preceitos divinos.
Quer dizer, ele só ocupa sua mente e seu tempo em ser edificado e fortalecido pela Lei do Senhor.

II. CONSEQÜÊNCIAS DE UMA VIDA DE JUSTIÇA 
1° “Será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas”.
A vida do justo não é de pieguice, nem de chatice.
Mas de prosperidade e vida abundante em tudo. A felicidade o cerca.
2. “Dá fruto na estação própria”. Sua vida é produtiva.
Como o justo é pleno do Espírito Santo, sua vida é caracterizada pelo fruto do Espírito.
Todos que o cercam são alimentados pelos frutos benditos que ele produz.
3. “As folhas não caem (não murcham)”.
O justo está sobremodo plantado junto às águas, que suas folhas estão sempre verdes e bonitas.
As folhas podem significar os projetos.
Como os projetos do justo são orientados por Deus, nunca murcham.
4. “Tudo quanto fizer prosperará”.
A prosperidade do que fazemos parte de um coração obediente ao Senhor.
Para que sempre exista prosperidade no que empreendermos, deveremos manter uma íntima comunhão com o Senhor, tendo um espírito quieto e sossegado e sempre esperando com toda a segurança pelo cumprimento da vontade d’Ele.
Conclusão:
O salmista conclui dizendo que a prosperidade do ímpio é como uma cortina de fumaça: vai esvair-se diante do juízo de Deus “como a moinha que o vento espalha”.
Somos também chamados a atenção de que “os pecadores não permanecerão na congregação dos justos”.
Somos também informados de que “o Senhor conhece o caminho dos justos, mas fará perecer o caminho dos ímpios. Que o Senhor nos faça conhecê-Lo cada vez mais e nos ensine a bênção que é ser considerado justo por Ele.
|A serviço do rei Pr. João Nunes Machado

Nenhum comentário:

Postar um comentário