quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

senhor, faz de mim um fariseu

TEXTO BASE MATEUS 5: 20

INTRODUÇÃO 

TEMA: SENHOR, FAZ DE MIM UM FARISEU 

"Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no reino dos céus." Mateus 5: 20.
Na época de Jesus haviam vários partidos judaicos. Existiam os herodianos, que eram um grupo judeu que defendia Herodes e o poder político romano.

Também tinha um grupo contrário aos herodianos, os chamados Zelotes, que eram judeus que queriam se revoltar contra o poder dominante de Roma, ou seja, os zelotes lutavam por um estado Judeu.
Havia outro grupo, os saduceus eram a classe rica que escolhiam fatos bíblicos para crerem, eles tinham o domínio do templo, mas eram pessoas que tinham pouco comprometimento com Deus.
Os saduceus não criam na ressurreição e nem na vida eterna.



Depois de muitos anos, os arqueólogos descobriram um outro grupo da época de Cristo, os essênios, que era uma comunidade que tinha uma vida monástica, viviam afastados dos homens, tinham ênfase muito grande na santidade, rituais de purificação e afins, eram contrários a vida política.
Por essas causas muitos estudiosos criam que Jesus era essênio.

Na verdade Jesus era apartidário, ele não tinha nenhum vínculo a nenhuma das classes acima citadas. Muitos discípulos de Cristo eram zelotes, fariseus e até apartidários.
Porém, se formos fazer uma análise profunda de Cristo, constataremos que ele tinha muitas semelhanças com os fariseus, hoje tão combatidos pela comunidade evangélica.

Na época de Jesus haviam 6.000 fariseus na Palestina. Estes homens eram judeus piedosos, zelosos nas suas práticas espirituais, pregadores da palavra, tinham prestígio e eram fiéis a escritura.
Vamos basear nossa mensagem em Mateus capítulo 23.

Vamos ter uma abordagem diferenciada, vendo o que podemos aprender com os fariseus.
A maioria dos cristãos de hoje tem muito a aprender com os fariseus.

Com certeza hoje vivemos a era do CRENTE DA DESGRAÇA, onde a graça virou desculpa para viver desordenadamente.

Queremos deixar claro aqui que não queremos fazer apologia ao farisaísmo, apenas queremos aproveitar muitos princípios de vida deles para nos enriquecer como verdadeiros filhos de Deus.

Vamos a algumas comparações entre os fariseus e os crentes da desgraça (cristianismo nominal de hoje):
Os fariseus eram ORTODOXOS, eles tinham uma doutrina firme. Sabiam no que criam, tinham base na sua fé. Infelizmente os CRENTES DA DESGRAÇA de hoje são LIBERAIS, vivem o "vale tudo gospel",

ou seja, fazem tudo (inclusive pecam) em nome do Espírito (mas cabe aqui a pergunta, espírito de quem?);
Os fariseus eram COMPROMETIDOS com Deus. Pagavam preço pelo que criam. Abriam mão de prazeres, opiniões e se disciplinavam para viverem a sua religião.

O cristão de hoje (CRENTES DA DESGRAÇA) infelizmente NÃO SE ENVOLVEM com nada e nem com a igreja.

Vivem para si mesmos, o seu deus é o seu ventre. Não abrem mão de nada por amor a Cristo e dizem serem livres.

1° O FARISEU PROCLAMAVA a sua doutrina. Evangelizava. O cristão de hoje em dia vem com o falso argumento que tem que evangelizar com a vida, sem nunca falar de Cristo, vivem eternos agentes secretos de Cristo, parecem que tem vergonha daquele que os chamou.
O cristão de hoje não tem a visão de proclamar, mas sim de GANHAR MAIS, ser mais rico, ser mais próspero, viver de forma mais confortável. Me parece que não foi para isso que Cristo nos chamou.

2° O FARISEU SE IMPORTAVA com a vida alheia. 
Ele era abelhudo. Os cristãos de hoje não se importam mais com ninguém, se encontram alguém com necessidade proclamam chavões gospel como "Misericórdia", ou "queima o demônio", mas não fazem nada para a situação do necessitado melhorar. Quem é melhor?
O Fariseu Abelhudo que se preocupa ou o Crente Egoísta?

3° FARISEUS iam regularmente ao templo. Isso mesmo, eles congregavam como manda a Bíblia em Hb 10: 25. Hoje muitos cristãos estão querendo viver um evangelho avulso, individualista, fazem de tudo para ver o pastor pela TV, mas não querem se expor ao congregar.

O exército de cristãos que não congregam no Brasil passou de 0,7% em 2003 para 2,9% em 2009.
A quantidade de cristãos fora da igreja nunca foi tão grande. Quem era melhor? Os Fariseus ou nós?

4° Os FARISEUS eram contestados por Cristo, mas muitos tinham SEDE ESPIRITUAL e buscavam conhecer a Jesus. Hoje o que se vê nas igrejas é um povo INDIFERENTE a Cristo, onde se buscam elementos do Antigo Testamento para "materializar" a fé das pessoas;

5° Os FARISEUS FAZIAM a obra de Deus (Mt 23: 5). Hoje o cristianismo tem deixado para os pastores o encargo de fazer o trabalho para Deus, esquecendo-se que todos são sacerdotes como diz I Pe 2: 9. Todos nós temos compromisso de ministrar ao próximo, e não somente que é pago para isso;

6° Os FARISEUS viviam de Status (Mt 23: 6,7). Eles tinham uma REPUTAÇÃO, uma boa imagem. Infelizmente, hoje os cristãos vivem de falsos chavões dizendo que só se importam com o que Deus pensa deles, independentemente do que os outros dizem.
Esquecem-se que o próprio Cristo se importou com o que o homem pensava dele (veja Mt 16). Esquecem-se que nós somos a única bíblia que o incrédulo lê. E se as pessoas que não crerem em Deus não virem em nós os altos padrões de Deus, elas não sairão da escória para a luz de Cristo. Não nos enganemos irmãos!!!!

7° Os FARISEUS FAZIAM DISCÍPULOS (Mt 23:15). Eles andavam junto com as pessoas e faziam elas andar nos caminhos de Deus. Hoje as igrejas evangélicas brasileiras estão fazendo MULTIDÃO, vivem de movimentos e movimentos.
Em eventos gospel milhares de pessoas frequentam, mas muitos pouco tem mudado de vida e se convertido de fato e de verdade;

8° Os FARISEUS DIZIMAVAM (Mt 23: 23). Os cristãos da desgraça de hoje não dizimam. Se omitem, porque amam mais o dinheiro que a Deus;

9° Os FARISEUS FILTRAVAM as coisas (Mt 23: 24). Filtravam errado, mas filtravam.
Hoje em dia os cristãos não filtram mais nada. Ligam a TV e assistem homossexualismo, promiscuidade, chacotas de Deus e permitem que seus filhos fiquem a mercê do caminhão de lixo que é a mídia, vídeo games, internet e afins. Permitem que os filhos se tornem rebeldes jogando jogos de vídeo game violentos e diabólicos.

O que é melhor? Filtrar errado ou não filtrar nada?

O leitor vai achar engraçado, mas os FARISEUS tomavam banho (Mt 23: 26).
Hoje em muitas igrejas é supervalorizado o espiritual de tal forma que os cristãos estão se tornando uns porcalhões, não se higienizam, em muitos casos mulheres reclamam que os maridos adulteram com uma ímpia cheirosa, enquanto que elas não tomam banho.

Infelizmente isso é real irmãos. Vamos acordar! O projeto de Deus é para todas as áreas da vida: espírito, alma e corpo. Não vamos ficar somente com uma. Ok?

10° Os FARISEUS JURAVAM (sei que Jesus introduziu o ensino sobre não juramentos em Mt 5, mas vamos nos ater ao princípio), ou seja, eles TINHAM PALAVRA.
Hoje o cristianismo moderno tem mudado a palavra conforme a conveniência.

Estamos tentando adaptar demais o Evangelho do Reino as necessidades humanas;
Jesus tinha palavras duras para os fariseus. Jesus dava carne para eles. Infelizmente, hoje, nos púlpitos evangélicos a palavra é só leitinho, pois temos bebês na fé com 30 e 40 anos de convertidos.
Estamos ouvindo palavra para servir ao nosso deleite, mas não para o propósito de Deus.
Os cristãos não estão crescendo como deveriam.

Em Mateus 23:3 Jesus disse que os fariseus falavam e não viviam. Realmente isso era um defeito. Mas não é só por isso que devemos desprezar os muitos ensinamentos que eles podem nos fornecer.

O problema dos fariseus não era o que eles faziam, mas sim porque eles faziam da sua vida um ritual vazio.
Devemos fazer muitas coisas que eles faziam, apenas com uma diferença, que é o principal. Devemos cumprir toda a vontade de Deus com o amor.

Devemos unir a palavra ao amor e a unção do Espírito.

Assim seremos verdadeiros campeões de Jesus!

Hoje em dia para muitos cristãos a melhor oração que eles deveriam fazer a Deus seria:
"Senhor, faz de mim um fariseu

Você já pensosu nisso? MARANATA; HORA VÉ SENHOR JESUS!

A serviço do rei Pr. João Nunes e Juçara Graczcki

Nenhum comentário:

Postar um comentário