sexta-feira, 3 de outubro de 2014

não matarás (o feto)

PARA UMA BREVE REFLEXÃO SOBRE O A BÓRTO / Êx 20:13 “Não matarás”

Peço licença aos Nobres e ilustres, evangélicos, católicos, espíritas, muçulmanos, judeus, hinduístas (etc),

Para falar sobre o que a igreja que frequento pensa sobre o assunto.
Antes de qualquer coisa, quero deixar bem claro que se você um dia optou pelo aborto, porém, arrependeu-se e pediu perdão a Deus pelo seu pecado, Ele já lhe perdoou por meio dos méritos do sacrifício substitutivo de Cristo (Sl 32: 5; Rm 5: 1; 1Jo 1:9).

Por isso, esse pequeno texto tem apenas o objetivo de levar-nos à reflexão sobre aquilo que a Bíblia ensina a respeito do aborto, a fim de nos posicionarmos contra a legalização desse tipo de homicídio mais que covarde (cf. Êx 20: 13).

Obs Quem defende o aborto não parou para pensar que ele teve o direito de nascer.
Não parou para refletir que, se ele estivesse no útero de uma mãe que tivesse decidido aborta-lo, agonizaria como ser humano com o sofrimento causado pela indução ao aborto.
Faz parte do “cancerígeno” egoísmo humano querer para o outro o que não se deseja para si mesmo.

Por isso, Jesus advertiu aos Seus seguidores que agissem de maneira bem diferente: 
“Façam aos outros o que querem que eles façam a vocês; pois isso é o que querem dizer a Lei de Moisés e os ensinamentos dos Profetas” (Mt 7:12, Nova Tradução Na Linguagem de Hoje).

Legalizar o aborto traria muito mais problemas do que soluções porque as pessoas irresponsáveis ser aproveitariam disso para se tornarem mais irresponsáveis ainda.

Afinal, elas acham “mais fácil” tirar um feto depois de uma “gravidez indesejada” do que assumir a responsabilidade pelo filho

(a) que fez. Infelizmente, na hora de “fazer”, quase ninguém pensa nas consequências.

Além disso, pessoas que optam pelo aborto desconsideram que um filho é uma “herança do Senhor” (Sl 127: 3), que servirá de instrumento divino para desenvolver nelas a paciência e abrandar o sentimento egoísta.

Quem é pai ou mãe sabe o quanto um filho melhora nosso caráter quando deixamos que isso aconteça.
Quando temos um filho sabemos um pouquinho da profundidade do amor de Deus por cada pecador, de modo que O amamos ainda mais.

Tirar a vida de um ser indefeso contraria princípios bíblicos muito sérios:

1º: A vida é sagrada para Deus: “Se alguns homens estiverem brigando e ferirem uma mulher grávida, e por causa disso ela perder a criança, mas sem maior prejuízo para a sua saúde, aquele que a feriu será obrigado a pagar o que o marido dela exigir, de acordo com o que os juízes decidirem.

 Mas, se a mulher for ferida gravemente, o castigo será vida por vida, olho por olho, dente por dente, mão por mão, pé por pé, queimadura por queimadura, ferimento por ferimento, machucadura por machucadura.” (Êx 21: 22-25)

2º: O Criador (e Juiz) não aprova que se mate o inocente: “ [...] não matarás o inocente e o justo [...]” (Êx 23: 7).

3º: Jesus deseja que todas as criancinhas tenham a chance de ganharem a vida eterna: “Deixem que as crianças venham a mim e não proíbam que elas façam isso, pois o Reino do Céu é das pessoas que são como estas crianças.” (Mt 19: 14, Nova Tradução Na Linguagem de Hoje).

Também não devemos passar por alto que Deus (a) se relaciona com o feto (Jr 1: 5; Sl 139:13-16) e que

 (b) os autores bíblicos não fazem diferença entre o embrião e uma criança recém-nascida.
A mesma palavra grega para descrever o feto (brephos) em Lucas 1: 41, é usada para se referir ao bebê (Jesus) em Lucas 2:16.

CONCLUSÃO


A bíblia é a palavra de Deus! Leia sua Bíblia! Ame sua Bíblia! Traga a sua Bíblia para a igreja!

Tags: Andam, Bíblico, Caminho, Cristo, Cruz, Deus, Escrituras, Evangelho, Glória, Jesus, Palavra, Pastor, Porta, Poucos, Salvação, Salvador, Satanás, Verdade, Vida

A servico do rei, Pr João Nunes Machado



Nenhum comentário:

Postar um comentário