quinta-feira, 3 de setembro de 2015

COMO DEVE SER O HOMEM DE DEUS EM NOSSOS DIAS?

TEXTO BASE HB 10: 19 - 23

INTRODUÇÃO

TEMA: COMO DEVE SER O HOMEM DE DEUS EM NOSSOS DIAS? 


19. Tendo, pois, irmãos, ousadia para entrar no santuário, pelo sangue de Jesus,

20. Pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou, pelo véu, isto é, pela sua carne,

21. E tendo um grande sacerdote sobre a casa de Deus,

22. Cheguemo-nos com verdadeiro coração, em inteira certeza de fé, tendo os corações purificados da má consciência, e o corpo lavado com água limpa,

23. Retenhamos firmes a confissão da nossa esperança; porque fiel é o que prometeu.

O HOMEM DE DEUS...

I. Deve ter a intimidade com Deus como Enoque.... 

Antes de falar ao povo sobre Deus, o homem de Deus precisa falar com Deus, entrar no Santo dos Santos confiado na perfeita obra de Cristo.

Observemos o que o escritor aos Hebreus diz:

“Tendo, pois, irmãos intrepidez para entrar no Santo dos Santos, pelo sangue de Jesus, pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou pelo véu, isto é, pela Sua carne, e tendo grande sacerdote sobre a casa de Deus, aproximemo-nos, com sincero coração, em plena certeza de fé, tendo o coração purificado  de má consciência e lavado o corpo com água pura.

Guardemos firme a confissão da esperança, sem vacilar, pois quem fez a promessa é fiel (HB 10. 19-23).

II.  Deve ter a fé de Abraão que não sabia para onde ia, mas sabia com quem ia...
O homem de Deus anda por fé e não por vista...Lutero dizia:

“A única fé que salva é a daquele que se atira em Deus, para viver ou morrer”.

III. Deve ter a persistência de Jacó que lutou com o Anjo até que fosse abençoado...
O verbo permanecer (João 15: 10 - 11 vezes) deve ser o estilo de vida do homem de Deus.
Tamberlane, um revolucionário na euroasia, fugindo dos seus algozes, entrou numa gruta onde entrava uma tira de sol.
Ele observou uma formiga subindo a pequena rocha com um pedacinho de folha 69 vezes...

IV. Deve ter a pureza e a coerência de José, que não abriu a guarda para a entrada de uma linda mulher...

Ele é um dos nossos exemplos de dizer não à sensualidade.

Num apelo feito no avivamento das Ilhas Hébridas, um líder disse:

“Irmãos, se não levarmos uma vida reta diante de Deus, será uma falsidade clamarmos por um avivamento, dia e noite, meses e meses seguidos. Temos que perguntar a nós mesmos: meu coração está puro? Minhas mãos estão limpas?”

V. Deve ter a confiança que Davi colocou no Senhor quando foi lutar com o gigante Golias...

Confiança é fruto da fé.



O homem de Deus confia não para receber, mas para honrar o seu Deus.

Os fundamentos da confiança estão na obra perfeita, do Cristo perfeito na cruz.

VI. Deve ter a coragem de Elias que pregou contra a casa de Acabe e Jezabel, enfrentando os 450 profetas de Baal. 

Não podemos, em hipótese nenhuma, ser coniventes com o pecado. Não podemos retroceder diante do combate a toda a forma de erro.

Dentro deste contexto Ravenhill nos chama a atenção para algumas coisas muito relevantes:

1. Assim que Deus abre as janelas do céu para nos abençoar, o inimigo abre as portas do inferno para nos intimidar;

2. O pregador talvez agrade o povo, mas o profeta o contrariará; o mero pregador é aclamado; o profeta de Deus é perseguido.

3. O preço é elevado. Deus não quer ser apenas nosso sócio; quer ser o nosso proprietário;

4. Elias viveu com Deus. Ele via o pecado da nação como Deus via.

Entristecia-se por causa dele, do modo como Deus se entristecia; repreendeu o pecado do modo como Deus repreendia.

VII. Deve ser como Isaias que teve a consciência de sua impureza diante da visão da santidade de Deus, assentado sobre um alto e sublime trono que, como resultado: 

Visão da necessidade do povo de Deus e da missão dada pelo Senhor.

“Em cada um de nós existem três pessoas: a que nós achamos que somos; a que os outros pensam que somos, e a que Deus sabe que somos”.

O profeta Isaias profetizava e olhava para o Cristo que se manifestaria no tempo determinado por Yaweh.
Somos desqualificados naturalmente para realizarmos a obra de Deus.

VIII. Deve ser como Jeremias que chorou pelo povo, que preferiu o exílio a negociar os valores do Reino de Deus...

Que sofrimento este profeta teve.

Quantas angústias no coração! “Corações que não choram nunca poderão ser arautos da Paixão de Cristo” (JH Jowett)

IX. Deve ser como Malaquias que denunciou os pecados do sacerdócio judaico de sua época. 

Que teve a coragem de chamar o povo judaico de ladrão por não dizimar... Que profeta precioso este profeta de Deus.

Um homem intrépido, ousado, resolvido e profundamente comprometido com o Senhor.
O profeta foi chamado não para agradar a homens, mas ao Senhor.
O caráter do profeta deve ser fruto do caráter de Deus que o chamou.

X. Deve ser como João Batista que apontou para Jesus, preparou o Seu caminho e preferiu morrer denunciando o pecado de Herodes Antipas a experimentar o politicamente correto...Ele não fazia média. Não negociava princípios cristãos. 

Um homem espiritual, ético, corajoso e que amava profundamente o seu Senhor.

João se auto-negava. Dr. Charles Inwood disse: “Irmãos e irmãs, a autonegação é o principio ético básico da Igreja Cristã”.

João Batista não queria ser popular...Zepp dizia: “Que Deus nos ajude a querer ser populares no lugar onde a popularidade realmente conta: junto ao trono de Deus”.

XI. Deve ser como Mateus que saiu da comodidade da coletoria para viver do ministério, servindo ao seu Rei...

Usado pelo Espírito para escrever um evangelho precioso.


XII.  Dever ser como João Marcos que apresentou Jesus como o Filho do Homem...

A sua imaturidade no início quando causou problemas entre Paulo e Barnabé, foi transformada na maturidade para escrever o evangelho de Cristo precioso.

XIII. Deve ser como o médico Lucas que revelou Cristo como o Servo...
Não ficou satisfeito em servir com médico, mas foi usado pelo Espírito para revelar a vida de Jesus, o médico de almas.

XIV. Deve ser como João, que apresentou Jesus como o Filho de Deus, o Cordeiro de Deus...

Um homem que começou a seguir a Cristo a partir do barco de pesca, seguiu-O pelos caminhos do deserto e das cidades, pagando o preço por seguir a servir a Cristo sendo exilado na Ilha de Patmos.

XV. Deve ser como Paulo que, sendo Saulo, seguia uma religião, mas, sendo alcançado por Cristo passou a percorrer o caminho do sofrimento por Cristo, a pagar o preço do compromisso com Cristo às raias da morte e que vivia Cristo com intensidade para morrer por, em e com Ele (Fil 1. 21; Gl 2. 20).
Que pregou de Jerusalém a Roma a Palavra da cruz, que é loucura para os que perecem...(1 Co 1.18).

XVI. Deve ser como Jesus que preferiu fazer a vontade do Pai a Sua. 

Que foi manso e humilde de coração. Que veio dar a Sua vida por nós... Que morreu de coerência...

Que nos ensinou a amar os nossos inimigos, bendizer os que nos maldizem, a perdoar os que nos
ofendem, a caminhar a segunda milha, a sofrer calado, a não se defender, a orar pelos seus algozes...

XVII. Aqui estão os nossos referenciais, modelos, exemplos. 

Tudo o que precisamos como homens de Deus está nas Escrituras, na Palavra revelada.

TODOS ESTES MODELOS, REFERENCIAIS NOS APONTAM PARA CRISTO, O AUTOR E CONSUMADOR DE NOSSA FÉ.

NOSSO SENHOR – AQUELE QUE ERA, QUE É E QUE HÁ DE VIR COM PODER E GRANDE GLÓRIA PARA DAR A CADA UM DE NÓS A RECOMPENSA POR SUAS OBRAS A PARTIR DA FÉ.

Um Forte Abraço!! Nos laços do Calvário que nos une......A serviço do Rei, Pr João Nunes Machado

Nenhum comentário:

Postar um comentário