sexta-feira, 23 de setembro de 2016

A ARTE DE FALAR EM PÚBLICO

A ARTE DE FALAR EM PÚBLICO


Oratória: A arte de se falar em público. 

Retórica: A arte de bem falar. Argumentar; eloqüência.

Eloqüência: A força de dizer. A faculdade de dominar por meios das palavras o animo de quem ouve. 

Talento de convencer. Deleitar ou comover. Arte de bem falar.

Homilética: A arte de pregar sermões religiosos.

Apenas 7% das comunicações entre as pessoas ocorram por palavras em si. 

38% da comunicação se dão através do tom de voz, e 

58% da comunicação entre as pessoas se fazem através da fisionomia ou linguagem do corpo. 

A expressão facial, os gestos e os movimentos das pessoas definem muito mais o que elas estão dizendo do que as palavras em si. 

Repare por exemplo, num humorista famoso, com algumas palavras consegue fazer o publico rir.



Estudo bíblico A arte de falar em público
O sucesso da oratória consiste na eficácia da persuasão. Envolver o publico. 


CUIDADOS E DICAS

Não colocar as mãos no bolso. 

O "corpo fala" através de gestos. Nossos gestos mostram o que se passa em nosso íntimo. 

Cuidado com os vícios de linguagem (né, tá, viu, etc.) 

Olhe para o público. Tente criar certa intimidade. 

"Cada pessoa tem que sentir que você está falando só para ela". 

Não conte piadas - contar piadas é prejudicial. 

Poderá causar risos, mas, e depois? Nunca use a piada para "dar graça" a sua matéria. 

Não comece com palavras vazias que demonstram falta de objetividade - palavras como: 

bem, bom, aí e então, não possui nenhum significado e ficam soltas, dificultando a conquista do auditório. 

Evite usar a palavra não, talvez, pode ser, não tenho certeza. 

Não usar chavões ou frases vulgares - Chavões do tipo 

"Amém?", "Diga: Graças a Deus", "Sim ou não?", etc. 

Colocam a sua pessoa como um simples imitador. Todo bom orador tem o seu próprio estilo. 

Aproveite bem o tempo, seja breve. 

Ninguém gosta de pregadores maçantes! Seja direto. 

"É muito difícil fazer um mau discurso de um discurso pequeno". 

Portanto, não canse o seu público. 

Ele vai ficar inquieto, vai começar a conversar, a levantar, e você vai ficar inseguro. 

O ex-presidente americano Lyndon Johnson costumava recomendar: "Saiam sempre no auge da festa".

USO DO MICROFONE

Não toque ou enrole o fio nas mãos; 

Não bata nem limpe o microfone diante do público;

Analise qual à distância que você deve falar do microfone. Aconselhamos uns 10 centímetros;

Deixe o auditório ver o seu rosto. 

Deixe o microfone uns dois centímetros abaixo do queixo;

Fale sempre olhando sobre o microfone;

Não grite;

Movimente-se com moderação. 
Use várias tonalidades de voz.

DICAS GERAIS

1. Seja positivo 

2. Se prepare para pregar 

3. Chegue cedo, antes dos membros, para recepcioná-los; 
4. Sorria. 

5. Cumprimente a todos. 

6. Trate as pessoas pelo nome 

7. Olhe sempre nos olhos da pessoa quando ele lhe fizer uma pergunta 

8. Gesticule (sem exagero) 

9. Movimente-se (sem exagero) 

10. Fale de maneira modulada 

11. Evite apoiar-se em uma perna 

12. Use linguagem coerente com o nível das pessoas 

13. Saiba ouvir 

14. Cronometre o seu tempo de pregação 


APRESENTAÇÃO EM PUBLICO

A apresentação pessoal é muito importante. 

Sua credibilidade está vinculada ao traje. 

Havia uma propaganda que dizia: 

O mundo trata melhor quem se veste bem, e isto é uma grande verdade.

Apresentação de paletó e gravata: demonstração de poder.

Postura: sempre ereto, cabeça erguida.


QUE DEVE CONTER A PREGAÇÃO?

Duas coisas são básicas: 

OBJETIVIDADE: O centro da pregação deve ser Cristo e não o pregador. 

Há pregadores que se perdem no púlpito. 

Começam a falar do amor de Deus, e passam a divagar sobre o Apocalipse, vão até Gênesis, aos profetas e, ao final, não sabem como sair do emaranhado de palavras. 

É preciso ter objetividade. 
CONVICÇÃO: O pregador deve transmitir aquilo de que tem convicção, para que a mensagem seja aceita. Tem que viver aquilo que prega. 

O QUE VOCÊ NÃO DEVE FAZER

1. NÃO LEVANTE, NEM ABAIXE DEMAIS A VOZ. 

2. NÃO SEJA MONÓTONO, MAS VARIE DE TOM. 

3. NÃO GRITE. 

4. NÃO EXAGERE EM PROVOCAR RISOS, TORNANDO-SE PALHAÇO. 

5. NÃO ELOGIE A SI MESMO. 

6. NÃO ILUSTRE COM NARRAÇÕES LONGAS. 

7. NÃO CANSE OS OUVINTES COM SERMÕES LONGOS. 

8. NÃO SE AFASTE DO TEXTO E DO TEMA. 

9. NÃO CRAVE OS OLHOS NO CHÃO OU NO TETO. 

10. NÃO FIXE O OLHAR DEMASIADAMENTE EM 
ALGUM OUVINTE PARTICULAR. 

11. NÃO FIQUE RÍGIDO OU IMÓVEL COMO UMA ESTÁTUA. 

12. NÃO COLOQUE AS MÃOS NA CINTURA E NOS BOLSOS. 

13. NÃO FIQUE ABOTOANDO E DESABOTOANDO O PALETÓ. 

14. NÃO USE NADA NO CORPO OU ROUPA QUE CHAME MUITA ATENÇÃO. 

15. NÃO DÊ SOCOS NA MESA OU PÚLPITO. 

16. NÃO EXAGERE EM TIRAR E COLOCAR OS ÓCULOS. 

17. NÃO JOGUE A BÍBLIA SOBRE O PÚLPITO. 

18. NÃO FIQUE OLHANDO O RELÓGIO TODO O TEMPO. 

20. NÃO USE GÍRIAS OU PIADAS. 

21. NÃO AJOELHE APENAS COM UM DOS JOELHOS. 

22. NÃO DIRECIONE A MENSAGEM A ALGUÉM DO AUDITÓRIO. 

23. NÃO SE DESCULPE POR NÃO ESTAR PREPARADO. 

24. NÃO PROCURE IMITAR ALGUÉM. 

25. NÃO SE EXPRESSE DE MANEIRA PRESUNÇOSA OU ORGULHOSA. 

26. BONS HÁBITOS NA PREGAÇÃO

A pregação não é apenas o sermão: é também o pregador. 

Alguns maus hábitos podem comprometer o sermão. 

O pregador deve tomar cuidado para evitar tais costumes e maneirismo.

Postura ereta. Não se deite sobre o púlpito nem se acorcunde.

Cuidado com a aparência: O pregador descabelado, com barba por fazer, colarinho virado, sapatos enlameadas, meia verde?

Cultive o idioma: A pregação é comunicação oral. Conheça pelo menos o seu idioma. 

É sua ferramenta

Cuidado com regionalismo: "Bença, mucidade, cruis de Jesuis, dolze, dismo".

Use seu próprio estilo: Seja você mesmo. Não copie. 

O uniforme de Saul não coube em Davi.

Fale toda a palavra: Não engula os "r" e os "s" não engula as sílabas finais. 

Evite as sujeições "eles tão" ao invés de "eles estão".

Aprenda a ler: Pratique a pontuação correta, dê entonação.

Fale às pessoas: Olhe para elas. 

Paredes, bancos, teto e chão não se convertem nem aprendem.

Fale com o corpo: Use expressão facial condizente. Evite a "cara de mau". 

Use ambas as mãos. Não oscile o corpo para trás e para frente. 

Tão pouco se levante constantemente na ponta dos pés. 

Evite o dedo indicador apontando para o ouvinte.

Module a voz: Deve ser de acordo com a mensagem. 

Não é o grito. É a consistência e convicção.

Evite os vícios de linguagem:  "né", "intão", "é interessante notar", "aí", etc.

Evite chavões: Como acompanhar um sermão de 30 minutos com mais de 60 "aleluias" e "glórias a Deus?".

Um Forte Abraço! Nos laços do Calvário que nos une......A serviço do Rei, PR João Nunes Machado

Nenhum comentário:

Postar um comentário