sábado, 8 de outubro de 2016

CASAMENTO NÃO É O SEPULTAMENTO DA NOSSA INDIVIDUALIDADE!

TEXTO BASE GN 2: 18 / EC 4: 9 - 13

INTRODUÇÃO 

TEMA: CASAMENTO NÃO É O SEPULTAMENTO DA NOSSA INDIVIDUALIDADE!



GN 2: 18 E disse o SENHOR Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora idônea para ele.

EC 4: 9 – 13:
9. Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho.

10. Porque se um cair, o outro levanta o seu companheiro; mas ai do que estiver só; pois, caindo, não haverá outro que o levante.

11. Também, se dois dormirem juntos, eles se aquentarão; mas um só, como se aquentará?

12. E, se alguém prevalecer contra um, os dois lhe resistirão; e o cordão de três dobras não se quebra tão depressa.

13. Melhor é a criança pobre e sábia do que o rei velho e insensato, que não se deixa mais admoestar.

Individualidade e mutualidade:

1. Individualidade - respeito consigo mesmo. 

2. Mutualidade - respeito com os outros. 



O equilíbrio entre individualidade e mutualidade é um desafio permanente na vida de um casal (liberdade e compromisso). 

Isto porque é difícil construir uma relação na qual os aspectos saudáveis de cada um se completam, onde um e outro possam ser o que são, coexistindo duas individualidades numa parceria.   
      
Carl A. Whitakar diz que: "quanto mais você é livre para ficar com os outros, especialmente com o seu cônjuge, mais você se sente livre consigo mesmo". 

A questão é: 
Qual é o grau de liberdade e independência necessário para que a relação continue viva e abrigue possibilidades de desenvolvimento pessoal?

Verdades que todo casal precisa saber sobre individualidade e mutualidade:

1. Deus criou o homem carente de relacionamento, com ânsia de se juntar e não passar a vida sozinho (Gn 2.18; Ec 4. 9-13).

2. Casamento não é uma chamada para o encarceramento, prisão ou escravidão, no sentido de perda total de liberdade e de individualidade. 

A unidade do casal não pode ser doentia. No amor não há sentimento de possessão.

3. Se uma pessoa é dominadora (possessiva) e tolhe a liberdade do parceiro, o companheirismo deixa de existir. 

À medida que o amor cresce, também crescem a liberdade, a responsabilidade e o próprio amor.

4. O equilíbrio entre a proximidade e a liberdade de cada indivíduo é uma das características mais importantes da completude.

5. Casamento problemático é aquele em que uma das partes enxerga as horas de separação, a individualidade e o espaço como ameaças. 

Para essa pessoa, a individualidade significa falta de amor e descaso. 

Ela só se sente amada quando está ao lado do outro.

6. O casal deve estar atento para o perigo de usar a liberdade de modo destrutivo. 

Adão e Eva usaram a liberdade para pecar contra Deus. 

O apóstolo Paulo fala sobre isso: " Irmãos, vocês foram chamados para a liberdade. Mas não usem a liberdade para dar ocasião à vontade da carne; ao contrário, sirvam uns aos outro mediante o amor.  

Toda a Lei se resume num só mandamento: “Ame o seu próximo como a si mesmo'" (Gl 5.13,14).

7. Não podemos usar nossa liberdade para satisfazer nosso egocentrismo.

8. Cada casal deve encontrar um grau de individualidade com sabedoria para que nenhum dos dois sofra.

9. A Bíblia diz: "Ame o próximo como você ama a si mesmo" (Mc. 12. 33). 

Ao exercer a sua individualidade, não deixe de ver como a sua liberdade está afetando a pessoa que você ama. 

Você gostaria de ser tratado com desrespeito? 

Lembre-se, respeito gera respeito!

Acesse www.familiaegraca.com.br    

Um Forte Abraço! Nos laços do Calvário que nos une......A serviço do Rei, PR João Nunes Machado

Nenhum comentário:

Postar um comentário